Sword Art Online Alicization Underworld em Português – Uniting Capítulo 13 – Parte 5.2

Arco: Sword Art Online Alicization Underword – Uniting

Capítulo 13

Sword Art Online Alicization Underworld - Quinella x Kirito
Opor-me a você é a única razão pela qual estou aqui

Parte 5

Ao espalharem-se pelo espaço isolado, as cálidas ondas de luz pareciam purificar tudo…

Entretanto, esse breve momento de calmaria foi cortado pela afiada voz que insistia em se opor aos nossos sentimentos.

“Mas que luta chata você travou no final de sua vida, minha querida irmãzinha. Sério que achou que só isso iria macular um momento tão grandioso para mim?”

A Administrator mostrou um sorriso frio e arrogante mesmo com sua principal arma destruída.

“Mas pensando bem, suponho que destruir um protótipo mal acabado como esse fosse o máximo que você conseguia fazer, não é? Bem, só o que preciso fazer é criar milhares de outros brinquedinhos melhorados.”

As pontas dos dedos de sua mão esquerda tocaram a lâmina prateada de seu florete implacável de forma mecânica, como se não tivesse nenhuma emoção, apesar de ser uma existência equivalente à Cardinal.

Ondas como miasma, negras iguais carvão, começaram a deslizar-se sobre seu corpo de pele branca como porcelana.

A fria serpente chamada medo se ergueu do fundo de minha alma uma vez mais. Fazendo-me agarrar com força meus próprios braços, agora vazios, instintivamente.

O Sword Golem, que pensei ser invencível, fora destruído. Entretanto, o custo foi alto demais. Havíamos perdido a única pessoa nesse mundo com habilidades e poderes que podiam rivalizar com a Administrator.

Enquanto eu, simplesmente ficava observando a Alto Ministro, totalmente inerte, sem dizer uma palavra, a espada que Eugeo havia se transformado, começou a emitir um ruído e se enveredar para seu último e principal inimigo.

“Oh…! Agora será eu?”

Semicerrando seus grandes olhos, a Administrator sussurrou.

“Quer mesmo continuar com isso, garotinho? Se sente valente só porque derrotou meu boneco?”

Não sabia se essas palavras estavam chegando a Eugeo naquele estado. Porém, seu enorme fio branco não vibrou em nenhum momento, apenas manteve sua ponta direcionada para a Administrator. O resplendor que rodeava seu novo corpo se intensificou uma vez mais enquanto as reverberações agudas também aumentaram de tom.

“…Não vá, Eugeo!”

Consegui gaguejar com a voz rouca enquanto estendia a mão esquerda para a grande espada reluzente.

“Não… não faça isso sozinho!”

Sendo assolado por uma irritação repentina, forcei meus joelhos sobre o solo queimado, tentando reunir forças em minhas enfraquecidas pernas. Uma das partículas de luz que se desprendiam da espada entrou em contato com meus dedos que continuavam estendidos e ao tocar-me, um pequeno estalido ocorreu.

Instantes depois.

O que achei ser uma visão na outra ocasião se mostrou novamente. Asas de luz se formaram na empunhadura da grande espada. E ao baterem com vigor, empurraram a incrível arma branca para frente, em um ataque direto contra a Administrator.

Um sorriso de escárnio apareceu nos lábios da governante. O florete oscilou para baixo fazendo um som parecido com uma ave de rapina, criando um enorme raio igual ou talvez até mais poderoso do que aquele que fulminou Cardinal.

A ponta da espada tocou o raio.

As ondas de choques superaram aquelas de quando o Sword Golem foi destruído, impactando todo meu corpo mesmo que estivesse à distância e me fazendo cair novamente de joelhos.

Arregalei os olhos como pude enquanto tentava equilibrar meu corpo e vi o raio da Administrator ser destruído, dividido em diversas linhas.

VAAAAAAAAN!!!!

As faíscas voavam por todas as partes causando estrondos, estampidos e pequenas explosões pela grande sala.

A espada foi jogada para cima mesmo depois de ter irrompido aquela enorme energia.  Estilhaços da superfície afiada foram sendo dispersos no ar, um após o outro. Cada um deles parecia ser uma parte do corpo de Eugeo, sua Vida.

“Eugeo!!”

A tempestade furiosa de raios engoliu o som de meu grito.

Então…

O sorriso desapareceu dos lábios da Administrator.

Em meio ao clarão, na fonte de onde o poderoso raio saía, surgiu a ponta da grande espada branca.

A enorme arma atacou ferozmente seu algoz, o corpo do florete.

A ressonância resultante sacudiu o espaço onde estávamos, vibrando em frequências extremamente altas. O florete prateado, o meio para manipular e manter a força divina da Administrator e a grande espada branca, criada da fusão entre Eugeo e a Blue Rose Sword, continuaram sua batalha por mais alguns momentos.

Pareciam que estavam em pé de igualdade, entretanto… todos meus sentidos diziam que uma grande destruição estava por vir.

De fato.

O fenômeno que ocorreu logo após, pareceu durar para sempre como se estivesse acontecendo em câmera lenta.

A arma primordial da Administrator, seu estoque, seu florete invencível… quebrou-se em milhares de fragmentos.

Enquanto a espada branca… também se partiu pela metade, emitindo incontáveis partículas de luz.

A primeira metade do fio que se desprendeu, girou e enquanto saia voando cortou o braço direito da Administrator na altura do ombro sem produzir som algum ou assim eu não pude captar.

Pois todos os barulhos e ruídos vieram logo após, como um turbilhão ao acompanhar a cena que estava sendo gravada em minha retina.

A grande quantidade de recursos vertendo do florete quebrado provocou uma enorme e brilhante explosão que engoliu toda a sala.

“EUGEO…!!!”

Meu grito foi soterrado uma vez mais pelos atrozes ruídos eletromagnéticos que se seguiram.

As ondas de choques explodiam diretamente sobre mim, jogando-me contra uma das janelas ao sul.

Ao cair no chão, rolei para me proteger do impacto atrás de uma das espadas que faziam parte do Sword Golem, cambaleei um pouco e olhei novamente para frente…

A Administrator estava de pé no chão, sobre seus próprios pés, pressionando sua mão esquerda sobre a enorme ferida em seu ombro direito.

Enquanto dois grandes pedaços estilhaçados jaziam a seus pés.

Um tênue e branco brilho ainda residia na espada… não… em Eugeo.

Palpitavam iguais a um coração, respondendo aos seus últimos estímulos enquanto seu brilho de desvanecia diante de meus olhos aturdidos.

Os fragmentos da espada branca perderam sua substância e… pouco a pouco, começaram a regressar a forma humana.

A parte do meio do fio até a ponta afiada transformou-se na metade inferior do corpo.

Enquanto a outra metade, a que correspondia à guarda cruzada, voltou a ser a parte superior.

Eugeo estava com os olhos fechados enquanto sua mão direita, sobre o peito, segurava um prisma de cristal.

E nesse instante, quando seu cabelo loiro e sua pele branca recuperaram a tangibilidade de um ser humano. Uma quantidade aterradora de sangue jorrou de ambas as partes cortadas, molhando de imediato os pés descalços da Administrator.

“Ah… ahh… !!!”

Uma voz esganiçada escorreu de minha garganta, algo que não parecia sair de mim.

O mundo perdeu a cor, cheiro e som, tudo foi diluído até engolir o ambiente em um grande nada de sufocamento e agonia.

A massa uniforme vermelha do sangue tão vívido espalhando-se por todos os lados, tomava conta daquele pequeno pedaço isolado do mundo.

Algo brilhava enquanto escorregava de perto de seu peito em direção a gigante poça de vida se esvaindo. Se mesclando ao líquido e produzindo uma suave onda em sua superfície ao tocá-la.

Era uma espada longa azulada, sua companheira de batalha Blue Rose. Parecia ilesa, ou assim pensei por alguns instantes antes que a metade inferior de sua lâmina repentinamente se partisse em diversos pequenos cristais de gelo.

Perdendo seu suporte, a metade superior da espada caiu sobre o rosto do garoto, deslizando sobre sua bochecha e salpicando-o com seu próprio sangue ao mergulhar no líquido ao seu lado.

Dei um, dois… três passos antes que meus joelhos me traíssem e me jogassem no chão.

Apertei meus braços outra vez como quando segurei Cardinal, tentando lembrar-se de seu calor para manter meus olhos abertos e mente sã. Entretanto, nenhum calor agora poderia dissipar o frio e desolação que sentia dentro de mim.

Tudo era vazio, minha consciência, carne e até mesmo alma.

Chega, acabe com isso de uma vez…

Esse pensamento brotou como uma borbulha e explodiu nas profundezas da minha mente.

Nós… não … eu havia perdido de todas as formas que alguém podia perder.

 

A única razão pela qual estava aqui era para libertar a alma de Eugeo e levá-la para o mundo real, não é? Apesar disso, eu que fui protegido à custa de seu sacrifício.  E agora me encontro aqui, encolhido, impotente.

Eu, que apenas seria deslogado e acordaria do outro lado ileso mesmo que morresse.

Tudo que me resta agora é desaparecer desse mundo, sumir…

Não quero ver mais, não quero ouvir, não quero sentir…

Tudo que eu desejo nesse momento é minha própria aniquilação, da forma mais rápida possível.

Entretanto…

Underworld também era uma realidade com existências únicas e preciosas e seu governante não era um programa simples que se deteria depois de completar sua programação, ele era voraz e com certeza não ficaria parado.

Um ínfimo traço de emoção surgiu sobre os lindos e inexpressivos olhos da Administrator por alguns breves instantes para depois sumir quase que imediatamente.

Sua amável voz fluiu dos lábios, quebrando o silêncio do lugar.

“Esta deve ter sido a primeira vez que sofri uma ferida desse nível desde a batalha contra Lyceris, duzentos anos atrás.”

Sussurrou isso quase como um elogio.

“A espada transmutada do corpo de Eugeo… mesmo não conseguindo enfrentar meu Silvery Eternity em termos de prioridade, ainda assim conseguiu um grande êxito. Que eventos inesperados, não é? Mas tudo graças ao meu erro de achar que todas as espada seriam metálicas.”

Gotas de sangue derramaram-se da ferida em seu ombro direito, uma atrás da outra, ondeando a superfície de líquido vermelho aos seus pés.

A Administrator pegou algumas dessas gotas com a palma da sua mão esquerda e as converteu em diversos elementos luminosos e tocou em sua ferida. O corte fechou instantaneamente, sendo recoberto por uma pele lisa.

“E agora…”

Havendo terminado seus primeiros socorros, a governante ajustou seus cabelos e mirou seu olhar diretamente para mim.

“Estou realmente muito surpresa por você acabar sendo o último restante, garoto do outro lado. Só estou ainda um pouco curiosa do por que veio para cá sem nenhuma autoridade de supervisor…

Entretanto, já fiquei cansada e um pouco sonolenta. De maneira que deixarei essa pergunta para fazer para ‘aquela pessoa’ que está no terminal depois. Vamos colocar um fim nessa batalha com seu sangue e gritos, garotinho.”

Assim que a Administrator parou de falar, começou a caminhar elegantemente, não mostrando absolutamente nenhum sinal de que tenha sido afetada pela grave lesão de perder o braço.

Passando por cima do corpo partido de Eugeo, foi produzindo ondas na superfície do sangue fresco derramado e depois pegadas no mármore branco enquanto se aproximava de mim.

A mulher moveu sua mão esquerda para as costas e algo branco surgiu quando a trouxe para frente. Era seu próprio braço direito, a parte que a espada de Eugeo havia cortado.

Pensei que ela acoplaria novamente em seu ombro, porém, apenas o ergueu na frente do rosto e suspirou calmamente. Então, uma luz violeta tomou conta do membro arrancado e sua composição foi transmutada, produzindo uma pulsação metálica no processo.

Após esse breve momento, uma espada longa de desenho simples surgiu com uma lâmina extremamente afiada e confortável empunhadura.

Sua superfície não brilhava como um espelho como sua espada anterior, entretanto, como se esperava de um recurso feito do braço pertencente ao humano que possuía a maior prioridade desse mundo, o poder que emanava daquele objeto, parecia ser o suficiente para cortar meu pescoço com um único e simples golpe.

A morte se aproximava a passos vagarosos enquanto eu a aguardava de joelhos.

Absurdamente linda, mesmo sem o seu braço, a Administrator surgiu em minha direita antes que meus olhos pudessem captar seu movimento e me olhou de cima.

Ao me virar, fui ofuscado imediatamente com o brilho aterrador de seus olhos especulares.

Então, com um suave deleite, a mulher sussurrou gentil:

“Adeus, garoto! Nos veremos do outro lado algum dia.”

A espada se elevou, brilhando como se refletisse a luz da lua.

A lâmina traçou um arco azul no ar com seu fio de navalha enquanto ia em direção ao meu pescoço.

E nesse instante…

Uma silhueta entrou em meu campo de visão.

O cabelo longo esvoaçante, a mulher cavaleiro coberta de feridas abriu amplamente seus braços.

Fiquei olhando perplexo suas costas.

Não era a primeira vez que via uma cena como essa.

Quantas vezes eu irei… repetir esse erro?

Esse pensamento veio acelerado como um raio, mais rápido do que qualquer golpe que tinha visto até agora, fazendo o tempo atual não mais correr, tudo havia congelado.

Numerosos eventos se alinharam nesse mundo monocromático que eu havia caído. Nesse lugar sem som, cheiro e cor.

Uma pequena mão gentil tocou meu braço direito.

A sensação cálida da palma de sua mão derreteu de maneira suave o frio congelante, espantando a auto piedade que inundava meu ser.

A imagem de derrota não desapareceu por completo, porém, estava tudo bem em reconhecer essa fraqueza em mim.

Então, o dono dessa mão sussurrou:

-Não há a necessidade de ganhar sempre. Mesmo se você cair, mesmo se se perder, mesmo que machuque seu coração, nada disso importará contanto que sigas vivendo e lutando.

Todos que passaram nem que seja alguns instantes ao seu lado têm essa mesma convicção, jovenzinho. Naturalmente, isso também se aplica a mim.

Se você levantar, eu também levantarei, se desejar proteger aqueles amados por ti, também poderei proteger quem amo, então… do que tens medo?

Me dei por conta que o calor estava vindo do fundo de meu corpo ou quem sabe de minha própria consciência, algo que havia excedido o circuito de luz de meu congelado Fluctlight.

No interior de meu peito, passando pelo meu ombro direito, através de meu braço e terminando nas pontas de meus dedos.

O calor flamejante envolveu meus membros rígidos.

Então, mostrando-se ainda mais rápida do que antes ou do que me lembrava, minha mão direita agarrou de modo firme a empunhadura de minha espada negra que estava caída ao lado.

E o tempo se moveu outra vez.

A espada da Administrator veio descendo, apontando para o ombro esquerdo de Alice que havia se colocado entre mim e o ataque mortal com seus braços abertos com a intenção de me proteger.

Aconteceu exatamente no momento em que a afiada lâmina rasgava a chamuscada manga da roupa da Integrity Knight dourada para cortar sua alva pele.

A ponta de minha espada, se moveu agressivamente na diagonal para cima enquanto usava o movimento para me colocar de pé, interceptando a arma prateada, produzindo uma explosão de faíscas no ar.

O impacto fez a Administrator retroceder a certa distância entre nós.

Mantendo Alice em minha mão esquerda enquanto ela caía sobre seu peito, fui lançado para trás, em direção as janelas outra vez. Rapidamente pensei que aquelas estruturas poderiam ser usadas para armaduras, já que receberam tanto impacto e não demonstraram nenhum sinal de dano. Entretanto, já estava cheio de me chocar contra elas.

Transferi força para as pernas e as usei como amortecedores para evitar o choque. Apoiei a cabeça de Alice em meu ombro direto que ligeiramente olhou-me com seu incrível e penetrante olho azul.

“Veja só…”

Um sorriso surgiu entre suas lindas bochechas com marcas de queimaduras que se originaram das chamas da Administrator quando nos protegeu.

Após esse breve sorriso, sussurrou:

“Então… ainda tem forças para se mover… que bom.”

“Sim.”

Com tudo que aconteceu, forcei o máximo que pude para, no mínimo, devolver o sorriso diante seu valoroso ato.

“Deixe o resto comigo.”

“Deixarei… faça o que tem que fazer.”

Depois de responder com essas breves palavras, Alice perdeu sua consciência e seus joelhos fraquejaram.

Baixando a mulher cavaleiro até o chão ainda apoiada em meu braço esquerdo, a deitei delicadamente enquanto suspirava.

Deixe o que resta para mim e descanse bastante, por favor!

Essa vida que Charlotte, Cardinal e Eugeo me confiaram… definitivamente se conectam com a sua. Se recupere, você fez tudo que podia.

Mesmo que somente Alice fosse o meu limite de proteção, tinha que tirá-la desse lugar isolado de todas as maneiras. Para isso, devo lutar com a Administrator e vencer, custe o que custar.

Inclusive se perco todos meus membros, se perco meu coração perfurado por ela ou se tenha meu pescoço cortado.

Não tenho direito algum de perder.

Fortalecendo minhas convicções, tirei o olhar de Alice e encarei minha inimiga.

O sorriso quase desvanecido da Administrator ainda estava presente enquanto ela observava sua espada na mão esquerda.

Talvez o impacto de antes a deva ter danificado um pouco, pois pude ver parte de sua delicada mão com marcas avermelhadas.

“Nem mesmo eu esperava tamanha incomodação. Isso já me irritou, sabia?”

Suspirou de maneira aborrecida.

Os olhos prateados me perfuraram como duas lanças de gelo.

“Mas o que há com vocês? Porque lutam de maneira tão ferrenha contra o inevitável? O resultado dessa batalha sempre esteve claro desde o princípio. Que importância tem em ficar atrapalhando e mudando o processo se já sabem que o final está pré-determinado?”

“É exatamente o processo que importa realmente. Não interessa o quanto formos humilhados ou se morremos com ou sem espadas nas mãos. Tudo que importa é a maneira como fazemos… é o que nos define como… seres humanos.”

Enquanto rebatia essas palavras, baixei meus olhos e invoquei uma lembrança… focalizei uma forte imagem de quem fui um dia.

A imagem de mim mesmo como Kirito, o Espadachim Negro, que sempre mantive escondida até agora. O outro eu que não podia perder jamais, uma existência que nunca falharia, uma imagem que me perseguia como uma maldição tamanho era seu poder e importância e que me mostrava o quão fraco eu realmente era, que nunca poderia derrotá-lo. Justamente por causa disso que o temia do fundo de meu coração.

Porém, não posso mais ficar preso dessa forma.

Minha franja cresceu e desceu em frente aos olhos enquanto os abria. Depois de jogá-la para o lado com minha mão esquerda, já coberta com uma luva negra sem dedos, senti o cheiro do couro da manga longa de meu sobretudo escuro como a noite. Seguido a isso, apertei mais forte a espada longa em minha mão direita.

Estando a uma curta distância, a Administrator franziu um pouco a testa, observando o fenômeno e mostrou seu sorriso cruel, igual quando tomou a vida de Cardinal.

“Essa aparência negra… é muito parecida com um Dark Knight do Dark Territory

Muito bem, se deseja sofrer até o final, lhe concederei um extremamente, doloroso e interminável castigo. Selarei seu destino de maneira tão hedionda que você suplicará para que acabe logo com sua vida.”

“Somente isso não será o suficiente… mesmo que faça tal coisa, ainda assim não estará ao ponto de me fazer redimir por todas as coisas estúpidas e idiotas que fiz. Então, sinto muito, mas não vai acontecer de seu modo.”

Baixando o centro de gravidade depois de responder, foquei na espada prateada na mão esquerda da Administrator.

Ela havia demonstrado e dito para todos ouvirem diversas vezes o quão gigantesco era o nível de poder de suas artes sagradas, porém, agora que seu florete, aparentemente chamado de Silvery Eternity, tinha sido destruído, provavelmente estava incapaz de disparar rápida e consecutivamente seus feitiços de alta prioridade.

Supus isso justamente porque ela acabou transformando seu próprio braço em uma nova espada.

Estava certo que tudo estava resumido a uma luta entre espadas, porém, não tinha nenhum dado sobre a competência de minha oponente. Ela provavelmente usaria estilos das escolas desse mundo como seus cavaleiros, principalmente focando em golpes únicos e  pesados. Entretanto, pela batalha com Alice no octogésimo andar da catedral me mostrou, esse tipo de conduta não era nada para se subestimar.

O valor da prioridade de minha arma com toda a certeza era pior do que a dela, ainda mais levando em consideração o desgaste sofrido por minha companheira negra nas lutas que tive até aqui.

Não havia outra maneira a não ser entrar em seu raio de ação e apostar tudo nas skills de golpes consecutivos o qual ela não deve estar familiarizada.

Traçando meu plano, carreguei o golpe ainda com o centro de gravidade baixo. Meus pés direito e esquerdo estavam na posição clássica, afastados com um na frente e o outro bem atrás.

Meu oponente, a Administrator, parou calmamente enquanto levantava a espada na mão esquerda para acima, indo em direção às suas costas.

Como era de se esperar, a postura era do Alto Estilo Norkia, a escola mais tradicional desse lugar. A absurda velocidade e peso atrás de um ataque desses provavelmente me mataria com um só golpe, sendo impossível bloquear.

Então, tinha que esquivar de alguma maneira e colar nela… de fato, um ‘belo plano’… um único e pífio plano.

“…”

Respirei fundo e reuni todas as forças no abdômen.

E no instante e que a espada da Administrator fez o mínimo movimento, pisei no chão com tudo que tinha e avancei acelerado.

A espada do inimigo estava envolta em uma luz azul.

Reconheci de imediato o movimento secreto ativado, não, a habilidade de espadas do sistema que foi ativada, era o Vertical.

Confirmando isso, pisei com o pé esquerdo e desviei meu avanço para a direita. Como o Vertical era um simples corte reto na posição que sugere o seu nome, se torna difícil acompanhar um inimigo que saia desse raio de ação.

Com o arco de luz azul, a espada prateada pôs em prática sua aterradora velocidade. Com meu corpo em trajetória lateral direita, tinha agora que desviar da ponta da espada desesperadamente. A linha reta do ataque da Administrator rasgou a fivela de meu casaco sem esforço algum.

Esquivei! Consegui!

Então, pisei no solo com o pé direito para restaurar a trajetória de meu golpe enquanto levantava a espada na mão direita. Entretanto… o brilho da arma da Administrator não tinha desaparecido.

“…!!??”

Fiquei apavorado ao ver que a espada daquela mulher, mesmo tendo completado seu movimento inicial parando próximo aos meus pés, tinha recuperado a mesma velocidade alucinante ignorando totalmente a inércia, fazendo o caminho contrário.

Aquela não era mais uma questão de esquivar para atacar. Tratei então de modificar a trajetória de minha espada que estava indo para cima e, de alguma maneira, consegui dar um corte na rota de colisão da arma inimiga.

Um ruído metálico massivo se fez ouvir, soltando enormes faíscas.

Mesmo que minha defesa desesperada tenha tido êxito sabe-se lá como, tinha que saltar para trás para interromper qualquer outra investida, o que infelizmente quebraria minha postura para golpear de volta.

Fazendo isso, acabei tropeçando devido à pressão imensa exercida sobre mim. Os ossos de minha mão direita estalaram com o choque.

Conseguindo esse pequeno espaço milagrosamente, tinha que atacar mais uma vez, porém, a habilidade da Administrator com a espada superou minhas expectativas de novo.

Sua lâmina regressou para cima, depois de traçar a forma de um enorme V e rugiu outra vez se balançando para baixo.

Com minha postura quebrada, não pude evadir totalmente ao terceiro ataque, que acabou fazendo um corte superficial no lado esquerdo de meu peito. Era um rasgo apenas, porém, a dor acometida em meu corpo foi terrível.

Sim, descobri que a habilidade que a Administrator executou era uma velha conhecida minha de quatro golpes.

Se me acertasse ou se bloqueasse errado, aquilo iria me cortar ao meio.

“…Ooohh!!”

Afastando o temor com um grito, usei toda a flexibilidade do Estilo Aincrad e ativei uma habilidade partindo de uma postura bem pouco ortodoxa para não dizer completamente torta. Dessa forma, iniciei o corte de um só golpe, Slant.

Graças a isso, minha expectativa foi recompensada ao menos dessa vez, pois consegui fazer com que a espada da Administrator recuasse para trás. Porém, assim como foi repelida, voltou ao ataque como se tivesse sido teletransportada para a posição do quarto e igualmente poderoso golpe.

Aproveitando esse breve instante, insisti e me lancei ao ataque. Encontrei novamente a lâmina de prata ainda em sua trajetória voltando para cima com minha espada negra. As faíscas produzidas pela colisão de duas habilidades iluminaram nossos rostos.

O quarto ataque dessa habilidade não podia ser completamente absorvido com habilidades básicas de um só golpe normalmente. Entretanto, tive uma sorte inacreditável devido à falta do braço direito da Administrator. Isso havia causado uma sensível alteração no seu balanceamento, fazendo com que o corte deslizasse um pouco diagonalmente para baixo indo para à esquerda, facilitando o bloqueio.

As duas espadas se separaram enfim com um estampido metálico e saltei com segurança para trás, deixando o raio de ação da Alto Ministro.

Uma pequena mancha vermelha tingiu a ponta de meus dedos da mão esquerda ao tocarem a ferida aberta em meu peito. Não havia necessidade de curar um dano daqueles com artes sagradas, porém, mais do que uma ferida na pele, a abertura recém feita no sobretudo de couro feito com a maior prioridade que a imagem mental que eu imaginei pode criar me fez estremecer.

Enquanto ficava sem palavras, cogitando o tipo de ferida que poderia ter sido se tivesse realmente me acertado, a Administrator sem pressa alguma endireitou sua postura e falou:

“Espada reta de uma mão, sword skill de quatro golpes, Vertical Square… não é?”

Em termos dos jogos, tive um pequeno lag até que aquelas palavras chegassem ao meu entendimento.

O nome da habilidade era exatamente aquele como ela havia falado, porém… sword skill…? A Administrator realmente tinha dito isso?

Certamente, Underworld tinha os mesmos grupos de sword skills que o antigo mundo de SAO, entretanto, aqui elas eram chamadas de ‘movimentos secretos’ e reconhecidas como um poder que residia dentro de cada espada que poderia ser liberado depois de um longo período de treinamento, nada que referenciasse o antigo assistente de sistema daquele antigo lugar.

Isso sem mencionar como os movimentos secretos usados no Mundo Humano estavam limitados a skills de apenas um golpe como o Lightning Flash Slash, outrora nomeado como Vertical, o Whirl Current correspondente ao Cyclone e o Heavenly Mountain Rending Wave que conhecia como Avalanche. Essa era a principal razão do por que conseguia ganhar em vários combates aos quais passei e também durante as práticas reais. Tudo devido ao uso que fazia das skills de golpes consecutivos que acabou cunhando o Estilo Aincrad.

De maneira que pensei que essa também seria minha melhor oportunidade para conseguir uma vitória aqui.

Porém, se a Administrator pode usar de fato as sword skills originais como os poderosos golpes que excediam os quatro ataques, essa vantagem deixa de existir.

A figura de Eugeo caída, atingida por uma ferida fatal, entrou em meu campo de visão, enchendo minha mente de confusão e agonia. O sangue ainda continuava se derramando do imenso corte. Quantos minutos ainda lhe restavam?

Enquanto pensava isso, a ansiedade me consumia ainda mais.

Eugeu teve sua memória temporariamente selada e lutou contra mim como um Integrity Knight. Isso significava que suas recordações foram scaneadas durante o  Synthesis Ritual. Acarretando que talvez a Alto Ministro possa ter obtido os nomes das habilidades como o Vertical Square das lembranças de meu amigo?

Se fosse algo assim, a oportunidade de vitória ainda existia caso eu ativasse uma habilidade com mais de quatro golpes…

Havia chegado a hora de usar a melhor skill para espada reta de uma mão que conseguia chegar aos dez ataques…

A Administrator deixou escapar um sorrisinho ao me ver separar amplamente os pés e preparando minha espada negra.

“Então… ainda consegue manter esse olhar tão desafiador? Pois bem, me entretenha mais um pouco, garotinho!”

Mesmo que uma grande quantidade de vida tivesse sido perdida junto com seu braço direito, a Alto Ministro ainda se portava normalmente, como se nada a abalasse.

Não falei nada em resposta, apenas respirei fundo e me preparei.

Concentrei meus pensamentos, recordando de forma vívida a imagem da sword skill gravada em ambos, corpo e em minhas recordações. Uma rápida olhada revelou um fraco brilho branco começando a cobrir a espada em minha mão direita.

Minha lâmina traçou um arco enquanto a brandia da direita para cima.

“Haaaahh!!”

Urrei o melhor que pude, declarando a ativação da mais avançada de todas as habilidades de espadas retas de uma mão, a Nova Ascension.

Auxiliado por uma força invisível, meu corpo disparou no ar a uma velocidade extrema.

O primeiro golpe foi um corte absurdamente rápido para baixo que superou todos os golpes dado até agora nesse mundo em termos de agilidade. Não havia nenhuma skill que excedesse essa velocidade e que fosse para espadas retas de empunhadura única.

O corte agora estava a menos de meio segundo antes de cravar no ombro esquerdo da Administrator.

Minhas sensações do ambiente aceleraram e nesse momento, tudo pareceu estar imerso em geleia…

A espada prateada modificou sua lâmina, fazendo seu fio girar e foi direto para mim.

Um clarão prateado em forma de cruz foi produzido.

Seis estocadas apunhalaram meu corpo a uma velocidade divina, primeiro verticalmente e depois horizontalmente.

“GAH…!!”

Sangue fresco jorrou de minha boca.

Minha habilidade de dez golpes fora interrompida ainda em seu golpe inicial, se deteve com um brilho azulado se dispersando inutilmente no ar.

Não conseguia nem sequer registrar o que acontecia devido ao torpor de minha mente, muito menos podia raciocinar devido aos ferimentos.

A dor lancinante e o temor tomou conta de mim enquanto olhava fixamente para a espada da Administrator, saindo de dentro de meu estômago enquanto cambaleava para trás.

Seis golpes consecutivos consistindo inteiramente de estocadas.

Nenhuma habilidade para espadas retas de uma mão que conhecia poderia rivalizar com aquilo.

O sangue corria livremente das pequenas perfurações em meus ombros, peito, garganta e estômago. Caí sem forças de joelhos e depois desabei sobre as minhas costas no mármore frio do chão enquanto lutava desesperadamente para não entrar em colapso.

Mantendo certa distância de mim, como se não quisesse se sujar com meu sangue saindo em profusão de meu corpo, a Administrator ocultou sua boca com a lâmina da espada.

“Ufufufu… que situação terrível você se encontra, garoto.”

Com seus lábios esticados e curvados ao máximo, viam-se os cantos de um grande sorriso de escárnio excedendo a lâmina prateada.

“Florete, skill de seis golpes, Crucifixion.”

Não pode ser!

Jamais havia mostrado essa habilidade para Eugeo. Em primeiro lugar, eu sequer podia usar esse tipo de golpe, já que minhas espadas não eram compatíveis. Apenas tinha visto uma vez em Aincrad.

O mundo parecia tremer e derreter.

Não, era eu que estava entrando em colapso enquanto tentava buscar uma resposta para o que estava acontecendo em minha frente.

Será que ela havia olhado as minhas recordações?

Era possível roubar essa skill de meu Fluctlight…? E será que mesmo ela sendo a governante suprema desse mundo, poderia usar uma habilidade que eu praticamente havia esquecido de sua existência…?

“Não… pode ser…”

Um lamento tão distorcido saiu com dificuldade de minha boca que quase não reconheci minha própria voz.

“Im…possível… isso é… impossível…!”

Apertei meus dentes ao ponto de rangerem.

Talvez por frustração por não conseguir chegar a uma resposta ou quem sabe devido à fúria que se recusava a me abandonar, agarrei fortemente minha espada e a usei como apoio para manter os pés firmes no chão e corrigir minha postura.

A mão esquerda afastada para fora e a mão direita recuada para dentro. A postura clássica para a habilidade de um golpe, a mesma que matou Chudelkin, Vorpal Strike.

O espaço entre nós era de aproximadamente cinco metros. Era mais do que suficiente.

“U… aaaaah!!”

Gritei usando toda força de meu abdômen, forçando e apostando tudo no escasso poder de minha imaginação a essa altura. A espada encostada sobre meu ombro resplandeceu em vermelho, tão vivo quanto o próprio sangue, tingido com a brutal intenção de assassinar.

A Administrator, em resposta, afastou um pouco seus pés, colocando um na frente do outro e baixou seu centro de equilíbrio assim como eu, antes de levar seu florete seguro na mão esquerda até a direita de sua cintura de maneira delicada, cessando seus movimentos após assumir a posição.

Provando que a impressão que tive segundos antes não era uma alucinação, a lâmina que havia se modificado se tornando mais fina da outra vez voltou a se alterar.

A arma tinha virado uma espada com a lâmina mais achatada, incrementando seu alcance com uma leve curvatura.

Independentemente da forma adquirida, o poder emanando dela apresentava uma pressão inacreditável juntamente com um brilho cruel.

Mas não tinha tempo para ficar admirando, estava frustrado, com raiva e tinha que usar isso como combustível para atacar.

“Uoooaaaahhh!!”

Minha espada sedenta, refletindo o que tinha no coração, disparou com um rugido bestial.

Ao mesmo tempo…

“Shiiiia!!”

Um segundo grito agudo ecoou pela sala, mas dessa vez ele vinha dos lábios da Administrator.

A espada emitiu um brilho cegante prateado do lado direito de sua cintura.

Traçando uma rápida trajetória curva, a arma da Alto Ministro avançou de maneira muito mais elegante do que a minha habilidade Vorpal Strike, que vinha agressivamente em linha reta.

O clarão acompanhou uma linha brilhante muito fina que acertou diretamente meu peito.

Seu impacto me lançou longe como se tivesse recebido um tiro de canhão a queima roupa. Muito de minha Vida restante se dispersou no ar junto com o fluído vermelho vivo que jorrava de mim.

As palavras que vieram da Administrator enquanto ela balançava sua mão esquerda chegaram aos meus ouvidos entorpecidos.

“Katana, skill de um só golpe, Absolute Void.”

Uma habilidade que estava muito além de meu conhecimento.

Sofrendo uma pressão psicológica e física absurda, muito mais intensa do que a simples sensação de medo, caí ao solo. Pude ouvir sons úmidos enquanto o sangue escorria por todo meu corpo.

Entretanto, o sangue se derramando agora não era todo meu. Havia caído sobre a enorme quantidade de líquido que fluía do corpo cortado ao meio de Eugeo.

Congelei na hora, com somente meus olhos sendo capazes de se mover. Dirigi meu olhar para Eugeo… para a parte superior que estava praticamente encostada em mim.

Meu companheiro estava com seu rosto totalmente pálido e com seus olhos fechados. O sangue ainda vertia da horrível ferida, mas agora o fazia lentamente. Era impossível para mim, porém, dizer se sua vida já havia se esgotado, entretanto, duvidava muito que pudesse ainda recobrar seus sentidos.

Nesse momento somente uma coisa era certa para mim.

Eu havia desperdiçado a Vida de quem deveria salvar.

Não podia ganhar da Administrator.

Uma batalha entre artes sagradas seria uma inevitável conclusão, pois a Alto Ministro tinha me superado, inclusive, em uma batalha de espadas.

Já não tinha nenhum meio de descobrir exatamente como ela havia aprendido aquela variedade incrível de sword skills. Mas ao menos sabia que não eram das memórias de Eugeo ou das minhas.

As sword skills não estavam inclusas no pacote de instalação do The Seed, usado como base da arquitetura para criação de Underworld. Alfheim Online, que herdou o antigo servidor de SAO, era o único que ainda tinha isso instalado.

E acho pouco provável que os engenheiros do RATH, que construíram Underworld, tenham de alguma forma roubado o sistema de sword skills de ALO e muito menos a própria Administrator.

Era inútil ficar parado pensando nisso. Pois mesmo que descubra a verdade, o fato de não poder fazer nada em relação estava bem claro.

A devoção de Charlotte, a determinação de Eugeo, a resolução de Alice… e a vontade de Cardinal… por eles eu deveria…

“Que rosto adorável….”

A voz acariciou minha nuca como um bloco de gelo.

Os pés descalços da Administrator pisavam delicadamente no mármore enquanto eu sentia sua presença cada vez mais próxima.

“Tudo isso que vejo em seu rosto é graças à demonstração de sentimentos dos humanos diferentes do outro lado? Realmente, gostaria de decorar meus aposentos com essa sua expressão chorosa e preservá-la para a eternidade.”

Deu uma risadinha divertida.

“Entretanto, devo dizer que sempre considerei as batalhas com espadas irritantes e sem graça, porém, vejo agora que tem seu próprio encanto, garoto. Em virtude disso, será que poderia aguentar um pouquinho mais? Deixe-me desfrutar desse seu sofrimento enquanto vou amputando seus membros um a um…! ”

“Faça o que achar melhor, sua maldita!”

Respondi a contragosto em um volume quase inaudível.

“Se divirta como quiser, mas acabe logo com isso!”

Deveria sofrer dezenas de vezes mais do que Eugeo e Cardinal antes de desaparecer desse mundo.

Com minha força para falar falhando, a força em minha mão direita segurando a espada… também começou a se esvair…

Foi então que…

Um sussurro chegou aos ouvidos.

“V-Você… não é de… se… ren… der…!!”

Um som quase desconectado com o meio físico, às margens do desaparecimento.

Mas ainda suficientemente perceptível para identificar quem era seu dono.

Não pude pensar em mais nada conforme minha visão borrava outra vez.

Aqueles gentis olhos verdes em meio às lágrimas me olhavam por entre finos espaços abertos de suas pálpebras.

“Eu… geo…!”

Virando para meu amigo, minha voz saiu rouca ao dizer seu nome.

Ele mostrou um leve, quase imperceptível sorriso.

Tinha ficado imobilizado de dor quanto fui atacado no estômago pelo Sword Golem. Porém, não podia sequer imaginar o tipo de dor que Eugeo estava sofrendo. Seus ossos, órgãos internos estavam completamente cortados, desgarrados uns dos outros. Essa dor deveria ser o suficiente para destruir seu Fluctlight… porém, ele ainda estava ali… lutando.

“Kirito…”

Eugeo falou de alguma maneira com a voz mais forte.

“Naquela vez… eu… eu… não fui capaz de fazer nada quando Alice foi levada… Em compensação… você… o jovem você… valentemente se pôs em pé… contra o Integrity Knight… porque esse é que você é…”

“Eugeo…”

Entendi imediatamente que ele estava se referindo às recordações de Alice sendo levada de Rulid há oito anos.

Só que… eu não estava lá.

Perguntei-me se ele talvez estivesse confundindo com outra memória, porém, a luz em seus olhos me convenceu de que ele não estava em devaneio, estava realmente falando a verdade.

“De maneira que… é meu turno… minha vez de te dar um empurrãozinho para seguir adiante. Agora, Kirito… sei que ainda pode lutar.

Levante-se…!

Não importe quantas vezes caia… se for você… eu sei que conseguirá…”

A mão direita de Eugeo se moveu.

Olhei por entre às lágrimas enquanto seus dedos pegavam algo metálico, algo resplandecente azulado que estava afundado ao seu lado na macabra piscina de sangue, a Blue Rose.

Agarrando sua querida espada que havia perdido metade de sua lâmina de dentro do sangue, com o líquido escorrendo por sua superfície, Eugeo fechou os olhos.

Uma repentina e cálida luz avermelhada nos envolveu.

O mar escarlate a nossa volta vibrou embaixo de nossos corpos.

“Mas o que está…!?”

A Administrator gritou com a voz cheia de ira. Porém, a toda poderosa governante foi obrigada a proteger seu rosto com a mão esquerda como se estivesse aterrorizada pela luz vermelha, forçando-a recuar.

O resplendor envolvendo o sangue se intensificou de maneira infinita, preenchendo totalmente o espaço isolado até se converter em incontáveis pontos de luz que ficaram flutuando.

Depois de pairarem no ar ao nosso redor por alguns breves instantes, começaram a girar e se fundir na espada, como se estivessem sendo atraídas magneticamente para a Blue Rose, que estava na mão de Eugeo.

Uma nova lâmina cresceu onde a espada havia se partido.

Transmutação.

Fiquei sem ar enquanto presenciava aquele milagre, que até então, somente as supervisoras desse mundo eram capazes.

O magnífico fenômeno se repetiu diante de meus olhos. Intensas emoções se acumularam em meu peito e viraram gotas de lágrimas que rolavam pelo rosto.

Depois de recuperar seu tamanho original, a Blue Rose Sword teve seus detalhes entalhados na superfície, a rosa em seu centro e demais adornos, todos envoltos em uma luz vermelha. Assim como sua lâmina, guarda, empunhadura… tudo foi coberto na cor vívida escarlate.

Eugeo ofereceu para mim sua maravilhosa arma, que agora deveria ser renomeada para Red Rose Sword, com seu braço trêmulo.

Esquecendo de toda dor, de todas as sensações nesse momento, minha mão esquerda se moveu e agarrou a empunhadura da espada juntamente com a mão de meu amigo.

Imediatamente, a energia fluiu para as partes mais profundas de meu corpo.

Não era nenhuma arte sagrada.

Provavelmente era o poder nascido da força de vontade de Eugeo. Um poder infinito, o Incarnation, gerado única e exclusivamente de sua mente e coração.

Pude sentir a ressonância de nossas almas no momento desse breve toque, cruzando os mundos desde o Fluctlight de Eugeo até o meu.

A força abandonou a mão de meu amigo e caiu languidamente depois de confiar a espada para mim.

Breves palavras saíram de seus lábios enquanto sorria outra vez ou melhor dizendo, suas palavras não saíram de sua boca e sim de sua consciência diretamente para a minha.

Agora, levante-se, Kirito! Meu melhor amigo, meu irmão… meu… herói…

A dor das feridas e perfurações por todo corpo desapareceu.

O frio vazio e profundo em meu peito evaporou-se em face a um crescente e gentil calor.

Observei firmemente o rosto de Eugeo, seus olhos se fechando outra vez.

Então sussurrei:

“Sim… levantarei, me colocarei de pé quantas vezes forem necessárias, farei isso por você.”

Levantando para o alto meus braços, que não sentiam nada até segundos atrás, cravei as duas espadas negra e vermelha no solo com força enquanto cerrava os dentes.

Meu corpo se movia visivelmente rejeitando minhas ordens.

Todos meus membros protestavam diante o movimento, pesado como chumbo.

Ainda assim, cambaleei dando um passo adiante, dois, três…

A Administrator lentamente recobrava sua postura, olhando fixamente para nós com chamas brancas de ira em seus olhos. Depois de instantes, escolheu o alvo de seu ódio… eu.

“Por quê?”

A voz que saiu tinha um tom profundo, distorcido e com timbre metálico.

“Porque fica se opondo ao seu destino de maneira tão patética?”

“Para começo de conversa…”

Iniciei a resposta com a voz ressecada.

“Opor-me a você é a única razão pela qual estou aqui.”

Meus pés continuaram se movendo, avançando sem nenhum receio, mesmo que estivessem cambaleantes em péssima forma física.

As duas espadas sustentadas em minhas mãos se mostravam incrivelmente pesadas.

Entretanto, suas tangíveis presenças é que me concediam força, me abastecendo e possibilitando seguir adiante.

Já havia entrado em batalhas com duas espadas incontáveis vezes em minha vida inteira de jogos, em inúmeros mundos diferentes. Porém… agora era diferente, essa era a… verdadeira forma da Dual Blade de Kirito, o espadachim.

Invoquei o fenômeno de sobrescrita com minha imaginação outra vez e meu sobretudo se regenerou de todos os danos instantaneamente.

Embora os ferimentos que sofri no corpo não houvessem desaparecido, não me importava mais com o quanto de Vida ainda restava.

Poderia lutar sempre e enquanto fosse capaz de mover minhas articulações para balançar a espada, é assim que eu sou e é assim que tem que ser.

Estava decidido, não perderia mais…

Sword Art Online Alicization Underworld - Quinella x Kirito

 

 

 

 

OLÁ PESSOAS!

PAPO SÉRIO HOJE.

MUITO ME ALEGRA E ME ENTRISTECE FAZER UM POST COMO ESSE.

DOIS ANOS ATRÁS FOI EXATAMENTE ESSE TRECHO DE ALICIZATION QUE ME FEZ INICIAR A TRADUÇÃO DESSE ARCO TÃO MARAVILHOSO.

PORQUE, VOCÊS PODEM PERGUNTAR?

BEM, MUITOS ANOS ATRÁS PERDI UM AMIGO QUERIDO, MEU MELHOR AMIGO DE UMA FORMA TÃO TRISTE QUANTO NOSSO QUERIDO EUGEO (SIM, SOU DAQUELAS PESSOAS QUE QUANDO LÊ, ACABA POR CRIAR LAÇOS COM OS PERSONAGENS).

MEU AMIGO MORREU SALVANDO SEU IRMÃOZINHO ANTES DE SER LITERALMENTE ESMAGADO E PARTIDO AO MEIO EM UM TERRÍVEL ACIDENTE DE CARRO. FOI NOBRE, PORÉM, TRISTE.

UMA JOVEM ALMA, UM FLUCTLIGHT NATURAL E PURO SE PERDEU…

NUNCA IMAGINEI QUANDO COMECEI A LER SWORD ART QUE VERIA TANTAS SEMELHANÇAS EM UM PERSONAGEM FICTÍCIO CRIADO NO JAPÃO COM UMA HISTÓRIA/TRAGÉDIA PESSOAL.

DESCULPEM O DESABAFO, FIQUEI EMOCIONADO E TAMBÉM FELIZ POR PODER DE ALGUMA FORMA, HOMENAGEAR UMA PESSOA REAL E SEU PARCEIRO LITERÁRIO TÃO AMADOS POR MIM.

TENHAM UMA ÓTIMA LEITURA E ATÉ SEMANA QUE VEM COM NOSSA PROGRAMAÇÃO NORMAL.

FORTE ABRAÇO!

OBS.: BAIXEM ESSA MÚSICA E COLOQUEM NO REPEAT PARA UMA IMERSÃO ENQUANTO ESTIVEREM LENDO. AO MENOS PARA MIM, FOI EMOCIONANTE.

http://bit.ly/TRILHA_CAP_SAO

Sword Art Online Alicization Underworld Uniting

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization Underworld – Light novel em Português

Também estamos no Tumblr e no Pinterest

Ou deem play aqui.