Sword Art Online Alicization – Invading – Capítulo 16 – Parte 1

Arco: Sword Art Online Alicization – Invading

Capítulo 16 – Ataque ao Ocean Turtle – (julho de 2026)

Sword Art Online Alicization Underworld - Asuna - Volume 15

Parte 1

As diversas situações que culminaram para o que estava acontecendo nessas últimas duas horas, estava além das expectativas mais improváveis do autoproclamado gênio, Higa Takeru.

O olhar surpreso estampado em seu rosto já dizia tudo ao ver a cena diante de si.

Uma delicada garota de aproximadamente dezoito ou dezenove anos suspendia um homem que media em torno de quinze centímetros a mais do que ela pelo cangote com seu fino braço.

Sua camisa berrante com motivos havaianos estava esticada ao limite e seus chinelos mal tocavam o chão.

Observando o Tenente coronel Kikuoka Seijirou com seus olhos flamejantes, Yuuki Asuna lançou palavras afiadas como uma lâmina.

“Jamais o perdoarei se o Kirito não acordar mais!”

Higa não conseguia ver a expressão de Kikuoka por trás dos óculos de armação escura que reluziam com a fraca iluminação do teto. Entretanto, o executivo da Força de Auto Defesa do Japão, que era faixa preta em judo e também em kendo parecia realmente transtornado com as palavras cheias de rancor de Asuna. Tanto que ao invés de revidar o movimento, tratou de erguer as mãos ao lado do rosto em sinal de rendição.

“Eu entendi. Farei tudo ao meu alcance para a recuperação de Kirito, eu prometo.”

A antessala de comando ficou imersa em silêncio.

Ninguém conseguia dizer uma palavra, nem Higa sentado em frente ao console, nem a doutora Koujirou Rinko em pé ao seu lado e nem os vários membros do RATH que trabalhavam ali. Tal era o nível de pressão que a aura daquela garota estava exercendo em todos.

Entendi, é isso que chamam de sobrevivente, alguém que retornou de um campo de batalha real, não é?

Foi o que Higa pensou enquanto ponderava que de todo ali, a pessoa mais jovem era quem tinha mais experiência em uma batalha de verdade, a que mais havia arriscado sua vida.

Asuna, depois de alguns momento, abriu sua mão direita sem dizer nada.

Liberado, Kikuoka suspirou profundamente enquanto dava uma cambaleada para trás.

Ao recuar, Asuna acabou tropeçando e quase caindo, não fosse Rinko agir rapidamente e como um raio, segurá-la por trás.

A física, senpai de Higa, segurou Asuna contra o peito e sussurrou em um tom firme.

“Não se preocupe! Ele está bem e irá voltar para você em breve.”

A expressão tensa ao máximo da garota enfraqueceu um pouco depois de ouvir isso.

“Sim… eu acredito que ele voltará. Me desculpe… creio que me excedi.”

Rinko limpou gentilmente as lágrimas dos olhos de Asuna que estavam alheios até mesmo durante o ataque, focada somente na situação de Kirito.

O ar na sala finalmente estava voltando a circular depois que abriram umas das portas manualmente. Depois da abertura, a primeira pessoa que cruzou-a foi o Tenente Nakanishi.

Com sua camisa branca empapada de suor e fuligem, carregando a tiracolo uma enorme pistola em seu coldre que cruzava o ombro, Nakanishi observou Rinko e os demais antes de dirigir suas palavras para Kikuoka parado atrás de todos.

“Reporte da situação! Confirmando os bloqueios das passagens das portas pressurizadas um e dois, assim como a evacuação dos civis para a proa!”

Kikuoka arrumou o colarinho de sua camisa antes de dar um passo para frente e assentir com a cabeça.

“Bom trabalho! Quanto tempo até que as passagens pressurizadas sejam abertas?”

“Bem… isso vai depender da equipe lá, mas até agora mostraram só armas comuns. Provavelmente levará umas oito horas caso tenham alguma ferramenta como uma serra. Entretanto, se usarem explosivos para abri-las… porém, creio que não farão isso, pois a parede central onde estão é justamente ao lado do…”

Light Cube Cluster…”

Completando a frase, Kikuoka ajustou a armação do óculos enquanto ficava pensativo.

Levantou seu rosto instantes depois e olhou a pequena sala.

“Certo, primeiro vamos colocar as coisas em ordem. Tenente Nakanishi, me informe de nossas baixas humanas, por favor!”

“Sim. Três pesquisadores da equipe dos projetos civis estão com ferimentos leves e sendo tratados na enfermaria na proa. Entre nossos combatentes, há dois gravemente feridos e dois com pequenos machucados. Todos estão recebendo atendimentos e até agora nenhuma vítima fatal. Então, incluindo esses que tiveram machucados sem gravidades, temos seis pessoas capazes de lutar.”

“É realmente um golpe de sorte que não tenhamos nenhuma morte mesmo após tantos disparos…

E o estado do casco?”

“A sala de operações no convés na parte de trás, está como um queijo suíço. Controle remoto para aquele lado provavelmente está completamente fora de questão. Igualmente para o caminho do convés até o controle central, porém, essas informações não estão completamente confirmadas.

O que importa realmente é o corte da energia elétrica… ainda temos uma pequena reserva utilizável em uma rota auxiliar, entretanto, a hélice não irá girar a menos que consigamos reiniciar o sistema de controle.”

“Uma tartaruga marinhas sem as nadadeira…hein? E com um tubarão quebrando seu ventre…”

“Basicamente. Os blocos um ao doze do eixo inferior estão ocupados juntamente com o acesso ao atracadouro de nossa embarcação”

E foi desse modo irritado que Nakanishi falou enrugando sua testa, quase unindo suas sobrancelhas, completando o visual militar extremamente severo. Em contraste com Kikuoka que mantinha um ar quase sereno, como um maestro prestes a reger uma orquestra.

O Tenente Coronel foi até o console enquanto roçava a sola de um dos chinelos em sua canela.

“Certo, então eles tomaram praticamente tudo, a sala de controle principal, os primeiros alojamentos do STL e até mesmo o acesso ao reator nuclear… não é?… Suponho, dessa forma, que seu objetivo não é de fato nos destruir.”

“Se não for isso, então o que é?”

“Pense Nakanishi! Não iriam precisar de um plano elaborado desses, uma grande operação como a que estamos vendo, se eles apenas quisessem nos afundar. Para isso era só mandar um míssil ou um torpedo e acabar com tudo. Dessa forma, resta a pergunta… quem são essas pessoas exatamente… Higa? Alguma sugestão?”

Com seu nome sendo mencionado sem aviso prévio, Higa piscou várias vezes e então, parecendo reiniciar o ‘sistema operacional’ de seu cérebro, falou:

“Aah… bem… certo…”

Voltando para o teclado do console enquanto resmungava coisas sem sentidos, suas mãos agiram velozmente, puxando diversas imagens das câmeras de vigilância à bordo e jogando no grande monitor principal.

A janela de vídeo aberta era opaca e um pouco escura. Após alguns ajustes em suas propriedades de brilho e contrastes, finalmente puderam ver várias silhuetas atravessando os corredores de passagem. Vestiam trajes de combates completamente negros com capacetes e visores que cobriam mais da metade superior de seus rostos, todos portando rifles de assaltos.

“Bem, como podem ver, não há nenhum símbolo indicando a qual nacionalidade pertencem. E da mesma forma, os tipos de armas e vestimentas tampouco são de algum exército regular conhecido. Os rifles parecem ser Steyr, originalmente criados na Áustria, porém, são tão populares que estão espalhados pelo mundo todo… entretanto, o que posso dizer com certeza é que não são asiáticos a julgar pelos portes físicos.”

“Em outras palavras, não é uma unidade especial pertencente a nossa nação… que coisa agradável…”

Kikuoka coçou o queixo e pronunciou essas palavras perturbadoras. Um estranho brilho surgiu em seus normalmente calmos olhos enquanto os estreitava, fixando seriamente o monitor.

“E tem outra coisa a qual sabemos também… essa pessoas estão conscientes do Projeto Alicization.”

Higa concordou com a cabeça.

“Bem, suponhamos que eles realmente estejam a par. Pois vieram diretamente para a sala de controle principal desde o acesso ao atracadouro na parte de trás da nossa embarcação sem nenhum rodeio. Assim, que seu objetivo é certamente o roubo da tecnologia STL… não, da Inteligência Artificial verdadeira, a I.A. do tipo TOP, A.L.I.C.E.”

Obviamente essa declaração implicava que vinha ocorrendo um vazamento enorme de informações importantes há muito tempo. Porém, Higa se absteve de mencionar isso e se contentou em apenas fingir ajustar seus óculos enquanto olhava o rosto de todos os membros do RATH na antessala de controle enquanto seguia em um tom quase otimista.

“Felizmente, conseguimos isolar algumas coisas do controle principal no último minuto. Será mais difícil manipular o Underworld diretamente, já que parte do console foi destruída. Portanto, eles não estarão jogando com a simulação ou executando comando no Light Cube e muito menos no Fluctlight de Alice”

“Mas isso também nos afeta, correto?”

“Tsc!…Tsc!… Nos dê mais crédito!

Pois então, não há funcionamento com direitos de administrador nessa sala, mas também, agora não há direitos no controle principal também. Dessa forma, ninguém poderá executar ou manipular o Light Cube de Alice… pelo menos não externamente…

Será que você não consegue ver essa situação como uma espécie de vitória para o nosso lado, Kiku?

Essas pessoas não terão acesso ao cluster nem física e nem digitalmente, assim, se continuar dessa forma, eles estarão justamente no lugar onde queremos quando os reforços da nossa embarcação de escolta, a Aegis, chegar.”

“Independentemente de onde estejam, agora ou depois… existe outro problema no que você disse…”

Kikuoka permaneceu com sua séria expressão enquanto virava-se e perguntava à Nakanishi.

“Como está Nagato? Ele vai se mover?”

“Bem… já que tocou nesse assunto… creio que você já deva supor…”.

Nakanishi abriu sua boca para dar a resposta de maneira relutante.

“Foi ordenado que Nagato ficasse em sua posição no comando da frota em Yokosuka. Parece que o alto comando já considerou que fomos tomados como reféns pelos atacantes.”

“Mas o q-…!??”

A boca de Higa abriu-se totalmente.

“Que diabos de reféns o quê? E toda a tripulação que evacuou ilesa para esse lado da portas pressurizadas!? Eles não tentaram sequer entrar em contato conosco.”

A resposta mecânica veio de Kikuoka.

“Esses homens de preto devem de ter conexões com o alto escalão da Força de Defesa do Japão. Eram oito horas da manhã quando Nagato começou a se separar do Ocean Turtle, seis horas antes da invasão. A ordem para que Nagato venha nos amparar, provavelmente virá somente após eles terem conseguido o Light Cube de Alice. Naturalmente, eles devem de ter um tempo cronometrado, contudo…”

“Então, esses sujeitos não são somente um grupo de terroristas, não é? Isso não é nada bom… pois se esse for o caso, devem de ter especialistas em tecnologia nesse grupo. Dessa maneira, eles provavelmente já constataram que a única forma de recuperar a Alice é…”

“Agir dentro de Underworld… certo…? Eles pegaram aquela sala propositalmente pois o STL está lá e estão com gente preparada para executar os procedimentos necessários para acessar o console virtual conectado com Underworld…”

Higa engoliu em seco após ouvir as palavras de Kikuoka.

“O que acontecerá se eles conseguirem isso?”

Higa fez diversos gestos enquanto respondia a pergunta de Koujiro Rinko.

“O cubo escolhido será extraído do Light Cube Cluster que se encontra no centro exato do eixo principal e será levado até a sala de controle através das conexões dos tubos de ar. É lá que se encontra o ponto de saída quando um desses objetos é retirado.”

Depois de apontar uma escotilha retangular localizada em um dos cantos do escritório do console, a doutora girou seu olhar até a porta instalada no fundo da sala.

Uma pequena placa de metal estava fixada na porta feita de ligas de alumínio. As palavras diziam: ‘STL Sala Dois’.

Mais além daquela porta estavam dois STL, Soul Translators. Um jovem estava inserido no primeiro deles, sendo observado por Aki Natsuki, uma enfermeira e também militar.

E no centro de tudo isso, interpretando talvez o seu papel mais importante desde que começou o Projeto Alicization, estava Kirigaya Kazuto, que estava nesse momento lutando com todas suas forças para cumprir sua missão.

Voltando para a sala, Kikuoka falou novamente em tom sério com seus braços cruzados.

“Assim, que nossa última esperança está mais uma vez em suas mãos. Higa… diga-nos, em que estado encontra-se o Kirito?”

Higa girou novamente para o monitor com seus resmungos incompreensíveis, mas que um dado momento cessaram imediatamente ao perceber o olhar fulminante de Yuuki Asuna sobre ele, com a doutora Rinko a segurando pelos ombros.

“Estou bem, só diga-me a verdade, por favor!”

Higa assentiu e voltou a manipular o teclado e o mouse outra vez e em silêncio.

Retirando a imagem dos atacantes do monitor principal, abriu outra janela. O que mostrava era um gráfico tridimensional multicolorido e um pouco trêmulo.

“Essa é a visualização do Fluctlight de Kirito.”

Todos na sala ficaram em silêncio enquanto observavam o monitor.

“Ele recebeu um dose mortal de um poderoso relaxante muscular experimental em Tóquio uma semana atrás e desfaleceu devido à uma parada cardiorrespiratória. Felizmente, manteve-se com vida, porém, parte de seu cérebro foi severamente danificada…, justamente a ligação com seu circuito de Fluctlight, para ser específico.

É um tipo de dano praticamente impossível de se tratar com a tecnologia e estudos de neurologia convencionais existentes hoje, porém, havia uma possibilidade real de recuperação caso utilizasse a tecnologia STL.

Dessa forma, afim de recriar novos circuitos, empregamos nossos conhecimentos e o introduzimos na simulação do STL sem o limitador normal para ativarmos o Fluctlight de Kirito. Falando a grosso modo, se ele fosse um carro, esta tentativa seria uma ligação direta.”

Interrompeu a explicação para beber um gole de água de sua garrafa que estava ao lado do teclado e retomou a narrativa.

“Era crucial que ele tivesse que submergir em Underworld para que pudesse realizar o procedimento. Pois de outra forma, o tratamento não daria resultado. Ele tinha que manter seu Fluctlight ativo como se estivesse no mundo real.

A ideia foi a mesma de quando ele tinha feito a imersão no laboratório secundário de Roppongi, onde selamos suas memórias e o ‘descarregamos’ em uma região remota de Underworld… ou pelo menos, achamos que tenhamos feito isso, pois o rastreamento lá é um tanto complexo.

Entretanto, dessa vez foi ligeiramente diferente já que por motivos aos quais ainda não sabemos exatamente como e nem por que, suas recordações não foram seladas dessa vez. Creditamos isso aos danos que seu Fluctlight sofreu. Em todo o caso, Kirito foi colocado em Underworld como o verdadeiro Kirigaya Kazuto.

Só descobrimos isso no momento em que recebemos sua comunicação instantes atrás, porém…”

“Espere um instante…!”

Rinko interrompeu.

“Então, Kirigaya tem estado passando todo esse tempo em aceleração máxima em Underworld como ele mesmo?…Q-Quantos meses… já se passaram lá dentro…?”

“…Aproximadamente… dois anos e meio.”

Asuna, ainda sendo auxiliada por Rinko, tremeu no momento em que ouviu a resposta de Higa.

Deve ter sido um choque para ela, porém, o homem acreditou no que ela havia dito e prosseguiu o relato.

“Kirito está em contato com os Fluctlights Artificiais desse mundo por muito tempo. Provavelmente, já esteja a par que todos eles serão apagados no final da simulação atual… Deve ser por esse motivo que procurou o console de comunicação com o mundo real, o qual foi instalado no meio de Underworld, onde a primeira aldeia se formou na criação daquele mundo. Creio que ele veio pedir para que você preserve todos os Fluctlights, Kiku.”

Olhado para o lado, Kikuoka observou o gráfico tridimensional com a luz do monitor refletindo nas lentes de seu óculos. Então, pouco depois virou-se para Rinko e Asuna.

“Ele deve de ter passado por coisas terríveis. Pois o console de comunicação virou o quartel general da organização mundial que regem as regras por lá, a Igreja Axiom.

Os Fluctlights da ordem pertencentes da igreja tem condições absurdamente anormais, em um nível ao qual Kirito não poderia enfrentar sendo um habitante comum. Analisando friamente, ele seria morto no exato instante em que invadisse a tal igreja, sendo desconectado de Underworld

Entretanto, ele o fez. Não consegui confirmar em detalhes os registros já que acabamos sob ataque, porém, parece que haviam várias pessoas o ajudando, que eram em sua totalidade, obviamente, todos Fluctlights Artificiais, mas ao passo disso… eram todos seus amigos.

Muitos deles morreram nessa guerra que travou contra a igreja e como resultado, sofreu e se autocondenou de forma implacável e sistemática no momento em que abriu o console de comunicação.

Explicando de outra maneira, a cada passo que ele dava para tentar falar conosco, atacava e danificava seu próprio Fluctlight. E o pico desses sentimentos aconteceu precisamente no momento em que os invasores cortaram a energia e o processamento do STL foi ao máximo. Nesse curto espaço de tempo quando a energia auxiliar assumiu, criando uma sobrecarga na tensão elétrica, que os desejos de autodepreciação e a carga emocional negativa de Kirito se tornaram realidade… fazendo com que perdesse todo o ‘sentido de seu eu’, entrando em um estado parecido com o de animação suspensa, em estase…”

“O ’sentido de seu eu’? … Estase? O que isso significa!?”

Higa voltou para o monitor para responder à pergunta de Rinko.

“Veja isso!”

Ele expandiu a imagem, mostrando a atividade do Fluctlight de Kirigaya Kazuto em tempo real.

No centro da parte que parecia uma nuvem de arco-íris irregular e trêmulo havia um pequeno ponto totalmente escuro, se movendo calmamente como uma nebulosa totalmente negra.

“Diferentemente dos Fluctlights Artificiais nos Light Cubes, ainda não analisamos completamente o Fluctlight de um ser humano real, entretanto, já mapeamos uma boa parcela. E digo que o que deveria estar originalmente no meio desse ponto negro, deveria ser o núcleo… ou a autoimagem de si.”

“Por autoimagem você quer dizer… a percepção de si mesmo?”

“Exatamente. Parece que nossas decisões são guiadas por meio de circuitos binários, de sim e não, que diz, ‘o que você faria nessa situação?’, dentro de nossos Fluctlights.

Como por exemplo, você, senhora Rinko, sentada em um restaurante, você pediria duas porções de Gyudon?”

“Não, não pediria…”

“Certo, mas… se mesmo depois dessa sua primeira porção você ainda sentir fome… Por acaso não seria bom pedir mais uma?”

“Provavelmente.”

“Em geral, a sua decisão é o resultado de um loop de sua autoimagem, neste exemplo, você se viu comendo um e depois se viu comendo outro por continuar com fome, decidiu com base em uma imagem de si mesma. Desse mesmo modo, quase todas as decisões que não passam por esse loop, acabam não se traduzindo em ações reais, você não se ‘vê’ fazendo, logo, não registra.

A maior parte do Fluctlight de Kirito está ilesa. Porém, devido ao fato de seu circuito estar danificado, ele não consegue manipular informações externas ou gerar qualquer ação significativa.

Nesse instante, provavelmente ele pode fazer, vejamos… apenas alguns pequenos movimentos por reflexo, algo que estão incrustados em sua memória, como: comer, dormir, talvez parar em pé… coisas desse nível.”

Rinko mordeu os lábios e sussurrou:

“Então… é assim que está a sua mente agora?”

“…Temo que sim…”

Higa fez uma pausa e desviando os olhos, continuou:

“Ele não está consciente de quem é ou era. Está incapaz de falar… sua mente agora é um grande vazio…”

Pela terceira vez, a sala ficou totalmente em silêncio.

 

 

 

 

 

 

E CÁ ESTAMOS NOVAMENTE, PESSOAS!!

MAIS UM CAPÍTULO (curtinho, mas a culpa é do Sr. Reki) VENCIDO E HOJE SABEMOS EXATAMENTE O QUE ACONTECEU COM O SENHOR ESPADACHIM NEGRO.

O RAPAZ VEM SOFRENDO DESDE O INÍCIO LÁÁÁÁÁ EM SAO. SE CULPANDO POR NÃO CONSEGUIR PROTEGER AS PESSOAS, POR TIRAR A VIDA DE OUTRAS,

POR CURTIR UNS SANDUBAS, PROTAGONIZAR UMAS TRETAS NO CAPÍTULO PERDIDO 16.5 (ok, esses dois últimos não).

O SOFRIMENTO FOI TANTO QUE ELE NEGOU A SI MESMO…

CAPÍTULO PESADO, PARA VARIAR.

E AÍ TEMOS A DONA ASUNA, PARANDO UMA GALERA NA SALA SOMENTE COM SEU OLHAR, PQP, QUE MULHER DA PORRA!!

NÃO FIZ MAIS NENHUMA MELHORIA NO SITE ESSA SEMANA, AFINAL, FERIADO É DIA DE… DE… TROCAR FRALDAS E DEPOIS TROCAR FRALDAS E… LIMPAR A AREIA DOS GATOS, TROCAR FRALDAS ETC, ETC, ETC…

FORTE ABRAÇO A TODOS!!

 

(Semana que vem temos aí um velho desconhecido conhecido… para entrar na história…)

Sword Art Online Alicization Underworld Invading

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization Underworld – Light novel em Português

Também estamos no Tumblr e no Pinterest

E a música da vez é outra velha conhecida, ‘Ela ainda está dormindo’, só que dessa vez é ele… (me orgulhei dessa analogia, pqp, vou até tomar um suquinho de uva de 3 semanas atrás que encontrei atrás do brocolino [carinhosamente conhecido como brócolis] na geladeira)

  • thiago passos

    Kkkkkkkk, nem te falo nada desse tal “Capítulo perdido”.

    • pedro

      rolo altas coisas na cabana e na casa da asuna

      • thiago passos

        kkkkk, to ligado que você foi lá procurar o capítulo pra ler, né safadinho?
        P.S.: Eu só li por duas razões. A primeira é por que eu ví um capítulo extra na versão em inglês, então fiquei interessado em saber do que se tratava. A segunda é porque eu via um munte de pessoas falando de tal capítulo, kkkk.
        Sou inocente nessa história.

        • pedro

          mlz mas n fui da pra ver no anime msm de qualquer forma quando vai lançar

          • thiago passos

            Cara, eu sei que você não liga pra como você escreve aqui, mas por favor, usa a vírgula pelo menos. Eu não entendi o que você escreveu.

            • pedro

              ok vo usar

          • thiago passos

            Ata, bem no anime não tem a cena é claro (já que passou livremente na TV e o foco do anime é “Shounen” e não “Hentai”), e bem, eu não sei se foi exatamente isso que você perguntou, mas o André está doente, então essa semana não teve tradução. Abraço!

  • André Brandão

    Hahahaha 🙂

  • André Brandão

    Fica aí o grande questionamento! 😉

    • Vini Souza

      Olá André, tudo bom? Tenho interesse em ajudar a traduzir as novels de SAO, mas duas pessoas fazendo a mesma é complicado, então queria saber se é possível eu ajudar na revisão de algumas novels, estou lendo novamente e sempre tem “enhum” “dios” “dna” entre outros. Abraço.

      • Cara, eu realmente não tenho nenhum revisor. Nem tento convidar um pois meus tempos são totalmente erráticos (leia-se: quando dá). E uso um aplicativo que criei que reconhece a fala e ele se perde as vezes, comendo letras e tudo mais e meu português também não é lá essas coisas.
        Se for pegar alguém para me ajudar, tem alguns entraves:
        1º: Ele não teria vida, pois eu faço o término das traduções em qualquer hora sem nenhum critério a não ser o ‘assim que meu filho, esposa, saúde, internet e trabalho permitem’.
        2º: Não peço ajuda nesse quesito pois além de abusar da boa vontade da pessoa, colocaria uma pressão desnecessária em mim. Faço esse trabalho como válvula de escape da correria do dia-a-dia.
        3º e útlimo: Minha proposta nesse projeto é fazer apenas uma revisão, que infelizmente, pode vir com erros como esses que você descreveu. O que proponho então é: Se quiser, passo os arquivos que já foram traduzidos em texto puro e você faz uma revisão do todo, por exemplo, pegando o volume 9 e dando uma revisada geral e assim que terminar, posto no volumes finalizados como uma versão 2.0 com créditos para você e tudo mais. Isso sim, seria muito bem vindo e coerente, pois em tempo de execução, no ato do capítulo não teria como.

        Ah! 14 pessoas já aceitaram fazer algo assim e sumiram do mapa por talvez se apavorarem do tanto de trabalho que é.
        Caso se interesse, entre em contato depois e conversaremos: saolightnovelpt@gmail.com

        • Thiago Passos

          Certo!

        • Thiago Passos

          Hahahah, eu imagino esse último paragrafo, tem que ter uma grande vocação pra continuar. Meu caso, bom, eu já disse.

  • um site obscuro que tem um compilado de todos os volumes em inglês, em sua maioria é scan dos próprios volumes lançados impressos nos EUA e também tem parte (as últimas em especial), do blog do Defan.

  • Ah! E todos em inglês estão disponíveis na parte de download aqui do site (VOLUMES FINALIZADOS) 🙂

  • pedro

    mais um dia sem tradução que triste

    • Estava seriamente ruim de saúde, caro Pedro. Algo de fato preocupante, portanto, infelizmente acabei atrasando as coisas aqui. Entretanto, cá estou novamente! Embora não recuperado 100%, mas bom o suficiente para tocar as coisas.
      Espero que goste do último capítulo, forte abraço!

  • Emanuel Tavares

    https://www.youtube.com/watch?v=AZLxgvqhZD4 não pude deixar de vir aqui avisar, acabei de ver que vai ter a animação do alicization ‘-‘/ , embora ainda prefira a versão de novel não da para não ficar animado >_>

    • André Brandão

      Obrigado! Já vi e estou extremamente ansioso! o/

  • Saiu tarde mas saiu. A saúde ficou extremamente prejudicada, por isso deu essa atrasada de 14 dias sem novidades, mas estou de volta com um reforço.
    Forte abraço e aproveite 🙂

  • É um enorme prazer ler esse tipo de comentário. Agradeço o carinho e que bom que pude lhe proporcionar esses momentos para você.
    Quanto aos administradores/editor/pauparatodaobra, bem… na verdade só tem um, eu hehehe 😀 😀 😀
    Forte abraço!

  • Muitíssimo obrigado, caro amigo! Fico feliz que tenha gostado.
    A aventura está longe de terminar, portanto, conto com sua presença até o ‘gran finale’.
    Forte abraço!