Sword Art Online Alicization – Lasting– Capítulo 21 – Parte 8

Arco: Sword Art Online Alicization Underword – Lasting

Sword Art Online Alicization Underworld Kirito vs PoH

Parte 8

Uma bota com o solado metálico vermelho pisoteou a mão de Asuna que estava estendida na direção de Kirito.

Ela ergueu o rosto, olhou bem dentro da viseira do capacete do cavaleiro rubro que a observava com seus olhos cheios de um ódio ardente enquanto levantava a espada longa em um agarre invertido.

A espada se precipitou com força para baixo, acompanhada de uma torrente de insultos ensurdecedores.

A garota estava completamente privada de forças para poder lutar. Contudo, o máximo que podia fazer era não fechar os olhos e manter sua determinação.

Com isso em mente, fitou intensamente seu algoz que estava a ponto de penetrar seu peito.

CLANG!

Um estrondo metálico se ouviu seguido de faíscas incandescentes.

A espada do cavaleiro foi repelida, lançada para trás como que tivesse sido confrontada por outra espada transparente.

“Hã!?”

Confuso, o cavaleiro se ajeitou e refez o movimento para baixo mais uma vez.

Porém, novamente, faíscas explodiram e a espada foi impedida de acertar Asuna.

Uma terceira e quarta tentativa foram feitas, mas o resultado fora o mesmo.

Não houve um quinto ataque.

Pois neste instante, Sortiliena chegou como um relâmpago e derrubou violentamente o cavaleiro com uma habilidade de retrocesso de espada de empunhadura longa conhecida como Torrent.

Sortiliena rapidamente ajudou Asuna a levantar-se enquanto perguntava cheia de espanto na voz:

“Essa Incarnation que usou agora há pouco… como você a ativou, senhorita Asuna?”

Incarnation…?”

Escutando a palavra pela primeira vez, Asuna apenas sacudiu lentamente a cabeça.

“Não, não fui eu.”

“Teria sido então… o senhor Renri…?”

Perguntou Sortiliena, olhando para trás.

Asuna fez o mesmo, porém, o jovem cavaleiro gravemente ferido estava naquele mesmo instante organizando as tropas para contra-atacar a legião rubra que se aproximava.

Realmente, não parecia ter sido capaz de fazer nenhum esforço adicional para proteger Asuna.

Então, ao invés de perder tempo buscando quem tinha sido o responsável por aquilo, achou melhor usar a oportunidade para continuar a ajudar os residentes de Underworld.

Se erguendo novamente com a ajuda da capitã da guarda, Asuna não poupou esforços para usar tudo que tinha ainda de força de vontade e começou a avaliar a situação em volta.

Contudo, logo seu parcial otimismo foi completamente afogado, penetrando em seu peito como água negra e gelada.

Mais de oitenta por cento dos dois mil jogadores chineses e coreanos estavam envolvidos em conflitos internos, porém, a facção a favor da guerra parecia estar levando vantagem moral sobre os que não queriam mais lutar.

Colunas de luzes azuis, identificando a destruição dos avatares podiam ser vistas por todas as partes, sendo acompanhadas de rugidos furiosos.

E pior ainda, a porção a favor da guerra… uma legião que ultrapassava tranquilamente a marca dos dois mil efetivos, estava lentamente se aproximando dos jogadores japoneses derrotados e concentrados em um único ponto no chão.

Os japoneses estavam praticamente sem condições de lutar e os residentes de Underworld, liderados pelo Integrity Knight Renri estavam tão feridos que era um milagre que ainda estivessem em pé.

Mesmo com suas vantagens nas Artes Sagradas e habilidades com a espada, claramente não tinham condições de fazer frente aos inimigos virtualmente mais numerosos.

Sem conseguir falar, somente sendo capaz de apoiar-se no ombro de Sortiliena, Asuna escutou…

As gargalhadas intermináveis de PoH ecoando por todos os lados.

Com um enorme buraco no peito enquanto pairava sobre o corpo de Kirito, o avatar do deus da morte ria, se encurvando com seus braços abertos, segurando na mão direita o enorme Mate Chopper.

Sua mão direita estava estendida para cima, com um gigantesco vórtice de nuvens negras se formando acima dele, parecendo fluir para dentro de seu corpo, usando o braço estendido como meio de transmissão, absorvendo os recursos provenientes das vidas perdidas no campo de batalha.

O tornado se intensificava cada vez mais.

Sendo preciso, era a lâmina demoníaca em sua mão direita que ativava esse efeito de absorção. Se pudessem destruir aquilo, a fonte da energia que também era a responsável pelo sustento de vida de seu dono seria interrompida, fazendo-o com que perecesse no mesmo instante já que não tinha mais um coração batendo em seu peito.

Porém, as coisas estavam em um ponto que meramente derrotar o líder dos inimigos não iria resolver a situação e nem devolver as coisas sob o controle devido.

Provocados pelas palavras venenosas de PoH e por sua aura de malícia, o grupo que ansiava pelo conflito veria a partida de seu chefe como combustível para incrementar e acender ainda mais sua ira ardente.

A carnificina acabaria com cada um dos japoneses e cidadãos de Underworld.

“O que podemos fazer?”

Parecia não haver alternativa…

Levando a mão à cabeça em desespero, Asuna notou algo inexplicável.

Até momentos atrás, o solo estava apresentava uma superfície árida e negra como carvão, contudo, neste momento, uma fina camada de neve branca havia surgido.

Deslizando e se filtrando como fumaça, rapidamente a névoa gélida chegou aos pés de Asuna e suas amigas, se expandindo para trás delas com uma velocidade impressionante sem fazer som algum.

Simultaneamente, uma fragrância refrescante e adocicada atingiu suas narinas.

Parece perfume… de rosas?

Os olhos de Asuna e Sortiliena seguiram as ondulações da névoa.

E então, no instante em que encontraram sua fonte, um pequeno suspiro escapou de seus lábios.

“Ahh…!”

E mais uma vez.

“Ahh!”

A origem da névoa era um jovem esquelético, estirado ao chão há poucas dezenas de metros delas.

Mais precisamente, a fonte era a espada longa branca azulada segura em sua mão esquerda.

A lâmina tinha sido partida ao meio, porém, sua forma envolta na névoa parecia agora ter sido completada enquanto emitia um leve brilho.

“Kirito…!”

E no instante em que Asuna sussurrou o nome da sua pessoa amada…

“Essa Incarnation… é de Kirito…”

Sussurrou Sortiliena, com a voz embargada de emoção.

Antes que se dessem conta, a névoa branca havia permeado o espaço ao redor dos pés das forças chino-coreanas e se expandido muito mais além.

Concentrados na batalha, não pareciam ter notado o fenômeno ocorrendo, porém, gradualmente seus pés e joelhos iam sendo envolvidos por círculos branco perolados.

Quando finalmente notou o que estava acontecendo, PoH interrompeu sua gargalhada espalhafatosa.

Os olhos foram primeiramente para seus pés que estava usando para brincar com o corpo de Kirito como se fosse uma bola.

A figura de PoH logo começou a tremer com violência sendo arrastada para trás enquanto o Mate Chopper em sua mão direita era girado habilmente e dirigido para frente com grande velocidade.

Esforçou-se para avançar.

Um passo, dois…

Não houve um terceiro.

Quase como um sussurro, quase como uma canção… porém, muito definida, uma voz ressoou através de todo campo de batalha, como se estivesse reverberando na alma de todos.

Enhance Armament!

Aquela voz, a qual Asuna sabia que pertencia a Kirito, ressoou em sua mente, porém, parecia ter sido dita em uníssono com outra que nunca havia escutando antes.

No instante seguinte…

Um fenômeno ainda mais extraordinário, em uma escala impossível de estimar, possivelmente comparável somente com a manipulação geográfica de Stacia, envolveu todo o território por completo.

Filamentos de gelo translúcidos como safiras foram surgindo onde havia a névoa branca e envolvendo tudo ao redor de PoH assim como cada um dos dois mil jogadores chineses e coreanos.

As imensas linhas de gelos pareciam bastante delicadas e frágeis, como que fossem se romper ao menor toque, porém, os movimentos dos jogadores que estavam em frenesi em meio à batalha foram detidos imediatamente, como se algum tipo de magia de parar o tempo tivesse sido liberada.

Um curto silêncio foi seguido de sons de surpresa e ira, porém, até mesmo essa comoção foi silenciada em um piscar de olhos.

Presos pelas vinhas de gelo, os jogadores foram sendo enrolados e solidificados em gelos em questão de segundos.

Asuna lançou o olhar sobre o cavaleiro rubro que havia corrido em auxílio de Klein, entretanto, ele também havia se transformado em uma escultura amarrada e congelada.

Não parecia sentir dor alguma, porém, os olhos atrás de sua viseira foram se fechando tranquilamente.

Aquela técnica, mágica ou o que quer que fosse, não estava destinada a causar dor e sofrimento, simplesmente tinha a intenção de restringir os movimentos…

Voltando sua atenção, Asuna viu que PoH também tinha virado um grande e emaranhado bloco de gelo.

Ela fitou Sortiliena e assentiu com a cabeça.

“Muito obrigada, senhorita Sortiliena… estou bem agora.”

A líder da guarda retirou sua mão silenciosamente de Asuna e esta correu pelo solo congelado com extrema urgência para chegar até Kirito.

Sortiliena a seguia de perto, sendo acompanhada de outra garota, Ronye, que também havia chegado por entre as fileiras do exército do Mundo Humano.

Kirito permaneceu com o rosto virado para o chão sem se mover e seu braço esquerdo abraçado à espada quebrada, porém, Asuna compreendeu.

Este era o momento em que o coração de Kirito estava pronto para ser revivido.

Ela só precisava segurar sua mão, abraçá-lo fortemente e chamá-lo por seu nome. Fazendo isso, sem dúvida acordaria, sim, sem dúvida alguma ele retornaria.

A distância de meros dez metros parecia tão longa quanto se estivesse viajando pelos confins da Terra. Esse tempo era menor do que um piscar de olhos, mas parecia a eternidade.

A cada passo de seus dilacerados pés, a figura de seu amor se fazia mais e mais perto.

Veja, só um pouco mais, um passo a mais, sua mão está logo ali…

E no instante em que a mão direita de Asuna estava prestes a tocar os cabelos negros de Kirito…

Um som rugiu perto dela.

Imediatamente girou seu rosto para a direita e viu…

A forma de um cutelo gigantesco, destroçando as vinhas congeladas, abrindo violentamente espaço à frente.

As pontas do seu manto negro se agitavam como asas demoníacas.

PoH soltou um grito estrondoso.

“EU ESPEREI MUITO TEMPO POR ISSO!! VAMOS DANÇAR… KIRITO!!!”

Gritando seu nome pela primeira vez desde SAO, pelo menos até onde Asuna lembrava, aquele homem brandiu o Mate Chopper que girava no ar como uma ave de rapina.

Envolto em uma aura negra de morte, a aterradoramente grossa lâmina parecia emitir um sinistro grito enquanto se movia para baixo.

Contudo…

Não estava dirigida para Kirito e sim para Asuna e os demais.

“NÃO…!!”

Sortiliena correu para frente, erguendo sua surrada espada, preparando-se para receber o impacto do cutelo.

Entretanto, a arma demoníaca, agigantada mais de três vezes o seu tamanho original, nem sequer precisou entrar em contato com sua espada. A aura que a rodeava foi o suficiente para destruir a arma de Sortiliena, partindo-a pela metade.

O impacto foi tanto que lançou a líder da guarda para longe. Asuna e Ronye correram desesperadamente para ajudar.

Fazendo uma rápida evolução no ar, o cutelo voou novamente em direção ao trio de garotas como um afiadíssimo bumerangue.

“SHIIIIIIIIIIIING!!!”

Com um som parecido com um estampido, Asuna e as demais colapsaram no chão, dezenas de metros para trás.

Contudo, a lâmina do Mate Chopper não as atingiu diretamente, embora tivesse sido lançada com essa intenção. Foi como aconteceu com Asuna momentos atrás, quando uma barreira invisível protegeu do ataque direto do cavaleiro rubro.

O cutelo encontrara uma barreira transparente.

Asuna sentiu perfeitamente dessa vez. O sentimento de proteção contido naquela barreira, como se dois braços a abraçasse ternamente. A mesma sensação que sentira tantas e tantas vezes.

Seu coração lhe dava a certeza do que era.

Ela tinha sido capaz de vislumbrar certo objeto brilhando rapidamente em frente à barreira.

Contornado por partículas douradas em pleno ar, estava uma mão destra com seus cinco dedos abertos.

Um leve ruído se escutou.

Asuna olhou para a esquerda como que seus olhos estivessem sendo atraídos por algo.

Ainda com o rosto para baixo, Kirito havia cravado a espada branca partida no solo com sua mão direita.

E logo, usando a arma como suporte, lenta, muito lentamente foi erguendo seu demarcado corpo.

A manga direita vazia de sua camisa negra ondulava ao vento.

Não, não era isso…

Estava inflada, apontando diretamente para frente… bem onde estava a mão fantasmagórica que sustentava a barreira protetora.

No instante seguinte, a manifestação foi-se juntar com sua origem.

Uma explosão de luz dourada dissipou instantaneamente a aura negra que cercava a barreira, que se estendeu imediatamente em direção ao corpo de PoH, lançando-o dezenas de metros para trás como se não pesasse nada.

Quando a luz apagou, os olhos de Asuna viam nitidamente uma mão direita tangível e completamente regenerada.

Seus olhos correram pelo seu braço, ombro e por fim… o viu.

A franja levemente grande ondulando na brisa.

Lábios encurvados em um sorriso tranquilo, com seus olhos negros a observando ternamente de volta.

Por fim, a boca se mexeu e a voz disse seu nome.

“Estou de volta, Asuna!”

Lágrimas.

Grandes quantidades de líquido quente caíam incontrolavelmente de seus olhos enquanto soluços escapavam de sua garganta.

Asuna apertava suas mãos contra o peito, tentando juntar forças para articular palavras em meio às emoções transbordantes.

“…Bem-vindo de volta, Kirito!”

Em seguida, Sortiliena e Ronye disseram ao mesmo tempo:

“Kirito!”

“Senhor Kirito!”

Depois de sorrir e assentir para as duas, Kirito voltou os olhos para si, para seu perfil surrado e machucado.

Tendo sido lançado há mais de dez metros para longe, PoH estava levantando como se nada de grave tivesse lhe acontecido.

Não deveria existir mais nenhum recurso espacial novo já que todos os jogadores chineses e coreanos tinham parado de se massacrarem entre si e agora encontravam-se presos nas vinhas de gelo.

Porém, mesmo com isso uma nuvem negra continuava a pairar sobre PoH, agitando-se como algo vivo e sendo absorvida pelo Mate Chopper.

Em vista disso, ficou claro que para deter o assassino, deveria antes destruir aquele maldito cutelo.

Procurando retomar sua posição pouco depois de PoH se erguer, Kirito tropeçou levemente e recuperou o equilíbrio logo em seguida.

Asuna quis desesperadamente ir até seu amado para auxiliá-lo, contudo, por estar completamente exaurida, tinha ciência de que se fosse para seu lado, acabaria por se tornar um fardo, seria apenas um obstáculo.

Com isso em mente, tudo que podia fazer no momento era confiar em Kirito, transmitindo toda suas preces na esperança de isso somar a sua força.

Kirito ergueu a mão regenerada e a espada negra que fazia muito tempo que não era desembainhada saboreou o ar novamente.

Ele segurou gentilmente a lâmina em sua mão, observando-a como se fosse uma amiga querida a qual não via há muitos anos, o que de fato não era totalmente uma inverdade.

Tinha a forma diferente da Elucidator, sua amada companheira do passado, assim como a sua igual, a espada branca que segurava em sua mão esquerda e que estava partida ao meio.

Contudo, ao segurar as duas espadas neste instante, parecia a mesma pessoa que havia sido o protetor e ajudado Asuna a ter forças para seguir lutando e jamais desistir.

Aquele que fora conhecido como: O espadachim Negro.

A espada branca seguia irradiando uma luz brilhante como que se desprendesse pó feito de diamantes, emanando onda após onda de um intenso frio glacial.

E mesmo que estivesse mantendo uma técnica incrível como aquela, capaz de congelar simultaneamente quase vinte mil jogadores de uma única vez, Kirito mostrava um semblante tranquilo, sem nenhum sinal de fadiga ou esforço.

Era como se outra pessoa estivesse ali ao lado executando e transferindo-lhe tal poder.

Os olhos de PoH brilharam em vermelho, destacando-se das profundezas da escuridão de seu capuz, olhando intensamente para as duas espadas de Kirito, que caminhava lentamente até ele.

Ao invés de correr, procurar uma posição de ataque, o carniceiro abriu os braços como se estivesse dando as boas vindas, deixando totalmente visível o enorme buraco aberto em seu peito.

“Finalmente acordou, hein? Estou aqui tentando lembrar quanto tempo faz desde que estivemos cara-a-cara…”

A voz do assassino soava como metal raspando em metal. Em contrapartida, recebeu em troca a resposta de Kirito que parecia fria e sem nenhuma nostalgia do tempo em que se encontravam em Aincrad.

“Não faço ideia. Esqueci! Porém, esteja certo de que esta será a última vez que nos veremos.”

“Fiiiu!!”

Assoviou PoH.

“Fantástico… !

Você é realmente o melhor, Kirito.

Vamos… vamos continuar com nosso show que há muito foi interrompido em Aincrad!”

Com um movimento rápido de sua mão direita, levantou o Mate Chopper, aumentado três vezes o seu tamanho original, começando a parecer muito mais um machado do que um cutelo.

As nuvens negras acima dele rodopiaram mais violentamente, envolvendo a imensa massa metálica, tingindo-a em um intenso brilho vermelho sangue.

De pé, em sua frente, Kirito sustentava a espada negra no alto.

Contudo, no momento em que a ponta de sua espada chegou ao ponto mais elevado, seu surrado corpo estremeceu novamente, parecendo incapaz de suportar o peso da arma.

Asuna compreendia que Underworld não era somente um simples mundo VRMMO criado pelo pacote The Seed. Cada objeto era uma referência mnemônica visual, uma memória gravada de si mesmo, algo que podia sofrer interferência com o poder da imaginação.

De acordo com a Integrity Knight Alice, Kirito havia passado quase meio ano deste mundo com o tempo acelerado em um estado catatônico.

Não estava certa que estivesse ciente, que mantesse memória desse período, porém, o mais provável era que sua percepção era de que passara por um longo e desgastante sono.

Havia a possibilidade de que a própria impressão de seu corpo estivesse passando a mensagem de ‘estou enfraquecido’, causando a debilidade física atual de Kirito.

Não, provavelmente era mais do que isso.

Higa Takeru tinha explicado a razão por trás da destruição de seu corpo principal… sua autoimagem.

Foi algo como:

“-Kirito parece ter tido vários amigos, e ‘ter tido’ está no tempo verbal correto, pois praticamente todos morreram durante a batalha contra a Igreja Axiom e como resultado, quando abriu conexão conosco, todo o sentido de culpa que sentia o acertou em cheio. Em outras palavras, Kirito atacou seu próprio Fluctlight. Bem no momento em que as pessoas que invadiram o Ocean Turtle cortaram a força, causando também uma sobrecarga no sistema, sobrecarregando o STL. Consequentemente, o impulso destrutivo de Kirito acabou sendo potencializado e se tornando real, fazendo com que sua existência lá acabasse por ficar em estado vegetativo…

Na época não tinha conseguido processar e compreender toda a extensão daquelas informações, porém, sabia que o maior motivo era por Kirito ter perdido alguém importante para ele neste mundo. Seu espírito acabou sendo destruído, engolido por uma dor inimaginável. Asuna soube do nome dessa pessoa.

Naquela noite quando conversou com Alice, Ronye e Sortiliena até o amanhecer, escutou muitas vezes o nome. O Espadachim de Elite em treinamento, Eugeo.

Kirito!

Chamou em sua mente, observando-o erguendo a espada negra.

Mesmo agora… não consigo imaginar quanta dor e sofrimento tem experimentado. Porém, há algo que posso dizer com certeza.

Teus amigos continuam vivendo em seu espírito. Tal e qual Yuuki vive no meu. Essas memórias te darão forças. A força para pegar sua espada e lutar novamente quantas vezes forem necessárias.

Os pensamentos de Asuna pareciam estar se convertendo em voz, alcançando-o…

A mão direita de Kirito sustentava a espada negra no ar enquanto sua mão esquerda, com a espada branca, era pressionada contra o peito.

Vendo isso como uma abertura, PoH fez seu movimento.

Seu corpo impulsionou-se para frente, cobrindo a distância de dez metros em um instante. Parecia deslizar sobre o solo coberto de destroços.

A enorme e grossa lâmina oscilava para baixo tão rapidamente que parecia não ter peso algum.

Kirito não saiu do caminho.

Preparou a espada na mão direita para receber o impacto. Porém, Asuna notou que a espada não estava nas mesmas condições de antigamente para interceptar aquele ataque.

A espada longa explodiu contra a lâmina do cutelo e por pouco não saiu voando.

Contudo, não tinha bloqueado totalmente, as forças entre eles estavam totalmente desbalanceadas. Sendo pressionado pela força sobrenatural daquele homem, Kirito arqueou as costas para trás.

Procurou manter-se firme em sua base, contudo, seus pés começaram a derrapar, sendo arrastado uns trinta centímetros.

“Ei! Ei!… Não vá me decepcionar logo agora… Estive esperando quase dois anos por este dia…”

Sussurrando desgostoso, o assassino em seu manto negro adicionou também o peso de sua mão esquerda na empunhadura do cutelo, fazendo ainda mais pressão para cima do rapaz.

Rapidamente, a luta ao invés de golpes frenéticos virou um embate de forças.

Enquanto o impacto das duas lâminas fazia o ar crepitar, os joelhos de Kirito começaram pouco há pouco a cederem.

Se pudesse segurar a espada com ambas as mãos, assim como PoH está fazendo… pensou, porém, sua mão esquerda ainda sustentava a outra espada. E mesmo que tentasse utilizá-la, estava partida.

Um sorriso sádico surgiu dentro do vão escuro do capuz.

Novo incremento unilateral de forças entre as duas lâminas foi feito.

Lentamente, porém com decisão, empurrou a enorme arma para perto do pescoço de Kirito.

“…Kirito…!!”

Lamentou Sortiliena com a voz rouca, agarrando sua própria espada despedaçada, prestes a se colocar em pé.

Porém, Asuna a segurou pelos ombros, convicta.

“Está tudo bem, senhorita Liena.”

Sussurrou para a líder da guarda, mentora de Kirito na Academia de Artes com Espada de Centoria Central, suprimindo seus próprios sentimentos angustiantes.

“Kirito ficará bem… ele nunca irá perder contra… um tipo desses.”

Do outro lado, a aprendiz de Kirito Ronye, assentiu entre lágrimas.

“Sim, o senhor Kirito não vai perder!”

“…Certo… vocês têm razão.”

Respondeu por fim Sortiliena, colocando sua mão sobre a mão de Asuna.

Contudo…

O Mate Chopper de PoH parecia se divertir ao ‘ouvir’ as preces do trio de garotas, já que pareceu ficar mais pesado, se afundando muito perto da pele do rapaz.

O joelho esquerdo de Kirito atingiu o solo.

Seu braço direito tremia sem parar enquanto segurava a espada negra, dando a impressão de que estava nos limites de suas forças.

Enquanto Kirito cerrava os dentes, PoH aproximou seu rosto do rapaz e começou a provocá-lo novamente:

“…Está mais do que na hora de jogar essa outra espada de merda fora e segurar de maneira decente essa daqui. Não percebeu que esse bando de chineses e coreanos ferraram um monte de seus amigos? Não devia se importar que eles se massacrem entre si.

Foda-se para eles!! Estou errado? É isso que você quer, não é?”

Sussurrou o demônio.

Kirito, resistindo a enorme pressão, respondeu prontamente:

“Eu conheço muito bem seus métodos. Fazer com que essas pobres pessoas lutem entre si, plantando a semente do ódio e causando mais e mais conflitos.

Foi igual lá em SAO, quando arrastou a mim e todos os outros para seu turbilhão de ódio e loucura. Mas aqui em Underworld… não vai acontecer.”

“Oh…!! É mesmo? E o que vai fazer? Tão logo essa porcaria de gelo derreta e eles vão matar todos esses japoneses que ainda restam e também esses fodidos que residem em Underworld aos quais você tanto se importa.

A única solução definitiva é você matar a todos. Acabe com eles enquanto ainda estão congelados. Seus amigos devem ser capazes de fazer isso… eles são inúteis, mas creio que conseguem ao menos cumprir um trabalho simples desses.

Vamos lá! Dê a ordem… mate todos esses chineses e coreanos filhos da puta!!”

“…”

Kirito não disse nada diante dessas frases venenosas.

Asuna também estava ciente do plano de PoH.

Aprisionados por vinhas de gelo, os jogadores dos países vizinhos ao Japão não pareciam sentir dor alguma, contudo, acabar com suas vidas iria causar-lhes uma insuportável agonia, tanto física quanto mental.

E isso certamente os conduziria a um estado de ira, os enchendo de ódio para todos os japoneses sem exceção.

Sem contar que, ao fazer isso, contribuiria para que o Mate Chopper absorva uma imensa quantidade de recursos espaciais que seria espalhado no campo de batalha quando as vidas fossem ceifadas.

Sem dúvida alguma, em um cenário desses, ele teria poder mais do que suficiente para acabar com Kirito assim como todo o resto dos jogadores japoneses e residentes de Underworld.

Kirito já estava farto desses planos e engendrações.

Não havia motivo algum que o fizesse se render, ainda mais obedecendo aos desejos de PoH.

Então, para evitar este resultado desastroso, tinha que continuar a manter a arte de congelamento em grande escala ativa que estava emanando da espada branca em sua mão esquerda enquanto continuava a enfrentar seu antigo inimigo com a outra espada.

Não havia atalhos, essa era a única maneira.

A situação estava piorando a cada segundo.

Com cada solavanco que recebia ao seguir bloqueando a lâmina gigante, geravam faíscas no ponto de atrito das duas armas.

A lâmina gigante e mortal continuava a descer de modo contínuo. Estava agora a apenas dois palmos entre o pescoço e o ombro esquerdo de Kirito.

“Que seja, não me importo. Vai morrer mais rápido por ser tão estúpido.”

Ria PoH enquanto prosseguia com as provocações.

“Relaxe! Não se preocupe com mais nada, pois assim que te matar, vou enviar a Relâmpago e todos os outros fracotes de quem você gosta para o túmulo, encaminhando-os para onde você estiver. Farei isso até não restar mais ninguém. Eu não sou mesmo um carinha legal?”

Nas profundezas do capuz, os olhos do açougueiro brilharam como fogo fátuo. Sua boca se escancarou, deixando à mostra seus afiados dentes.

“Vamos… deixe-me provar seu sangue e sua vida, Kirito!”

Podia ser alucinação, mas sua língua assumiu uma forma pontiaguda enquanto lambia os lábios que pareciam vermes se retorcendo.

PoH intensificou a força na empunhadura do Mate Chopper. A espada negra rangeu e permitiu que a lâmina do cutelo avançasse mais um pouco…

De repente, o suave som de uma prece se ouviu por de trás de Asuna.

“Por favor, senhor Eugeo! Salve o senhor Kirito!!”

As três garotas olharam rapidamente para suas costas e viram a menina ruiva com as mãos juntas ao peito, Tiezé.

E neste exato instante, Asuna sentiu.

O cabelo de Tiezé ondulou suavemente como se uma brisa refrescante estivesse surgido do nada.

Asuna voltou seu olhar para frente novamente.

O Mate Chopper por fim encontrou o ombro esquerdo de Kirito.

Ao menor toque, o tecido da camisa negra se rasgou.

Antevendo o momento em que o sangue fosse jorrado, a garota não conseguiu mais se conter e fez menção de levantar-se.

Contudo…

No momento em que o cutelo encostou na pele do rapaz, sua lâmina se deteve.

Lentamente, porém com firmeza, a enorme arma começou a ser empurrada para trás.

Como podia o exausto braço direito de Kirito ainda possuir tanta força…?

“Ah…!!”

Um leve som surpreso saiu de Ronye e Sortiliena ao mesmo tempo.

Asuna imediatamente viu a mesma coisa. Uma segunda mão transparente de cor dourada segurava com força a empunhadura da espada negra.

No instante seguinte, Kirito pareceu notar a mão.

Seus olhos arregalaram-se enquanto seu rosto se contorceu em uma mescla de dor e alegria.

Lágrima deslizaram pelo rosto se perdendo no ar.

Os lábios se moveram, porém, inicialmente nenhum som foi ouvido.

E então…

“Ohh… OOOOOOOOOOOOOOOOOOHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!”

Um rugido possante explodiu da garganta de Kirito, forçando o Mate Chopper recuar violentamente.

Os braços de PoH foram lançado para trás com tamanha potência, o fazendo cambalear sem equilíbrio enquanto xingava.

Kirito recuperou sua postura, tirando o joelho do solo, elevou a espada quebrada em sua mão esquerda, gritando:

RELEASE RECOLLECTION!!

Uma luz indescritível explodiu, pintando o mundo de branco.

PoH colocou as mãos em frente ao rosto enquanto se contorcia, parecendo ser incapaz de suportar o brilho cegante.

Mesmo apertando os olhos, Asuna continuou a olhar.

A mesma luz que se espalhou por todos os lados estava se concentrando em volta do corpo partido da espada, regenerando-a, como se a luminosidade estivesse se cristalizando.

Foi restaurada à sua forma original em questão de segundos, fazendo com que o resplendor branco aumentasse ainda mais de tamanho…

O flash percorreu distâncias ainda maiores e pareceu prosseguir para o infinito do território negro.

Depois de um breve instante de silêncio, um som claro e grandioso foi ouvido em todo o campo de batalha, como milhares ou dezenas de milhares de sinos.

Virando para observar tal fenômeno, os olhos de Asuna e das demais garotas se abriram amplamente.

Inúmeras flores surgiram sobre os corpos dos jogadores de VRMMO chineses e coreanos, congelados. Pareciam talhadas em vidro, formando um gigantesco jardim de rosas azuis transparentes.

Florescendo com toda exuberância, as rosas com grandes pétalas começaram a dispersar partículas prateadas de seus bulbos.

Asuna supôs instintivamente que eram recursos de Vida puros… o HP dos jogadores.

Esses jogadores, que há menos de dez minutos estavam engajados em uma torrente de ódio, fervendo de ira, prontos para o massacre, estavam agora inertes, como que estivessem simplesmente adormecidos.

Um a um, suas formas foram se distorcendo em uma coluna de luz, desvanecendo sem deixar rastros.

Não houve dor e nem sofrimento. Podia dizer que foram forçados a realizar o logout, o encerramento de suas sessões da maneira mais tranquila possível.

As sementes de ódio que PoH queria plantar dentro dos corações do jogadores não iriam brotar nunca mais.

“Filho da puta!! VAI PARA A PUTA QUE O PARIU!!!”

O maldito carniceiro, ao ver seu perverso plano completamente destruído, xingou e amaldiçoou tudo e todos, contudo, em seguida recuperou seu sorriso maligno enquanto levantava o Mate Chopper em sua mão direita.

Observando os movimentos de PoH, Asuna compreendeu o que ele estava planejando.

Este campo de batalha estava novamente inundado de recursos espaciais liberados pelas incontáveis rosas azuis. Nos termos de Underworld, o ar e o solo estavam carregados de poder sagrado.

PoH planejava reclamá-lo todo para ele e seu Mate Chopper, usando a habilidade de absorver recursos.

“Kirito…!!”

Aturdida e temerosa, Asuna chamou por seu amado.

Somente por ter absorvido as vidas dos jogadores japoneses assassinado na batalha mais recente, quase duas mil pessoas, a lâmina de PoH havia crescido o triplo de seu tamanho, mostrando um poder que superava inclusive um equipamento de administrador, como a espada de Stacia.

Se chegasse a absorver de uma vez só a vida de vinte mil pessoas, PoH seria de fato um verdadeiro demônio…

Não, pior do que isso, ele seria o próprio Satanás.

Se Kirito não conseguisse fazer algo, como outra arte de larga escala, ela teria que ir ajudá-lo de alguma forma…

Porém, justo quando estava tentando fazer com que suas pernas se movessem, na intenção de se colocar em pé…

Está tudo bem, olhe!

E quando pensava que já havia se ido, ouviu mais uma vez a voz de Yuuki em seu ouvido como uma leve brisa.

Foi então que ela notou. Uma luz prateada juntando-se em pleno ar, ignorando por completo o Mate Chopper de PoH, na verdade, passando através dele sem se deter.

Sem importar como o assassino movimentasse seu cutelo, a luz não se reunia em sua volta.

Outra vez a voz sussurrou em seu ouvido:

Você mesma disse, Asuna. A vida transmite seu espírito.

Essas pessoas reunidas de todos os países no mundo realmente não desejam se matar entre si.

Todos têm os mesmos anseios. Querem visitar e conhecerem novos e emocionantes mundos…

Viver em um lugar maravilhoso, feliz e vívido como o reino das fadas em que a conheci, Asuna…

É disso que se trata.

“…Sim… você está completamente certa, Yuuki.”

Asuna sussurrou praticamente inaudível.

Kirito que mantinha a espada branca erguida, totalmente restaurada no alto, ergueu também a espada negra.

A nuvem negra girando em torno de PoH continuava seu redemoinho e parecia se expandir.

Enquanto um raio de luz dourado se juntou a uma coluna de luz surgida direto do céu azul recém-surgido, aparecendo de uma abertura por entre as pesadíssimas nuvens do território negro.

As colunas luminosas se fundiram e caíram sobre o corpo da espada negra que resplandecia como um cristal escuro.

Release Recollection

De maneira calma, Kirito recitou o mesmo comando de antes.

E instantaneamente…

As incontáveis partículas prateadas ondulando no ar se juntaram e foram sendo absorvidas pela espada negra.

FUCK!!

Xingando em inglês, PoH brandiu o Mate Chopper em claro desafio a Kirito.

Contudo, as partículas pareciam ter elegido seu campeão por vontade própria, preferindo a espada de Kirito ao Cutelo demoníaco.

“O senhor Eugeo me disse uma vez que a espada negra de Kirito originalmente era uma enorme árvore de cedro que cresceu no extremo norte do Mundo Humano.”

Disse Tiezé com a voz embargada atrás de Asuna.

Imediatamente, Sortiliena assentiu com a cabeça compreendendo o raciocínio.

“Entendi… por isso tem a habilidade de absorver o poder sagrado…”

Enquanto as palavras se juntavam com as frases sussurradas de Yuuki, Asuna finalmente entendeu o significado dos eventos ocorrendo diante dos olhos.

Mesmo a espada de Kirito tendo a habilidade de absorver recursos, porque o Mate Chopper de PoH, estava sendo incapaz de absorver os recursos liberados pelas rosas azuis, sendo que tinham o mesmo tipo de habilidade?

Na verdade, era porque a habilidade do cutelo não era absorver a vida e sim… absorver a morte.

PoH mesmo havia dito.

Quanto mais jogadores o Mate Chopper matava, mais forte se tornaria.

Se a imaginação do portador estava concedendo à lâmina demoníaca a habilidade de absorver recursos advindo das mortes, de fato seria mais conveniente que este fosse sob a forma de absorção de morte, liberados através de horríveis assassinatos.

Por este mesmo motivo, a lâmina ficava incapaz de absorver os recursos de vida, os quais com ajuda da espada branca, podiam ser coletados sem a necessidade de morte.

Entretanto, a espada negra de Kirito era diferente. Dado que era, originalmente, uma árvore que sobrevivia do poder da terra e do sol, o poder do portador certamente seria uma imaginação suficientemente poderosa para absorver todo e qualquer tipo de energia, inclusive a da vida.

A espada branca em sua mão esquerda congelou um amplo raio do campo de baralha e liberou a vida de todos encontrados nele no ar.

A espada negra em sua mão direita absorveu a vida do ar e a converteu em energia pura.

Era uma sinergia extremamente simples, porém, acarretava em se tornar um poder sem igual. O par perfeito, a melhor associação possível.

Enquanto absorvia um número astronômico de energia, a espada negra começou a brilhar em dourado. Recursos fluíam através de sua empunhadura para a mão de Kirito.

O corpo do rapaz começou a restaurar-se de maneira excepcional, devolvendo músculos sobre o que antes era apenas pele e ossos.

O renascimento não se limitava apenas à constituição, pois até mesmo sua camisa negra, aos pedaços devido a feroz batalha, se regenerou instantaneamente. Luvas sem dedos surgiram do nada em suas mãos e seus pés foram calçados por grossas botas adornadas com detalhes em metal.

Os raios luminosos continuaram se derramando sobre ele indo para as costas, materializando um grande e lustroso sobretudo de couro negro.

Em instantes, estava vestido novamente com sua característica indumentária dos tempos do antigo SAO.

Em seguida, enquanto o vento sacudia violentamente as amarras de couro presas em seu torso, as bainhas das duas espadas que estavam jogadas ao longe chegaram voando e se prenderam  às cintas e se fixaram firmemente às costas do espadachim em um padrão cruzado.

“… Kirito…!!”

E foi com o coração tomado de grande emoção e olhos lacrimejantes que Asuna teve certeza que a forma verdadeira do Espadachim Negro fora revivida mais uma vez enquanto o guerreiro sustentava as duas espadas no ar.

Um líquido quente rolava pelo rosto de Sortiliena em sua direita e de Ronye à esquerda, acompanhados de soluços quase inaudíveis de Tiezé logo atrás.

Instantes depois, após ter absorvido toda a energia da Vida, Kirito lentamente baixou as espadas.

A maioria dos jogadores chineses e coreanos que abarrotavam o campo de batalha havia sido desconectada.

Asuna rapidamente olhou para trás e conseguiu fazer um último agradecimento com a cabeça para o guerreiro rubro que foi em auxílio a Klein antes que este desaparecesse por completo, jogando o árido cenário em um silêncio sepulcral, fazendo crer que toda aquela sangrenta batalha há poucos instantes não tivesse passado de um sonho.

As únicas coisas audíveis eram o seco sibilo do vento e um terrível som metálico proveniente da espada negra com uma quantidade incomensurável de poder concentrado crepitando no ar enquanto emanava poderosas ondas douradas.

E desistindo finalmente de tentar captar os recursos espaciais, PoH baixou o Mate Chopper em silêncio.

Seu peito continuava perfurado, deixando à mostra o enorme buraco que a OSS de Asuna, a Mother’s Rosario, havia deixado. Significando que quando os recursos que residiam em sua lâmina demoníaca acabassem sua vida também se extinguiria.

Provavelmente o assassino estava ciente desse fato, pois não mais ficava desdenhando como antes, ao invés disso, mantinha-se mudo e imóvel.

Contudo, parecia não admitir sua derrota, já que continuava a emanar uma energia aterrorizante capaz de arrepiar qualquer um que estivesse por perto, fato esse que Asuna comprovou mesmo estando à distância.

Nas profundezas do capuz, os lábios que estavam curvados em um sorriso congelado, repentinamente começaram a se mover.

“Realmente você é o melhor, Kirito. É o primeiro e também será o último que desejo matar com todas as minhas forças. Só lamento que tenhamos que terminar tudo por aqui, porém, não vejo ocasião melhor do que esta…”

E, preparando suavemente o ataque, elevou o cutelo em sua mão direita para trás de si, esticando sua mão esquerda para frente como se estivesse fazendo uma pontaria ou mostrando a tatuagem da Laughing Coffin gravada nas costas de seu punho com os dedos ossudos esticados como um sinal há muito não utilizado.

“… E agora, o que acha de aproveitarmos cada instante dessa nossa última dança, senhor Espadachim Negro?”

As palavras afiadas pareciam carregar toda a maldade contida naquela existência, porém, Kirito respondeu simplesmente:

“Claro, vamos terminar logo com isso!”

Separou seus pés e baixou o centro de gravidade, adotando uma postura com a espada branca à frente e a espada negra para trás.

Uma imensa força combativa emanou dos dois de maneira explosiva, descarregando violentas faíscas para todos os lados no instante em que se chocavam no ar.

E exatamente como haviam dito: o seguinte impacto deveria terminar com tudo.

Com essa previsão, Asuna observou tudo sem conseguir soltar a respiração, com os olhos abertos e o mais atentamente concentrado possível.

A brisa árida castigava o solo…

O Espadachim Negro e o Assassino das Trevas se moveram ao mesmo tempo.

Erguido, o Mate Chopeer de PoH foi engolido por uma luz viscosa preto avermelhada.

No instante seguinte, o assassino estava se movimento a uma velocidade inacreditável, se dividindo em três corpos distintos.

Aquela era uma habilidade de espada que Asuna desconhecia por completo.

Do outro lado, a espada na mão direita de Kirito permanecia apontada para baixo enquanto a espada branca na esquerda era tomada por um brilho vermelho profundo.

A técnica era a conhecida habilidade de espada longa de uma mão Deadly Sins.

Os cortes de PoH, vindo da esquerda, direita e pelo meio foram imediatamente interceptados pelo ataque combinado de Kirito.

Cada impacto da lâmina sangrenta e da espada negra causava poderosos abalos no solo e no ar.

Os três PoHs se dividiram e golpearam duas vezes, totalizando seis ataques. Em seguida, os clones dos flancos desapareceram.

Somente o original seguia se movimentando, conectando de maneira insana o próximo ataque vindo de cima diretamente para baixo.

Kirito bloqueou o impacto com um corte diagonal vindo da esquerda para cima, criando um impacto semelhante à de uma granada detonando.

Sword Art Online Alicization Underworld - Vol18 - Kirito vs PoH

Deadly Sins era um ataque de sete movimentos. Quando a habilidade terminava, Kirito era jogado imediatamente em um estado de rigidez.

Se PoH tivesse outro ataque para continuar, então Kirito não seria capaz de defender-se.

O retrocesso de seu ataque aéreo desviado fez cair o capuz do assassino, revelando pela primeira vez desde o antigo SAO seu verdadeiro rosto.

Aquele fino, bem alinhado e pouco japonês rosto se dividiu entre raiva e um sorriso selvagem…

E outra vez preparou seu cutelo gigante, usando mais potência da energia negra avermelhada acumulada para ir direto para cima de Kirito, visando seu peito…

Sim, era o oitavo golpe.

Porém…

A espada negra no punho direito de Kirito carregou-se novamente com uma intensa luz cor de rubi, ainda mais forte e quente do que quanto executou a skill Deadly Sins e…

Liberando-se do que deveria ser o momento de rigidez de um segundo, a espada negra executou uma estocada com a velocidade de um raio.

Ativar múltiplas habilidades de espadas de uma mão com as mãos esquerda e direita era um movimento especial que somente Kirito era capaz de fazer, chamado de Skill Connect.

Com o estrondoso rugido metálico, como de um motor de alta combustão, o gigantesco impacto do Vorpal Strike colidiu ferozmente com o suposto último ataque do combo de oito golpes de PoH.

A onda de choque fez um rasgo no solo em um padrão radial. Um vendaval de areia e ar crepitante explodiu para todos os lados, alcançando Asuna e as demais garotas à distância, que faziam de tudo para continuar acompanhando o resultado final do duelo.

Quando o vento se acalmou, Asuna pode ver ambos imóveis.

A espada negra e o cutelo gigante quase parecendo incandescente com ambas as lâminas se forçando uma contra a outra.

A luta ainda não havia chegado ao final.

Cada um dele estava concentrando uma energia estrondosa, tentando com todas suas forças interromper o ataque do outro.

Se fosse comparar somente a quantidade de recursos armazenados em suas armas, então a espada negra de Kirito, depois de ter absorvido a vida de vinte mil pessoas, sem dúvida alguma seria muito mais poderosa do que o Mate Chopper de PoH.

Porém, a situação não era tão simples assim…

Neste mundo, a imaginação, Incarnation, como os cavaleiros residentes se referiam, levava consigo a possibilidade de anular qualquer especificação lógica e numérica.

A Incarnation de PoH era extremamente simples e extremamente forte pela mesma razão.

Para assassinar…

Empenhado em encher o mundo com discórdia e desconfiança, o assassino liderou uma guerra através da hostilidade e malícia e isso tudo o alimentou de maneira inconcebível.

Ele estava em seu terreno, em seu lugar, tudo na volta lhe dava vantagem e o fazia ser virtualmente invencível.

Levando esse raciocínio em conta, restava a dúvida:

O que fazia Kirito lutar?

Ele havia perdido um amigo especial neste mundo. Também havia fatores externos é claro, mas passou meio ano inconsciente sofrendo intensamente uma dor incomensurável.

Ainda assim, ele estava justamente nesse instante em pé e empunhando sua espada.

Que tipo de Incarnation estava lhe concedendo tal poder…?

Asuna não podia articular uma resposta, contudo, não precisava se dar ao trabalho.

Kirito sempre enfrentou algo assim, todas suas batalhas envolveram a mesma coisa. Fosse onde fosse, no antigo SAO, ALO, GGO… nada mudou… e aqui não será diferente.

Desespero, dor e sofrimento podiam transformar-se em força.

Lágrimas podiam se converter em luz… e essa luz jamais perderia para a escuridão de PoH.

Não é isso… Kirito?

Asuna não tinha certeza se sua prece havia alcançado seu amado, entretanto, no instante seguinte, um som tênue, porém contundente, foi ouvido.

CRACK!!

A lâmina demoníaca de PoH, a letal arma Mate Chopper que existia somente para que humanos matassem outro seres humanos, começou a se partir. A rachadura, que iniciou-se da ponta, correu o corpo metálico como um raio incandescente em direção à empunhadura.

Após o som quebradiço, o enorme cutelo explodiu em milhares de pedaços, se dispersando para todas as direções…

Junto com a lâmina maldita, o impacto do Vorpal Strike arrebatou a mão direita de PoH, desfazendo a mesma em pedaços e continuou por no mínimo mais cinco metros adiante, através do oponente.

Com um segundo e mais poderoso vendaval provocado pelo golpe, a visão de Asuna foi completamente borrada, contudo, a garota se forçou a ficar de pé.

Ato repetido por Tiezé e os demais ao seu lado, incluindo Klein, Silica, Lisbeth e os demais que agora se encontravam libertados de seu estado cativo. Todos sem exceção se puseram em pé.

Finalmente, a nuvem de poeira se dissipou, sendo possível divisar as figuras entrelaçadas dos dois jogadores de SAO.

Sem armas, as extremidades feridas de PoH se debatiam inutilmente enquanto a espada negra se aprofundava mais e mais em seu corpo.

Porém, Asuna já havia feito ali um enorme buraco, de maneira que o dano naquele mesmo local seria mínimo.

Talvez pela ruptura da fonte de recursos do Mate Chopper, o sangue jorrou de sua boca, assim como do espaço vazio de seu peito, contudo… o sorriso com os dentes arreganhados de PoH permanecia maior do que nunca.

“… Há!…. Não esperava menos de você…

Era disso que estava falando…

Porém, este não é o fim… ahh… mas não é mesmo….

Pois embora desconecte aqui, vou surgir diante de todos vocês mais uma vez… lá fora.

Não importa quantas vezes me vença nesses mundinhos… vou aparecer na frente de cada um e cortar-lhes suas gargantas, arrancar seus corações… principalmente o seu… Relâmpago…”

Diante dessa declaração, dessa ameaça…

A tranquila resposta de Kirito parecia carecer de praticamente toda emoção.

“Não, este é o final como eu já disse. Você não irá se desconectar do Underworld… nunca mais.”

No instante seguinte, a espada negra emitiu um brilho como um flash.

Kirito extraiu lentamente a espada do peito de PoH e deu alguns passos para trás.

E mesmo sem suporte, PoH permaneceu erguido no ar como que preso por mãos invisíveis.

Um sorriso mais de espanto do que de escárnio surgiu em sua estupefata e confusa face. Parecia querer dizer algo mas… sua boca congelou imediatamente.

Seus braços e pernas acompanharam a estagnação instantânea do rosto ao se retorcerem em posições estranhas, emitindo pequenos sons agudos.

E assim, congeladas, suas extremidades foram se torcendo, enchendo o ar com os sons quebradiços mesclados com alguns chiados rasgados. A textura de sua pele e demais roupas foram se modificando ao mesmo tempo.

O couro negro e brilhante se tornou em um material fibroso e escarpado com ranhuras profundas e todo o metal foi virando bulbos que cresceram viçosamente.

Kirito falou uma última vez para o estranhamente desfigurado e retorcido assassino:

“Esta espada uma vez foi um grande cedro que os habitantes da Vila de Rulid chamavam de a Árvore Demoníaca. Nenhum machado foi capaz de cortá-lo por mais de duzentos anos… e agora… bem… eu fluí as memórias da espada para dentro de seu corpo.

E enquanto ainda lhe resta algum raciocínio, tente imaginar o que virá a seguir…”

E exatamente como disse, mais da metade da superfície do corpo de PoH havia se transformado em uma árvore com ramas retorcidas, tão negras quanto o carvão.

Seus pés se fundiram e viraram raízes que se cravaram profundamente ao solo, suas mãos torcidas viraram galhos dobrados em ângulos absolutamente estranhos e seus cabelos eram agora folhas finas e alongadas… não restava nada que lembrasse olhos humanos e boca, não passavam de três sulcos esculpidos em madeira, como que a mesma estivesse em um grito eterno e inaudível de agonia.

“Quando descobrirem que os jogadores chineses e coreanos encerraram de vez suas sessões, teus companheiros certamente irão começar a acelerar o tempo novamente. Não sei quantos anos se passarão até que te tirem do STL… ou quantas centenas de anos, em todo o caso, se fosse você rezaria para que seja rápido já que a alma humana não dura muito.

E pode acontecer ainda de construírem uma cidade por aqui e alguns garotos com machados achem interessante em vir cortar-lhe…”

Não sabia se PoH o tinha escutado ou se ainda lhe restava alguma consciência pois o objeto diante de Kirito não era um humano e sim uma grotesca árvore de cedro de dois metros de altura.

Depois de observá-lo por um momento, Kirito deu a volta e foi direto para onde estava Asuna e os demais.

Sorriu ligeiramente e assentiu com a cabeça para logo olhar para os residentes do Japão e Underworld feridos.

Então, mais uma vez sua mão direita foi erguida e empunhando a espada negra que sustentava um pouco de luz dourada em seu interior, falou…

System Call. Transfer durability, right to area.

VSSSSSSSHHHH….!!

Um tênue, porém, onipresente som encheu o silencioso campo de batalha.

Instantes depois começou a chover.

Recursos que brotavam da espada se materializaram no meio do ar e caíram como uma suave chuva de luz.

Estava curando os corpos retalhados e fatigados dos jogadores japoneses estirados ao chão e também da armada do Exército de Defesa do Mundo Humano, exaustos pela luta contínua.

Talvez, até mesmo seus espíritos estivessem sendo curados também…

Esgotando até o último de seus recursos armazenados, Kirito devolveu gentilmente as espadas negra e branca dentro de suas respectivas bainhas em suas costas.

Dentro da chuva curativa, Asuna não fez nada mais além de olhar fixamente para o Espadachim Negro, que caminhava calmamente até ela.

A garota não fez qualquer movimento, tampouco abriu a boca para pronunciar qualquer som.

Sentia que se dissesse algo, tudo aquilo poderia sumir e não passar de uma ilusão.

Por isso, tudo que Asuna fez for manter seus grandes olhos abertos com um sorriso nos lábios enquanto esperava.

Em contrapartida, caminhando adiante, estava Klein.

Seu braço esquerdo cortado e seu corpo perfurado estavam completamente regenerados, contudo, o portador da Katana seguia apalpando seu peito como se ainda estivesse com dor, mas que logo resolveu correr mais rápido.

“Kirito… Ei, Kirito!!”

Sua voz balbuciante tinha um tom choroso ao mesmo tempo que afetuoso.

“Você… cara….! Você sempre fazendo essas maluquices, não é? Virando o centro das atenções… seu grande… uhh…-!”

Sua frase, mesmo com palavras de censura, na verdade estava cheia de felicidade e conforme ia falando, sua voz ia sumindo, embargada…

O linguarudo samurai agarrou o espadachim e pelos ombros e encostou a testa no peito do rapaz. Em seguida seus ombros tremeram e soluços foram ouvidos.

“Seu… seu… uuuhhh….uuuhuhhhhh…!!!”

Kirito abraçou seu amigo chorão que mantinha os olhos fortemente fechados com líquido brilhante escorrendo pelo rosto.

“… Senhor Kirito…!”

Ronye sussurrou ao lado de Asuna e logo saltou e começou a correr. De seus olhos, lágrimas brilhantes voaram no ar enquanto avançava até se chocar contra o ombro direito de Kirito.

Sortiliena a seguia de perto.

Agil também estava visivelmente emocionado, secando o rosto. Lisbeth e Silica se abraçavam entre si enquanto soltavam gritinhos de alegria.

Da multidão de jogadores japoneses reunidos ao seu redor, entre os rostos conhecidos dos líderes de ALO, Sakuya, Alicia, Eugene, Siune e Jun dos Sleeping Knights e muitos outros, lágrimas de alívio e alegria eram uma constante.

A guarda e a equipe de suporte dos sacerdotes do Exército de Defesa do Mundo Humano, observando tudo um pouco mais afastado também sorriam e choravam aliviados.

Instantes depois, se reuniram em formação perfilada, colocaram um dos joelhos no solo e com as cabeças abaixadas e os punhos cerrados junto ao peito aguardaram uma voz alta e clara que logo surgiu:

“… Desde que lhe vi pela primeira vez, pressenti algo. Soube que essa pessoa com essas duas espadas seria o nosso salvador.”

A voz tranquila chegou aos ouvidos de todos.

Asuna girou para a origem e encontrou o jovem cavaleiro Renri, acompanhado de seu dragão.

Ambos haviam recebido ferimentos fatais, contudo, nesse momento somente partes da armadura apresentava algum tipo de dano mínimo.

Um sentimento cálido preenchia o peito de Asuna de tal forma que ela só conseguia assentir com a cabeça.

Renri devolveu o agradecimento silencioso, desceu de seu companheiro alado e foi caminhando em direção de Tiezé e sentou-se ao seu lado.

Asuna olhou mais uma vez ao redor onde os vinte mil jogadores de VRMMO chineses e coreanos haviam desaparecido sem deixar nenhum rastro e logo pensou…

Uma vez que os atacantes se dessem conta que eles haviam sido desconectados, não usariam mais a tática de trazer recursos do mundo real e voltariam a ativar a aceleração máxima de tempo.

Quando isso ocorresse, Klein e os demais que haviam iniciado sessão pelos seus AmuSpheres iriam ser desconectados automaticamente.

Aparentemente ciente dessa possibilidade, Kirito deu mais um pequeno tapinha nos ombros de Klein e se afastou, se dirigindo aos jogadores japoneses.

Inclinou sua cabeça ao máximo e lhes falou:

“Obrigado… muito obrigado a todos! Honrarei todas as emoções, sangue e suor que derramaram por mim. Estou profundamente agradecido e não desperdiçarei nenhum esforço realizado.”

Sim…

A batalha ainda não estava terminada.

Apesar de seu arqui-inimigo PoH, com os jogadores atacantes americanos, chineses e coreanos tivessem sido derrotados, a mente por trás de tudo, o Imperador Vector, seguia agindo nesse mundo.

Depois de ter sequestrado o fruto do Projeto Alicization, a Integrity Knight Alice, estava neste exato instante voando na direção sul, para o World End Altar, com o intuito de escapar de Underworld e destruir este mundo na sequência.

Asuna suspirou profundamente e após instantes…

Assaltada por uma quantidade imensa de emoções tudo ao mesmo tempo, caminhou através de vários jogadores na direção de Kirito.

O rapaz imediatamente a alcançou com os olhos.

Nesse instante, uma onda incontrolável de sentimentos irreprimíveis explodiu no peito da garota que só conseguia seguir respirando e caminhando.

Havia chegado a hora, ele estava ali esperando por ela.

Não queria se importar com mais nada. Apenas ansiava em voar nos braços de seu amado, chorar como uma menininha, liberar toda emoção há muito reprimida.

Contudo, usou todas as forças para bloquear a emoção transbordante e prosseguir com assuntos mais urgentes.

Breves instantes depois anunciou resoluta:

“Kirito… o Imperador Vector, ele raptou a senhorita Alice e…”

“Sim, eu sei…! Embora esteja um pouco borrado, consigo recordar desse fato em minha mente.”

Kirito assentiu com uma expressão preocupada e logo estendeu a mão direita.

“Por isso, vamos salvá-la! Por favor, me ajude-me, Asuna!”

“… … … !!!”

Ela não podia mais suportar.

Asuna correu imediatamente, agarrou sua mão e pressionou contra o rosto.

O braço esquerdo de Kirito envolveu suas costas e a trouxe para junto de si.

Foi somente um breve abraço, porém, Asuna sentiu como que suas almas estivessem trocando uma quantidade infinita de informações que não podiam ser colocadas em palavras.

Ficaram olhando um nos olhos do outro silenciosamente com o rosto extremamente próximos por mais alguns momentos antes que Asuna assentisse com a cabeça e girassem junto os olhares para os céus do sul.

Kirito ergueu a mão direita para a mesma direção e esticando os dedos como se estivesse tentando agarrar algo, falou:

“… Encontre-os!”

“…Hã!?”

Asuna piscou confusa, entretanto, Kirito nada disse. Apenas lhe mostrou um leve sorrisinho.

E olhando novamente a multidão, o rapaz foi até Klein, lhe deu um pequen soquinho no braço do amigo e repousou gentilmente a mão sobre a cabeça de Ronye e lhes falou:

“Bem, aqui vamos nós!”

E então…

***

Lisbeth observou como Kirito e Asuna estavam envoltos em uma aura brilhante de luz verde enquanto voavam a uma velocidade extraordinária em direção ao sul.

A garota piscou umas quantas vezes antes de conseguir falar algo.

“Francamente… ele sempre vai aos extremos. Não sei se isso é algo bom ou ruim, talvez seja imprudência… mas enfim… é assim que ele é.”

Silica deu uma risadinha conformada.

Klein juntou as mãos com força e gritou:

“Ei, seu maluco, espere aí…!! Mas que droga…!! Qual é a dele?

Sempre tirando uma carta da manga e roubando todo o show…”

Queixou-se o portador da Katana enquanto secava as lágrimas do rosto e ajustava a bandana.

Em seguida gritou o nome de um personagem protagonista de um mangá muito antigo.

Para ele, Kirito era a síntese de pessoa ao qual sempre almejou e admirou desde o tempo em que se conheceram em Aincrad.

Um herói imparável, absoluto e eterno.

É o mesmo para mim.

Lisbeth disse mentalmente enquanto enxugava as lágrimas e olhava para o sul.

Queria gravar tudo que pudesse deste mundo em sua memória, o lugar onde logo seriam expulsos e ao qual… infelizmente não poderiam mais regressar.

Tenho obrigação de memorizar tudo para transmitir a mensagem para todos aqueles jogadores que foram desconectados em meio à agonia e humilhação, é meu dever em anunciar que seus esforços não foram de maneira alguma em vão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EI! PSIU!…

OLÁÁÁÁÁ PESSOAS!!!

E O TÃO ESFUZIANTE (SQN) NERD, PAI DE FAMÍLIA (Que delícia cara!) ESTÁ DE VOLTA.

TUDO BEM COM VOCÊS? 

ENTÃO… MAIS MORTO DO QUE VIVO MAS SEM PARAR DE TRADUZIR, VOLTEI PARA ESTE CANTINHO DO MUNDO CHAMADO SITE.

ESTIVE (ainda estou) COM O PÉ NA ESTRADA, VIAJANDO PARA OS LOCAIS MAIS ERMOS DO BRASIL (as vezes fora) PARA IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS MÉDICOS E PRATICAMENTE NÃO TENHO TEMPO PARA NADA. CONTUDO, VEZ OU OUTRA PEGO O MATERIAL DE SAO E COMEÇO A ME DIVERTIR.

O POST PASSADO FOI PUBLICADO PELA EXCELENTÍSSIMA DONA RUIVA QUE TEVE ALGUNS PROBLEMINHAS MAS CREIO QUE FOI TUDO A CONTENTO.

É PROVÁVEL QUE ISSO SE REPITA ALGUMAS VEZES ATÉ O FINAL DO ANO, PORÉM, NÃO É NADA QUE PRECISEM SE PREOCUPAR.

E AGORA, SEM MAIORES DELONGAS, VAMOS PARA O QUE OCORREU AQUI.

SIM…. SIIIMM… SSSIIIIIMMMMMMMMMM!!!

O DESGRAMADO FINALMENTE ACORDOU!! \o/ 

TROCENTOS CAPÍTULOS DEPOIS, 4 FUCKING VOLUMES DE ESPERA… E O MONSTRO SAIU DA JAULA.

FOI SOFRIDO, FOI ARRASTADO, ENROLADO, IRRITANTE,MAS ENFIM… ACORDOU.

FOI ABSOLUTAMENTE INCRÍVEL! LUTAS, SUSPENSE E AQUELE HACK FORMOSO, BEM FEITO, DE RAIZ…

E POR FALAR EM RAIZ… O PoH FINALMENTE COLHEU O QUE PLANTOU (nossa!!… terrível… hehe), VIROU UMA BELA ÁRVORE DEPOIS DE SER COMPLETAMENTE VENCIDO.

ACHEI BEM OK ESSE FINAL, NADA MAIS E NADA MENOS DO QUE ESPERAVA, NENHUMA RESSALVA QUANTO.

TALVEZ TIVESSE ALGUMA COISA CONTRA SE ELE APENAS FOSSE COMER GRAMA… PELA… RAIZ (desculpe… está meio incontrolável…) DE MANEIRA SIMPLES. ACHEI QUE A JOGADA DE FICAR INCAPAZ, PRESO POR UM SEM NÚMERO DE ANOS ATÉ SER SOLTO, A INCERTEZA SE DE FATO SERÁ LIBERTO ANTES DE SUA ALMA DEGENERAR E DESAPARECER, ALÉM DA NÃO REALIZAÇÃO DE SUA VINGANÇA FOI MELHOR DO QUE UMA MORTE PURA E SIMPLESMENTE, QUE DE CERTA FORMA, CREIO QUE É O QUE ELE QUERIA DESDE O TEMPO DE CRIANÇA.

BUENO, FOI ÓTIMO VER A RECUPERAÇÃO DO KIRITOSO E EM SEGUIDA UMA BOA LUTA, PONTO PARA O SENHOR REKI.

CONTUDO…

PORÉM…

ENTRETANTO… E….

TODAVIA…

ACHEI SUPER MAIS OU MENOS A GALERA TODA SE JOGANDO PARA CIMA DO CARA E A DONA ASUNA ALI, CHORANDO COMO UMA MENININHA FRÁGIL, TUDO QUE ELA NÃO É.

OK, OK, OK… EMBORA TENHA ENTENDIDO QUE ELA NÃO PRECISA FAZER UMA ENORME CENA EM FRENTE A TODOS POIS TEM SEGURANÇA EM SI PRÓPRIA, QUE A RELAÇÃO DELES NUNCA DE FATO FICOU AMEAÇADA (o harém sempre foi unilateral apesar do senhor Kiritoso nunca deixar BEM CLARO para as outras partes), AINDA ASSIM, NÃO CURTI MUITO O MODO COMO FOI DESCRITO, MAS ENFIM, MINHA OPINIÃO EM NADA INFLUENCIA, É APENAS… MINHA OPINIÃO 🙂 .

EM CONTRAPARTIDA, RI MUITO COM O KLEIN, ESSE CARA TEM A FICHA 1 DE FÃ DO KIRITO. JÁ DISSE QUE ELE É MEU PERSONAGEM FAVORITO? 

CERTAMENTE QUEBROU A EXPECTATIVA DE TODOS, PASSANDO NA FRENTE DA MULHERADA AO IR LÁ E AGARRAR A BELA ADORMECIDA. ALÍVIO CÔMICO NA DOSE CERTA HEHEHE.

E ERA ISSO, NÃO TENHO MUITO O QUE DIZER DESSE CAPÍTULO, APENAS QUE FOI COMO LAVAR A ALMA, REENCONTRAR UM VELHO AMIGO QUE HÁ MUITO NÃO SE VIA.

AGORA É BOLA PARA FRENTE, CORRIDA EM DIREÇÃO AO FIM DO MUNDO EM BUSCA DA LOIROSA.

OBS.: A PARTICIPAÇÃO INDIRETA DO EUGEO FOI EMOCIONANTE, O QUE ME FAZ TER UMA BELA DÚVIDA PARA A MÚSICA DE FUNDO…

ERA ISSO, MUITO OBRIGADO POR CHEGAREM ATÉ AQUI COMIGO, EM BREVE VOLTAREI (senão será a Ruiva again) E UM FORTE ABRAÇO.

==== SETOR DA DOAÇÃO ====

Resolvi deixar o canto da doação, pois ainda tenho a hospedagem e tal.

Se alguém quiser dar uma força, ok, se não puder, ok também. Sem problemas minhas pessoas 🙂

Valeu pessoas e forte abraço!


Também estamos no Tumblr e no Pinterest

Fiquei na dúvida mas acho que encontrei uma música boa.

Segue o link: