Sword Art Online Alicization – Awakening – Capítulo 20 – Parte 1.3

Arco: Sword Art Online Alicization Underword – Awakening

Capítulo 20

Sword Art Online Alicization Underworld - Awakening

Cerca de um minuto antes, no lado sul do campo de batalha.

A Integrity Knight Alice cortava incontáveis soldados vermelhos que apareciam pela frente sem parar.

Aqueles inimigos, contudo, eram tanto quanto estranhos.

Eles não pareciam espadachins de verdade, não pareciam treinados ou possuidores de estilos de combate com espada. Simplesmente investiam adiante sem parar, como uma horda desprovida de medo, pisoteando por cima dos corpos de seus companheiros enquanto gritavam uma gama de coisas em uma língua estranha.

Eram quase como se não ligassem, não tivessem apreço pela vida, tanto de suas, quanto de seus companheiros e inimigos. Em resumo, não pareciam ligar para nada ali, sendo movidos somente por emoções bélicas e viciadas de guerra e matança.

Se as pessoas que viviam no Mundo Real eram assim, aparentemente o que Asuna tinha dito estava certo, que o outro lado não era nem de perto o Mundo Celestial, a morada dos deuses.

Com o massacre sem fim e devido a incessante aparição dos inimigos, até mesmo a velocidade impecável de reação de Alice começou a sofrer um decréscimo.

Tudo aquilo já havia deixado de ser uma batalha, na verdade, nunca foi de fato uma guerra. Era só matança indiscriminada.

Com o sentimento angustiante de urgência, a garota começou a perder a calma.

Em sua mente, agora só havia um objetivo: sair dali.

Rápido, atravessem esse mar de monstros, saiam daqui! Sua mente gritou.

“Saiam do caminho!… SAIAM DO MEU CAMINHO!!”

Colocou seus pensamentos em forma de gritos enquanto jogava a Fragrant Olive Sword de um lado para o outro, arrancando cabeças, mãos, pés e o que mais fizesse parte dos corpos dos inimigos.

System Call!!

Sem se deter em apenas manejar a espada, começou também a recitar de maneira acelerada um encantamento que formou dez elementos termais os moldando como uma enorme lança flamejante e disparando assim que a forma se definiu.

Discharge!!!

“DOGAANNN!!!”

Ainda que não fosse proveniente do Conflagrant Flame Bow de Deusobert, conseguiu uma gigantesca explosão que perfurou toda a formação inimiga, abrindo um rombo à frente.

Com isso, finalmente viu…

Uma colina além do tumultuado mar de sangue, elevando-se em meio a terra enegrecida.

Se conseguisse chegar até o topo dela, desviando dos inimigos, poderia usar os recursos espaciais dispersos por todo o campo de batalha e chamar novamente a Sealed Mirror Light Art, o mesmo ataque que iniciara o conflito entre os territórios.

Certamente com seu poder de impacto, conseguiria reduzir todos os soldados vermelhos a pó.

“CAIAM FORA DA MINHA FRENTEEE!!!”

Alice recomeçou a gritar enquanto corria.

“…-cesa! Nã-…!! ”

O grito entrecortado em meio à gritaria dos inimigos pertencia ao Knight Commander Bercouli que dizia: ‘-Princesa! Não vá adiante!’ Porém, não foi suficientemente forte para chegar aos ouvidos de Alice.

“Estou quase lá!! Vamos conseguir!!”

Sem deter seus pés, partindo o último inimigo que a bloqueava ao meio, Alice finalmente irrompeu ao cerco que parecia infinito e ganhou o solo desértico livre para correr.

Seguiu em linha reta na direção sul, embainhou sua espada enquanto inspirava fortemente aquele ar carregado de cheiro acobreado de sangue para empreender ainda mais velocidade.

Quando já tinha alcançado certa distância, repentinamente o mundo pareceu escurecer.

O que houve com a luz do sol?

Pensou Alice, cogitando que tipo de local estranho era o Dark Territory com suas mudanças climáticas e geológicas.

Contudo, nesse mesmo instante, sentiu um forte golpe em suas costas.

Percebeu imediatamente que fora agarrada pela pata de um dragão que surgiu tão rápido quanto um raio. E sem nenhuma demora já se encontrava a vários mels de altura do solo.

Sem se dar ao luxo de tentar avaliar a situação, Alice tratou de ativar seu Armament Full Control Art, porém, antes que conseguisse terminar de recitar os comandos, foi completamente envolvida em um manto de escuridão pura, sentindo um frio tão intenso que roubou imediatamente toda a caloria de seu corpo e alma.

Era alguma Dark Art do cavaleiro montado no dragão? Não, não era nada parecido.

O fenômeno era algo mais complexo do que isso, tão intenso e poderoso que somente com um leve toque foi capaz de fazer com que sua consciência começasse a desvanecer, a arrastando para um estado de suspensão em meio à densa e infinita escuridão.

Aquilo certamente se tratava da manifestação da Incarnation do inimigo.

Entretanto, era completamente diferente das outras que havia presenciado, como por exemplo, a de seu mestre Bercouli, que se assemelhava ao aço polido e brilhante ou a da ardente e voraz apresentação da Incarnation da Alto Ministro, a Administrator.  Essa coisa era algo mais… consumista, absorvendo tudo que tocava, era a verdadeira síntese do vazio, a encarnação do nada.

Esse fora o último pensamento que Alice conseguiu antes que sua consciência se perdesse.

***

Para o Imperador Vector/Gabriel Miller, essa era uma senhora aposta de risco.

Contudo, acreditava firmemente que mesmo diante da enxurrada de jogadores norte americanos fazendo imersão diretamente no campo de batalha e cercando todos, atacando sem discernir quem era quem, sua Sacerdotisa da Luz, Alice, certamente seria a primeira pessoa a conseguir romper aquela barreira para tentar fazer algo como ativar novamente o ataque de luz que utilizou no momento em que se mostrou ao Dark Territory.

Por isso, ele ficou sobrevoando nas costas de seu dragão, afastado do foco da batalha só esperando pelo momento certo. Cada segundo aguardando era uma eternidade, o tempo parecia se desdobrar, tudo ficava mais e mais denso na medida em que a imersão em Underworld seguia.

Contudo, sabia que todos seus esforços tinham sido recompensados no instante em que a viu.

Aquele flash de luz dourada correndo através da multidão de soldados vermelhos, que naquela altura, assemelhavam-se às formigas que costumava estudar na infância.

“Alice… Alicia…!”

Gabriel mostrou um sorriso raro e genuíno enquanto sussurrava os nomes, da Sacerdotisa e de sua antiga amiga e primeira vítima humana.

Dessa forma, agitou as rédeas da criatura alada, fazendo o enorme dragão ir em direção ao solo em um mergulho vertical como uma flecha.

Sua inacreditável e terrível imaginação, que deu origem a Incarnation de vazio, já havia consumido completamente a I.A. do dragão, convertendo-o meramente em uma ferramenta controlável a seu bel-prazer.

A besta, sob total obediência, lançou-se em direção ao solo, agarrando firmemente as costas da mulher cavaleiro.

“WOOOSH!!!”

Assim que atingiu seu alvo, as asas do dragão se abriram, criando um ruído extramente forte e abafado, retomando as alturas novamente.

Aquele homem jamais prestou a atenção no sangrento campo de batalha que havia criado.

Para ele, qualquer coisa que acontecesse com os exércitos do Dark Territory, do Mundo Humano ou das pessoas que vieram do mundo real, havia perdido totalmente seu valor, pois agora, nada mais importava, havia conseguido seu prêmio, sua doce recompensa.

Tudo que precisava fazer era avançar diretamente até o console do sistema que ficava no extremo sul, em um local chamado de World End Altar e dali, transportar a alma de Alice para o mundo real e também fazer sua desconexão.

A visão de Gabriel foi lentamente para baixo e se deteve ao ver o esvoaçante cabelo dourado da inconsciente mulher cavaleiro, ondulando como fios de ouro sob a pressão das garras do dragão.

Quero senti-la o mais rápido possível. Quero tocar seu corpo, quero saborear sua alma até ficar satisfeito.

Ainda haveria uma longa viagem até o console do sistema. Mesmo utilizando um dragão, era algo que levaria vários dias para transpor. Poderia inclusive aproveitar esse tempo para desfrutar de Alice apropriadamente, já que nessa realidade, Underworld, ela tinha um magnífico corpo físico.

Enquanto as possibilidades do que poderia fazer, do quanto poderia se divertir passava por sua mente, um diferente estímulo começou a subir como uma serpente desde a base de sua coluna, fazendo os cantos da boca de Gabriel subir de maneira predadora.

***

Como isso era possível?

Ele tinha transformado tanto os cinquenta mil soldados do exército do Dark Territory quanto os trinta mil recém-convocados em peões descartáveis somente para…

Capturar uma garota!?

Desde que o Knight Commander Bercouli havia sentido a encarnação do vazio surgir na existência chamada Imperador Vector, um intenso sentimento de inquietude havia tomado seu ser. Porém, no instante em que viu Alice ser capturada do outro lado da batalha é que finalmente se deu conta de que suas apreensões sobre os movimentos do inimigo eram somente a ponta do iceberg.

Tinha sido ingênuo demais.

Depois de se deslocar quase que instantaneamente até o local onde vira a garota ser raptada, Bercouli fez algo que não fazia há centenas de anos, deixou sair de sua garganta um possante rugido de raiva.

“SEU MALDITO, O QUE FEZ COM MINHA APRENDIZ!!??”

Suas palavras perfuraram o ar, agitando tudo em seu caminho, levantando nuvens de poeira em sua trajetória.

Ainda assim, essa enorme manifestação foi completamente ignorada pelo captor de Alice. Ele apenas seguiu seu curso voando em direção aos céus do sul sem sequer olhar uma única vez para trás.

Bercouli imediatamente levantou sua amada espada e começou a mirar na criatura alada.

Contudo, o rombo na formação inimiga que a Alice havia feito já estava se fechando outra vez, impossibilitando a visão para um ataque.

Os inimigos haviam voltado parecendo mais enfurecidos do que antes, destilando maldições e xingamentos naquela língua estranha, sem dar descanso para suas vítimas.

“Você não vai….”

Antes que Bercouli pudesse completar a frase ‘…fugir!’, luzes prateadas sobrevoaram por cima de sua cabeça.

“KIRIKIRIKIRIRIRI!!”

O som agudo foi reconhecido imediatamente como sendo do instrumento divino do Integrity Knight Renri, a Twin Edged Wings.

Em seguida, a voz do jovem cavaleiro foi ouvida:

Release Recollection!!

Com um flash de luz ainda mais forte, as duas lâminas colidiram entre si e se fundiram.

Uma navalha em forma de cruz voou na altura do solo, zumbindo sem parar em sua trajetória afiada, cortando todos os inimigos que estavam vindo pelos flancos para fechar a abertura feita.

“Vá, Knight Commander!!”

Gritou Renri enquanto Bercouli lhe dava um olhar preocupado e respondia:

“Sinto muito, deixarei esses para você!”

Assim que terminou de falar, inclinou seu corpo e se moveu de maneira explosiva enquanto colocava o pé direito à frente.

No instante seguinte, seu corpo pareceu se transformar em um borrão branco, explodindo por entre a brecha aberta no grupo inimigo a uma velocidade infinitamente maior do que a dos Lutadores do Dark Territory carregados com os efeitos de sua dança marcial, deixando para trás apenas o solo destroçado do impulso inicial.

Contudo, mesmo com tamanha agilidade, o dragão que carregava Alice já havia se transformado em um pequenino ponto negro no horizonte afastado.

Enquanto Bercouli corria, colocou os dedos de sua mão esquerda na boca e produziu um assovio altíssimo.

Segundos depois, um par de asas prateadas gigantescas surgiu por entre as nuvens carregadas, era o dragão de Bercouli, Hoshigami.

Contudo, não somente um dragão voava na direção do Knight Commander, em seu encalço também acompanhava o companheiro de Alice, Amayori e seu irmão Takiguri, que pertencia ao falecido cavaleiro Eldrie.

“Então, vocês também querem ir…”

Bercouli foi tomado brevemente pela emoção, sem se importar que provavelmente ele não tivesse condições de controlar aqueles dois dragões e fazê-los permanecer fora da jogada.

Hoshigami fez uma manobra deslizando rente ao chão conforme se aproximava da posição de Bercouli e estirava suas garras até seu mestre.

Assim que ficaram emparelhados, o Knight Commander saltou na pata esquerda do dragão e depois se impulsionou para cima, caindo sobre suas costas.

“Vamos!!”

Hoshigami, Amayori e Takiguri se moveram diante da ordem.

E batendo de maneira sincronizada, os três pares de asas voaram rumo ao horizonte violeta.

Muito a frente dessa formação triangular dos dragões, dentro da garra da besta alada negra, um clarão dourado brilhou por uma fração de segundos.

***

Depois que os quatro mil Lutadores avançaram velozmente pela ponte de pedra, se uniram com seus quase duzentos companheiros sobreviventes, criando uma formação defensiva acompanhando o pessoal do exército de defesa do Mundo Humano e se lançaram contra a barreira inimiga como um aríete gigantesco.

Organizaram-se em linhas perfiladas e estreitas compostas de dez pessoas. E levantando seus punhos direitos em perfeita sincronia, assumiram suas posições de ataque.

“U… RA!!”

Com um rugido uníssono, os dez punhos perfuraram tudo ao se arremeterem contra as armaduras rubras, arrebentando espadas, machados e lanças como se não fossem nada. Gritos, sangue e estilhaços voavam para todos os lados. Com essa única investida, várias dezenas de inimigos foram enviadas para trás.

Depois desse golpe carregado com o mais alto espírito de luta, os dez Lutadores abriram rapidamente a formação, retirando-se para ambos os lados, dando brecha para a segunda fileira de seus dez companheiros avançassem assumindo também a postura de ataque.

“URARA!!”

Dessa vez, o segundo pelotão não socou, ao invés disso eles investiram levantando seus pés e executando voadoras perfeitamente coordenadas, arrebentando mais um grande número de inimigos que produziam sons como bombas de impactos sendo deflagradas e voando para todas as direções.

“…Uau!”

Asuna não podia deixar de se maravilhar enquanto fechava a ferida em seu braço esquerdo com uma arte curativa que havia tomado conhecimento na noite anterior.

Ao ver tamanha excelência em movimentos de luta, até mesmo Sheeta, que tinha se aproximado da garota, parou para assistir um pouco impressionada enquanto bebia uns goles de água.

A técnica de batalha dos Lutadores era de certa forma similar à tática de troca dos guerreiros da vanguarda do antigo SAO quando lutavam contra os chefes dos andares, contudo, os movimentos e coesão dos ataques eram muito mais aprimorados e adaptados.

Dez pessoas perfiladas com dez fileiras no agrupamento. Ao todo constituíam mais de quarenta grupos com cem pessoas, que destroçavam seus inimigos como uma enorme máquina de demolição ao colocar prédios abaixo.

O líder inimigo, que temporariamente estava agindo como um aliado ficou parado ao lado de Asuna com seus braços cruzados e com uma expressão séria.

De fato, mesmo que os Lutadores estivessem abrindo caminho sem parar, a derrota chegaria cedo ou tarde caso o inimigo, que o superava em número de componentes, resolvesse atacar pelos flancos ao invés de permanecer nessa investida direta.

Essa era a dura realidade, mesmo que vários tivessem perecido, ainda contavam com mais de vinte mil estadunidenses enlouquecidos para lutar.

“Então… depois que rompermos a formação inimiga e chegarmos ao sul do campo de batalha, vamos nos afastar o máximo que pudermos. Quando isso acontecer, criarei outro cânion para separar a gente dessa horda vermelha. ”

Asuna falou em voz baixa.

Contudo, mesmo dizendo aquilo, será que conseguiria? Pois mesmo agora, com o esforço de somente criar uma pequena ponte quase a fez perder a consciência. Se ela tiver que realizar outra manipulação geológica em grande escala, poderia até ser desconectada de maneira forçada… ou pior, seu cérebro poderia sofrer um enorme dano, se desconectando de sua própria alma…

Asuna mordeu os lábios e desejou esquecer essas preocupações por hora. Pois não importava como, ela teria que fazer.

Convocar todos esses americanos para Underworld provavelmente era o último recurso do Imperador Vector. Logo, se conseguisse se encarregar deles, ainda que fosse desconectada, não iriam tocar em Alice.

E justo no momento que pensava isso, do lado sul, um soldado chegou correndo até Asuna totalmente ensanguentado.

“Novas ordens!! Novas ordens!!”

O soldado ferido gravemente, com metade de seu rosto tingido de vermelho vivo, caiu de joelhos em frente à Asuna, e reunindo suas últimas forças, falou as seguintes palavras:

“… Informe do senhor Integrity Knight Renri! A senhora Integrity Knight Alice foi capturada pelo comandante inimigo que foi voando com seu dragão na direção sul…!!”

“Mas o q-…!?”

Asuna estava estupefata.

Com toda razão, já que jamais imaginou que toda essa situação com a horda vermelha fora criada intencionalmente apenas para servir de uma maneira de afastar Alice do exército do Mundo Humano, de isolá-la de seus companheiros.

“O Imperador… era para lá que estava voando!?”

A voz entrecortada não pertencia nem de Asuna e nem de Sheeta. Ela vinha do líder Lutador cujo único olho começava a brilhar de maneira estranha.

“Então… naquela hora, aquele dragão… ele não estava mesmo aqui para cuidar de suas tropas… ele queria apenas…

EI, MULHER!!”

O olhar feroz daquele homem focou Asuna transmitindo urgência.

“Essa tal de Alice que falaram… ela é a Sacerdotisa da Luz, não é? Diga-me, porque o Imperador está tão interessado nela? E caso ela caia em suas mãos, que merda vai acontecer?”

“Esse mundo… será destruído.”

Asuna respondeu de maneira direta e simples. A expressão do Lutador era de total incredulidade.

“Quando o Deus da Escuridão Vector levar Alice, a Sacerdotisa da Luz, até o World End Altar… esse mundo, seja o Mundo Humano ou o Dark Territory, todos seus habitantes serão eliminados.”

A voz de Asuna ainda não havia silenciado quando se deu conta que o que dizia, suas palavras, soavam exatamente como as linhas de enredo de um RPG clássico de capa e espada, contudo, aquilo era cem por cento verdadeiro. Tão pronto a equipe de assalto do Ocean Turtle colocasse as mãos na alma de Alice, era fácil de imaginar que o Light Cube Cluster se tornaria inútil para eles, dessa forma, certamente o destruiriam sem misericórdia.

Nesse instante, a única pessoa ali parecendo reacionar diante da revelação perturbadora de Asuna era a mulher cavaleiro de cabelos cinza que estava de pé ao seu lado, Sheeta, que após tomar mais um gole de água do cantil, amarrou o mesmo em seu cinturão e disse friamente:

“Mesmo para um dragão é impossível manter-se voando para sempre… Quando muito, conseguem fazer isso por meio dia.”

E antes que Sheeta continuasse, o líder dos Lutadores lhe deu disfarçadamente um olhar enigmático e penetrante para depois desviar o olhar e golpear seu punho contra a palma da mão.

Ao fazer isso, disse de maneira resoluta:

“Então, é só ir rápido! Vamos alcançá-lo!”

“Hã? Como assim alcançá-lo? Você não é…?”

Asuna olhou para o jovem líder inimigo com surpresa.

“Você não é do exército dele? Não é um guerreiro do Dark Territory? Porque faria isso… !?”

O rapaz respondeu como um garotinho que fora abandonado e magoado.

“O Imperador Vector… disse claramente para mim e para todos os outros Dez Lordes do Conselho do Dark Territory. Só queria a Sacerdotisa da Luz. Caso a conseguíssemos para ele, não se importaria com que nós faríamos depois.

E nesse instante em que ele a possui, o Imperador alcançou seu objetivo… em outras palavras, a missão de todos do Dark Territory fora completamente encerrada.

Sendo assim, creio que significa que estamos livres agora. Inclusive para podermos colaborar com o pessoal do Mundo Humano para salvar a Sacerdotisa da Luz, não concordam?”

Mas que maluquice!

Asuna ficou observando o jovem líder inimigo sem conseguir dizer uma palavra.

Contudo, embora tenha dito aquilo cheio de orgulho por um momento, sua expressão mudou para algo mais trágico e doloroso.

“Mas… embora queira ir, provavelmente não poderei…

Não temos liberdade suficiente para nos rebelarmos diretamente contra o Imperador. Sua força é indescritível… mesmo para o Dark General Shasta, que era muito mais poderoso do que eu sou atualmente, foi assassinado em instantes sem o que o governante levantasse um dedo.

Se formos juntos, é bem capaz dele ordenar que lutemos contra vocês… e se for assim, não poderemos desobedecer.

Por isso ficaremos aqui e os defenderemos dessa armada vermelha enquanto você e o exército do Mundo Humano perseguem o Imperador o mais rápido que podem.

E quando alcançarem… quando chegarem até esse… Imperador… esse maldito desgraç-…!!…”

As palavras do jovem foram interrompidas repentinamente enquanto seu rosto se retorcia em nítido sofrimento que parecia vir do lugar onde deveria estar seu olho direito.

Contudo, forçando-se a continuar, o jovem Lutador prosseguiu:

“Diga para esse… maldito desgraçado, que não somos suas marionetes!!!”

Nesse momento, gritos vieram dos agrupamentos de Lutadores no lado sul do campo de batalha. A vanguarda deles finalmente conseguiu romper o cerco da armada vermelha, ganhando acesso ao deserto.

“Muito bem!!!”

“ZUDAN!!!”

O líder da Guilda dos Lutadores pisou com o pé direito fortemente no solo e emitiu uma ordem em um tom extremamente alto e possante:

“Aí cambada!! Mantenham essa brecha!!!”

Logo depois virou-se para Asuna e disse:

“Corra! Não podemos manter isso por muito tempo.”

Asuna assentiu enquanto respirava fundo.

Essa pessoa também é um ser humano.

Não importa se é um Fluctlight Artificial, sua alma que está cheia de orgulho é tão real quanto qualquer outro humano. Nós partimos as cordas que seus companheiros estavam usando para atravessar o cânion e assassinamos diversos de sua tribo e mesmo assim, ao invés de procurar vingança como uma máquina de ódio, ele preferiu ouvir seu coração.

“…Muito obrigado!”

Foi só o que Asuna pode dizer antes de girar nos calcanhares para iniciar o avanço.

Pouco antes de a garota sair correndo, de suas costas escutou a voz da Integrity Knight Sheeta.

“Eu… ficarei aqui.”

Já havendo antecipado essa decisão, Asuna apenas olhou para trás e viu um pequeno, quase ínfimo sorriso surgir nos lábios da mulher cavaleiro.

“Entendo, confiarei que cubra nossa retaguarda!”

***

Iskhan observava como aquela estranha mulher de cabelos castanhos comandava o exército do Mundo Humano como se fosse algo tão natural quanto respirar. Ficou impressionado ao vê-la coordenar o reduzido contingente de cerca de setecentas pessoas a passar pela brecha que seus homens estavam mantendo.

Não importando como se olhasse, era uma visão completamente inusitada em meio à batalha tão sangrenta quanto aquele.  Contudo, após instantes, desviou o olhar e o fixou na Integrity Knight ao seu lado.

“…Está tudo bem para você, mulher?”

“Mulher? Creio que já disse meu nome.”

O observando com aqueles olhos penetrantes, o Lutador só conseguiu rir enquanto mudava seu argumento.

“Está certo, deixe eu perguntar novamente. Está tudo bem para você, Sheeta? Não consigo garantir que vamos sair com vida dessa luta.”

A esbelta guerreira deu de ombros, fazendo sua nova armadura estalar.

“Pouco importa! Contudo, ninguém ali terá a oportunidade de te matar, pois esse direito é só meu.”

“Hmph, se você diz…”

Sem se conter, Iskhan deu uma bela risada.

Com intuito de evitar que seus companheiros morressem inutilmente, ele havia forçadamente escolhido trabalhar junto com o exército do Mundo Humano. Porém agora, ele deliberadamente estava colocando em jogo a vida desses mesmos homens para proteger as pessoas do outro território de morrerem nas mãos da armada vermelha.

A guerra realmente era um evento ímpar.

Contudo, mesmo com a situação beirando a desesperadora, sentia seu coração muito leve, como se finalmente tivesse fazendo a coisa certa.

Bem, mesmo que morra aqui, até que não será de todo mal.

Se fosse para morrer protegendo este mundo, seus pais, irmãos e todas as pessoas de sua terra natal definitivamente o entenderiam.

“Muito bem!! Vamos acabar com todos esses malditos!!”

Com um rugido, elevando a moral de seus companheiros, os Lutadores se inflamaram ainda mais, partindo a ofensiva aberta.

“URAAA!!!”

“Formem um único círculo!! Deem atenção à todas as direções e eliminem qualquer desgraçado que surgir pela frente!!”

“Você está realmente com tudo, Champion!!”

Dampe já havia tomado sua posição habitual, protegendo a retaguarda de Iskhan e fazendo com que seu punho esquerdo começasse a brilhar pronto para o embate.

***

Enquanto Asuna estava liderando o exército, passando sobre a colina do sul e retirando-se até o bosque guarnecido pela equipe de suprimentos, o jovem cavaleiro Renri a informou sobre como o Knight Commander havia pego três dragões e iniciado a perseguição ao Imperador Vector.

“…Você acredita que ele conseguirá alcançá-lo?”

Diante da dura pergunta de Asuna, o rosto infantil de Renri respondeu seriamente.

“Sendo honesto, as possibilidades são muito pequenas. Resumindo, os dois estão voando praticamente na mesma velocidade, ou seja, precisarão do mesmo período de descanso para seus animais… Porém, o primeiro está carregando a senhora Alice com seu traje completo, o que consome bem mais energia e vida do dragão de Vector.

Por outro lado, o senhor Knight Commander pode ir alternando entre os três dragões, minimizando o cansaço dos mesmos, sem contar que ele não usa uma armadura inteira. Em teoria, isso gradualmente pode contar para encurtar a distância entre eles.”

Sword Art Online Alicization Underworld - Awakening

Em outras palavras, só o que podiam fazer no momento era rezar para que o Knight Commander pudesse alcançar o Imperador antes que ele conseguisse chegar ao World End Altar.

Entretanto, mesmo que isso ocorresse…

Será que Bercouli poderia vencer a superconta do Imperador Vector sozinho?

Já que Asuna nunca esperou que os atacantes do Ocean Turtle também pudessem se conectar com uma conta elevada, jamais perguntou a Higa Takeru que tipo de poderes tinha Vector. Porém, se ele tivesse acesso aos comandos como a Manipulação Geográfica de Stacia, mesmo para o líder dos Integrity Knights, ganhar em uma batalha assim seria quase uma utopia…

E justo no momento em que Asuna pensava isso, Renri, parecendo ler seus pensamentos disse em um tom mais acentuado:

“E quando ele o alcançar, definitivamente o comandante irá salvar a senhora Alice. Porque aquele homem é… o cavaleiro mais forte desse mundo.”

“Creio que você esteja certo.”

Asuna assentiu com um sorriso nos lábios.

De fato, a única coisa que poderia fazer agora era acreditar. Depois de tudo, durante essas terríveis batalhas as quais presenciou, viu inúmeras vezes o quão firme era a força de vontade das pessoas de Underworld.

“Então, vamos imediatamente avançar para o sul. Felizmente só há planícies não acidentadas adiante. Pode até ser que não consigamos alcançar o senhor Bercouli em pleno deslocamento, contudo, creio que ainda seremos de muita ajuda mais tarde.”

“Entendido senhora Asuna. Vou informar a todos para que se apressem em iniciar uma marcha acelerada.”

Renri correu na frente, entrando primeiro no bosque.

Ao velo ir-se, Asuna disse mentalmente.

Kirito queria proteger Alice e todos os humanos…

Ela definitivamente tinha que protegê-los também, sem importar quantas feridas pudesse sofrer no processo… sem importar que tipo de dor tivesse que suportar.

***

Ao mesmo tempo…

Na sala de controle principal do Ocean Turtle, o representante tecnológico daquela guerra de inteligência, Critter, estava pronto para despachar o segundo grupo composto de vinte mil jogadores norte americanos para dentro de Underworld.

E o local de sua inserção seria perto da posição atual de Gabriel Miller, aproximadamente dez quilômetros de distância do ponto onde a primeira leva iniciou o logon anterior.

 

 

 

 

 

 

 

OLÁ PESSOAS!

FOI UMA PISADA NO ACELERADOR E DUAS NO FREIO PARA A CONCLUSÃO DA PARTE 1 DO CAPÍTULO VINTE, MAS BORA LÁ!!

FIQUEI DOENTE COM A SEGUNDA CRISE DE PEDRAS NOS RINS. PERMANECI UMA SEMANA PARADINHO PARA ME RECUPERAR, MAS ESTOU DE VOLTA.

TIVE CERTA DIFICULDADES EM COLORIR A IMAGEM DESSE CAPÍTULO POIS TENTEI FAZER IGUAL AS DEMAIS RELATIVAS AOS MAPAS DOS VOLUMES 17 E 18 QUE VEM COLORIDAS OFICIALMENTE, A PALETA É BEM CHATA, MAS CREIO QUE O RESULTADO FICOU MUITO BOM. 

TAMBÉM A TRADUZI, JÁ QUE É UM MAPA MUNDI COM VÁRIAS DICAS DE COMO ESTÁ A SITUAÇÃO DA GUERRA. ACHEI BEM INTERESSANTE APESAR DE DAR UM TRABALHO MONSTRO. O QUE AJUDA BASTANTE É QUE DAS 14 IMAGENS DO VOLUME, FALTAM SOMENTE 6 QUE TENHO QUE FAZER. ISSO É UM GANHO DE TEMPO INACREDITÁVEL.

BOM, VAMOS PARA O QUE ACONTECEU POR AQUI.

 

 

DONA ASUNA FICOU COTOQUINHA COITADA. LEVARAM SEU BRAÇO ESQUERDO ASSIM COMO O KIRITO PERDEU O SEU DIREITO. QUE DUPLA ESSES DOIS XD.

FIQUEI CHOCADO ENQUANTO LIA QUE ELA FICAVA MANETA. MAS NEM ISSO A FEZ ESMORECER. SAIU LÁ COMANDANDO A GALERINHA IGUAL COMO FAZIA EM SAO, QUE MULHER FODA!

 

E FALANDO EM MULHER FODA, DONA SHEETA CHEIA DE ATITUDE ALI COM O ISKHAN, ATÉ DEIXOU ELE ENCABULADO. E UMA DAS COISAS QUE CURTI NO LÍDER DOS LUTADORES É QUE MESMO SENDO UM MALUCO QUE CAI NA PORRADA, ELE PENSA EM ESTRATÉGIAS E AS EXECUTA COMO UM LÍDER DEVE FAZER, FAZ JUS AO POSTO QUE TEM. LEMBRO QUE O SHASTA TINHA COGITADO PEDIR ALIANÇA MAS EVITOU POIS JULGOU QUE ELE FOSSE MUITO IMATURO, TALVEZ NA ÉPOCA ATÉ FOSSE, MAS AGORA ELE AMADURECEU MUITO (uma penca de companheiro triturado ajudou a abrir os olhos… digo, o olho hehe).

 

BERCOULÃO FICOU FULL PUTAÇO!! BELEZA!! ERA ISSO QUE POVO ESTAVA QUERENDO!! TEM UMA ILUSTRA QUE ELE ESTÁ EM PLENA CARGA, CORRENDO PARA CIMA DE VECTOR! QUERO LOGO CHEGAR NELA 😀 (TOMA SPOILER, SORRY!!).

 

RENRI ATÉ É BEM OPERACIONAL, PONTINHO PARA ELE, MAS AINDA QUERO QUE ELE SE FERRE COMO ELDRIE.

 

DEIXA EU VER O QUE MAIS… AH SIM!! O PLANO DO GABRIEL COM UMA SEGUNDA LEVA DE JOGADORES… PQP!!! MAIS VINTE MIL MALUCOS!! É AQUELA MÁXIMA: ‘SEMPRE PODE PIORAR!!’… 

QUE CLÍMAX MINHAS CARAS PESSOAS!

 

ERA ISSO, ATÉ A PRÓXIMA E UM FORTE ABRAÇO!

(OBS: O capítulo seguinte já está praticamente pronto, usei o tempo internado para escrever, fui no modo roots, com Word aberto em um tablet e o volume na outra mão hehehe.)

 

 

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization Underworld – Light novel em Português

Também estamos no Tumblr e no Pinterest

Estamos também traduzindo Sword Art Online Progressive, não deixem de ler.

Mais uma trilha em homenagem, dessa vez para Asuna e sua rapieira frenética!!!