Sword Art Online Alicization Underworld em Português – Uniting Capítulo 13 – Parte 2.2

Arco: Sword Art Online Alicization Underword – Uniting

Capítulo 13

Sword Art Online Alicization Underworld Ultimate Weapon QuinellaO calafrio tomou novamente o corpo de Eugeo.

A habilidade de apagar e sobrescrever as memórias de um ser humano como bem desejar. Ele sabia o quão terrível isso era, pois havia sentido na própria pele. A Administrator tinha selado suas recordações e o convertido em um Integrity Knight que acabou voltando sua espada para Kirito e Alice após recitar aquela incrível arte de apenas três palavras.

Se a Alto Ministro tivesse feito o Synthesis Ritual com o procedimento adequado, ele provavelmente jamais teria sido capaz de recuperar sua consciência. Só conseguiu tal feito pois tinha usado um espaço vazio entre suas memórias. Ainda que não tenha certeza do porquê havia algo assim alá, na melhor das hipóteses, isso foi sua salvação.

Entretanto, ainda não havia se redimido de todos seus pecados. Pois não pode fazer nada mais do que distrair Chudelkin com uma arte de ataque durante essa batalha. Ele não podia se perdoar simplesmente com um ato desses. Sentia que era indigno de estar lado a lado com Kirito nesse combate…

Apertou a empunhadura da Blue Rose Sword em sua mão direita tão logo sentiu o olhar de Kirito sobre si. Porém, antes de perguntar o que significava aquilo, a voz de Alice surgiu entre os dois.

“Certamente, sinto um tormento e uma angústia suficientemente forte para despedaçar meu coração nesse momento. Tão abrasador que mal consigo manter-me em pé.”

Sua voz tremeu por alguns instantes e depois recobrou a potência.

“Entretanto, não desejo que essa dor… essa emoção que sinto agora pela primeira vez nessa minha nova versão, seja apagada. Depois de tudo, essa dor me mostrou que não sou meramente uma marionete, um brinquedo como você diz. Sou um ser humano de corpo, coração e alma.

Estimada Alto Ministro, não desejo seu amor, não tenho necessidade de seus cuidados.”

“Um boneco que deseja deixar de ser um boneco…?”

A Administrator seguiu falando após as palavras de Alice.

“Não entenda isso como sinal de ser humana, minha garotinha patética. Você não passa de um brinquedo com defeito que precisa de reparos. É meu dever como mestra te livrar desses pensamentos irrelevantes. E sempre que eu a sintetizar, apagarei todas suas emoções, porém, com o tempo, você pode acabar ficando vazia… seria um desperdício jogar uma bonequinha tão lindinha fora. ”

Enquanto dizia essas terríveis palavras, a Administrator sorria gentilmente.

“Exatamente como fez com você mesma… não é, Quinella?”

Kirito, que esteve quieto até o momento, disparou, chamando a Administrator por seu antigo nome.

Como antes, o sorriso da mulher atenuou-se.

“Então, garoto, não disse antes para não ficar desenterrando essas velhas histórias?”

“Por acaso estou dizendo alguma mentira? Creio que mesmo você não pode modificar o passado. Nunca poderá mudar o fato de que também nasceu como uma criança nesse mundo, uma simples existência humana… não é?”

Eugeo compreendeu o que Kirito estava fazendo ao citar as antigas histórias que ouviu de Cardinal em relação ao verdadeiro nome da Administrator. Provavelmente, estava testando e analisando o inimigo, coletando o máximo de informação possível.

“Humana… humana, você disse?”

O largo sorriso retornou aos lábios da Administrator enquanto falava baixinho em um tom cheio de ceticismo.

“Algo assim sendo dito por você, um garoto do ‘outro lado’, soa bastante estranho, não acha? Parece que está me dizendo que é superior. Que todos que vivem em Underworld são meramente existências sem importância… é isso mesmo?”

“Não, na verdade não estava me referindo a isso.”

Kirito deu de ombros enquanto respondia imediatamente.

“Pois se for mesmo comparar, na verdade, são os humanos desse mundo que são muito superiores em diversos aspectos aos do outro lado. E ambos são humanos iguais em sua síntese, possuindo o mesmo tipo de alma e você não é exceção, Quinella. Não importa quantas centenas de anos se passem, um humano nunca poderá se transformar em um deus e creio que você já se deu conta disso, não é?”

“E se levar isso em consideração, o que você acha que eu deva fazer? Conformar-me e lhe convidar para sentar para tomarmos um chá, como companheiros humanos?”

“Eu quis dizer que… você precisa se reconhecer como um ser humano, não uma existência perfeita, essa é a realidade. Para começo de conversa, humanos cometem erros e os seus estão tão grandes que não tem mais conserto. Com a ordem dos Integrity Knight parcialmente destruída, o Mundo Humano será devastado com a invasão conjunta do Dark Territory que irá se iniciar a qualquer momento.”

Kirito então deu uma olhada para Eugeo e continuou.

“Faz dois anos, Eugeo e eu lutamos com um grupo de goblins que se infiltraram para o lado humano através de uma caverna nos limites das montanhas ao norte. O Integrity Knight daquela região não foi capaz de detectá-los e provavelmente você tinha a ordem dos cavaleiros toda completa. E tais incidentes, com toda a certeza, aumentaram muito a frequência desde então. Eventualmente, essas incursões se tornarão em uma invasão de fato, acabando com este mundo ao qual você, mesmo que da maneira errada, tentou preservar com todas suas forças… Seu paraíso será exposto a uma violência sem precedentes, coisa que sei que não está em seus planos.”

“Belas palavras vinda da pessoa que destruiu os Integrity Knight, poderia jurar que esse era o SEU plano, fufufu!

Se você deseja sobreviver, garoto, é só deslogar… creio que é isso que esteja pensando.”

Kirito respondeu o mais ríspido que pode dando um passo a frente enquanto ignorava o último comentário da Administrator.

“Para unir as massas do Dark Territory, organizando-as para se infiltrarem no Mundo Humano depois de tantos anos dispersos, com certeza deve haver um novo comando por lá… com poder de os prenderem com regras semelhantes como as leis aqui no Mundo Humano… uma Igreja da Escuridão talvez? Mas acima disso, além de sua própria capacidade, há pessoas que tem verdadeira autoridade absoluta sobre esse mundo e elas estão do ‘outro lado’.

E se pensarem que… seus experimentos fracassaram, sem nenhum remorso reiniciarão tudo. Com somente um apertar de botão, esse mundo, essa realidade, com montanhas, rios, cidades… todos os humanos e as criaturas das terras escuras…, tudo será eliminado em um instante.”

As palavras de Kirito já haviam excedido o entendimento de Eugeo.

O mesmo provavelmente acontecia com Alice, que olhava o espadachim negro com uma expressão cheia de dúvidas.

Porém, parecia que somente a Alto Ministro havia realmente entendido o que o garoto havia dito. O sorriso havia se desfeito de seus lábios e uma luz fria se fez notar naqueles olhos prateados.

“Admito que isso seja algo realmente desagradável. Ainda mais quando alguém me diz isso tão claramente… que esse mundo é apenas um jardim miniatura que pode ser manipulado por algum ser desconhecido.”

Cruzou seus longos dedos das mãos, bloqueando parcialmente a visão de seu maravilhoso rosto. E a voz pronunciada vinda daqueles lábios ocultos havia perdido praticamente toda sua graça quando prosseguiu.

“Entretanto, diga-me! O que fariam vocês… do ‘outro lado’? Se estivessem consciente da possibilidade de que seu próprio mundo fosse algo criado por um ser superior? Fariam algo para agradar esse ser para que ele não acabasse com sua existência e de seus semelhantes?”

Essa era uma pergunta que ia além de todas as expectativas de Kirito.

Olhando um momento para baixo, o espadachim mordia seus lábios em silêncio, enquanto a Administrator o observava de cima se levantando lentamente de sua poltrona invisível e colocando suas mãos na cintura.

Esticou suas longas pernas, exibindo-as como se estivesse em um desfile de grife, caminhando em sua passarela invisível. Seu corpo nu que se banhava com a luz da lua, emanava uma aura de puro poder, de magnitude divina.

“Provavelmente vocês não fariam nada para salvarem outros que não as próprias peles, pois são guiados por seus caprichos e ambições, tanto que criam mundos e vidas e as descartam assim que perdem o interesse. E você, garoto desse outro mundo, tem realmente nenhum direito de vir aqui e desafiar minha autoridade? Não tem negócio aqui para você, afinal, isso aqui não é um ‘mundo insignificante’? Sua presença não é bem-vinda.”

A Alto Ministro elevou seus olhos para o teto… não, provavelmente para um lugar muito além do céu noturno e declarou em alto e bom som.

“Eu realmente não acredito. Não creio que rezar e rogar para esses seres, esses players, que foram falsamente tidos como deuses para preservarem toda a existência adiantará de alguma coisa. Você e eles são todos desprezíveis, indignos de minha atenção. Não preciso de ajuda de ninguém e nem conselhos.

Deveria esperar mesmo algo assim, já que você andou dando ouvidos para minha irmãzinha. Garoto, escute bem! Minha única razão de existir é para governar. Apenas esse desejo que me move e me mantém viva. Essas duas pernas são feitas para caminhar adiante e não me ajoelhar, definitivamente! Conseguirei prevalecer sobre tudo e todos com minhas próprias forças, vivo para dominar e o resto para me servir!”

O ar se agitou como um tornado com esse rugido da Administrator e o seu cabelo prateado se elevou como uma explosão brilhante ao terminar sua frase.

Intimidado pela intensa presença, Eugeo inconscientemente retrocedeu seu pé direito. A Administrator, mesmo tendo feito coisas terríveis como manipular as memórias de Alice, dele e dos outros, a mesma que permitia a perversidade dos nobres com tantas leis injustas, ainda assim, tinha que admitir que ela era a governante mais poderosa do mundo, o ser absoluto, uma deusa. Com tanta autoridade que mesmo famílias nobres de altíssima classe poderiam levar gerações sem ao menos ter um segundo de audiência com ela.

Seu companheiro de cabelos negros, que o guiou por todo esse caminho, também parecia estar impressionado com seu poder, já que a parte superior de seu corpo estava um pouco trêmula. Entretanto, ao invés de dar um passo atrás como ele fez, deu outro passo a frente, cravando sua espada com força no solo, como se aquilo lhe desse força e coragem.

“Então!”

Sua voz era suficientemente alta para reverberar os vitrais da janela logo atrás.

“Você pretende ficar aí sentada em seu trono imaginário e olhar para o lado enquanto o Mundo Humano é pisoteado? Como será a governante sem uma nação para cuidar? Ou quem sabe é idiota o suficiente para não notar que isso será a sua própria ruína? Está cavando sua cova solitária!”

Ao escutar essas palavras, toda a gentileza e sensualidade desapareceram de seu lindo rosto, dando lugar para uma implacável fúria.  Mas que durou pouco para voltar ao seu sorrisinho cínico mais uma vez.

“Já que tocou no assunto da invasão conjunta, garoto, muito me magoada que pense que eu não tenha nada planejado. Tenho tempo de sobra para pensar… sim, tempo é o que não me falta, é meu aliado e minha maior arma, diferente das pessoas do outro lado.”

“Então, quer dizer que tem mesmo os meios de combater essa invasão?”

“Chame do que quiser, meios, objetivos, metas… Eu existo somente para governar… então, para mim isso é somente mais um recurso. Não tenho limitações para minhas ações, não pondero, eu executo.”

“A que… se refere?”

A Administrator não deu uma resposta imediata para a desconcertada pergunta de Kirito.

Ao invés, uma enigmática aura acompanhou seu sorriso que surgiu nos lábios enquanto ela batia suavemente uma única palma, como se estivesse dando o assunto por encerrado.

“Deixarei que ouça o resto depois que eu o transforme em um de meus bonecos, garotinho. É claro, não se preocupe, Alice e Eugeo estarão juntos de você.

E só para lhe informar mais uma coisa… não tenho intenção alguma de ficar quieta sobre o reset de Underworld. Estou ciente do experimento de carga final há muito tempo. E preparei uma arte muito especial para essa ocasião… então, anime-se, darei a vocês a oportunidade de ver algo muito legal.”

“Uma arte…!?”

Kirito respondeu alarmado.

“Você está dependendo dos system commands que estão cheios de restrições? Está planejando exterminar todas as forças da escuridão com um comando que só você pode usar? Se pode mesmo fazer isso, como não usou algo parecido em nós três até agora?”

“Oh! Isso que está lhe incomodando?”

A Administrator se divertiu.

“Estou errado? Sua vitória não me parece nada certa. Não vejo como conseguirá cuidar de nós, quanto mais de uma horda na casa dos milhares.

Alice pode deter todo tipo de arte sagrada de longo alcance em pouquíssimo tempo, enquanto Eugeo e eu podemos lhe atingir violentamente a curta distância. Se está pensando em nos paralisar com um desses comandos que não requer tocar o inimigo, lhe partirei ao meio antes que termine, igual ao que fiz com Chudelkin.

Falando diretamente, sozinho um usuário de artes sagradas, mesmo muito experiente, leva uma grande desvantagem contra múltiplos espadachins. Creio que isso é uma regra absoluta… mesmo nesse mundo.”

“So… zinha?”

Administrator riu alto.

“É engraçado que diga isso. Sim, os números são realmente um problema de fato. Meu controle é limitado quando existem muitos peões no meu tabuleiro. Ou pelo menos seria algo assim, no caso do experimento de carga final. Já havia confirmado isso quando comecei a ordem dos Integrity Knight e percebi esse balanceamento, mas…”

A governante mais poderosa que não deveria temer nada além de si mesma, que sequer sentiu a perda de seu servo mais leal, Chudelkin, parecia que esquecera sua pose agora que estava frente aos três rebeldes, falando quase em tom casual.

“Para começo de conversa, a ordem dos cavaleiros era apenas um meio para o fim. O poder militar que realmente desejo não precisa sequer pensar, muito menos precisa de coisas como recordações ou emoções. Tudo que ele necessita é ser uma existência dedicada a nada mais do que massacrar o inimigo com a maior violência e impiedade possível, sem que se tenha que ficar controlando… em outras palavras, o que eu quero não é um ser humano.”

“Mas então…?”

Ignorando Kirito, a Administrator levantou sua mão esquerda para o alto. E flutuando pouco acima de seus dedos, estava o prisma triangular reluzindo com um brilho violeta, era o Piety Module extraído de Eugeo.

“Ele foi um palhaço estúpido sim, mas até Chudelkin teve seu uso. Depois de tudo, acabou me dando tempo suficiente para terminar até o último segmento do extenso comando. Bem, acho que já é hora… vejam o despertar de meu leal servo! Vá! Executor sem alma!”

Eugeo entendeu logo após ouvir essas palavras.

Ela se referia a arte que ele tinha ouvido anteriormente, recitada de maneira quase hipnótica, vindo do meio dos véus e cortinas da enorme cama, logo após recobrar os sentidos. Uma arte sagrada absurdamente grande e complexa até mesmo para a gigantesca autoridade da Administrator, que precisava se concentrar de corpo e alma para realizá-la. E o resultado desse comando especial seria revelado agora.

O que a mulher de cabelos prateados entoou fortemente logo após dizer essas palavras foi um comando demasiadamente curto, mas que possuía um efeito tão poderoso quanto.

Release Recollection!!

O ponto central do Armament Full Control Art. A arte sagrada destinada a libertar as memórias de uma arma e aumentar violentamente seu poder, excedendo todas as artes sagradas existentes.

Entretanto, a desnuda Administrator não tinha absolutamente nada, nem sequer uma pequena adaga com ela. Poderia ser o Piety Module que trazia consigo? Porém, esse prisma não deveria ter recordações que pudessem ser liberadas.

Um tranquilo, porém, intermitente som chegou aos ouvidos de Eugeo enquanto levantava o olhar para a Administrator.

Após vários tilintares cristalinos, uma onda de ruídos metálicos se seguiu… vindo de todas as direções.

Eugeo rapidamente virou o rosto para visualizar onde o som era mais forte e contundente e foi surpreendido com uma visão estarrecedora.

Haviam incontáveis pilares de sustentação naquela enorme sala. As exageradas espadas, que serviam de adorno para cada uma dessas colunas, resplandeciam em dourado e tremulavam levemente.

“Mas…isso…!”

A frase de Eugeo foi completada por Alice.

“…É impossível…!”

A mais longa das imitações de espada, com aproximadamente três mels, que até a Administrator teria dificuldades de manejar facilmente, apresentava a maior vibração, acompanhada de todas as outras por todo o salão, formando um arsenal de mais de trinta objetos reverberando ao mesmo tempo.

O Release Recollection Art só podia ser usado quando existisse um elevado grau de familiaridade entre a arma e o usuário, como se ambos fossem um só corpo. E só dessa maneira que era possível acessar as memórias de sua querida arma.

Será que a Alto Ministro, a qual pensava em todos como meras ferramentas, podia formar esses laços com todas essas mais de trinta espadas? Que tipo de memórias ela liberou daqueles objetos?

Antes que o garoto pudesse completar seus pensamentos, a vibração se intensificou e as gigantescas espadas deixaram os pilares e começaram a flutuar no ar.

Todas as armas vieram voando em direção às outras, com uma delas roçando o cabelo do apavorado Eugeo. Por fim, ao se juntarem, começaram a girar em um enorme redemoinho logo acima de onde estava a Administrator, no meio do salão.

Tão logo isso aconteceu e outro fenômeno mais impressionante se sucedeu.

As aproximadamente trinta espadas se juntaram compondo uma massa metálica cheia de pontas, se conectando, se moldando e formando algo que Eugeo automaticamente achou familiar a uma forma humanoide enorme.

Com uma grande coluna vertebral apunhalando o centro de outras espadas que estavam na horizontal e que pareciam ser a estrutura de longos braços postos ao lado do que se poderia chamar de corpo. As pernas se formaram na parte inferior: quatro delas, duas vezes mais do que um ser humano normal.

Flutuando até o bizarro ser gigante, não, ao monstro grotesco, a Administrator ofereceu o Piety Module em sua mão esquerda.

Esse prisma triangular é a chave para o Release Recollection da Alto Ministro.

E quando Eugeo pensou isso, Kirito gritou ao seu lado.

Discharge!!

Ao olhar para seu amigo, viu aves de rapinas feitas de chamas saindo da ponta de seus dedos estendidos. Entre as muitas variantes de artes sagradas ofensivas utilizando elementos térmicos, Kirito estava disparando a chamada bird shape, que tinha a propriedade de perseguir automaticamente o seu alvo.

Além disso, os olhos da Alto Ministro estavam concentrados em seu gigante de espadas e nem sequer notou seus movimentos. Acho que pode funcionar!

Eugeo estava confiante.

Como que estivesse sabendo de antemão dos planos de Kirito, o gigante estendeu suas pernas e interceptou todas as aves flamejantes, que incapazes de desviar, explodiram uma após a outra nas extremidades da criatura, dispersando-se em várias fagulhas vermelhas.

Após o ataque, as espadas que faziam às vezes das pernas, mal pareciam terem sido tocadas, apenas apresentavam algumas marcas chamuscadas em sua superfície dourada.

E quanto a Administrator, ela havia ignorado completamente o ocorrido e simplesmente largou o prisma em sua mão esquerda. Que ao invés de cair, flutuou como se atraído magneticamente para o interior do ser metálico, onde ficavam três grandes espadas que constituíam suas costas.

O objeto de luz violeta foi lentamente subindo, parando onde normalmente ficaria o coração em um humano, dando enfim vida a criatura, brilhando com mais intensidade ainda.

Esse resplendor se espalhou por todo seu corpo composto das espadas ornamentais, que agora, apresentavam fios extremamente afiados em suas bordas. O som metálico se tornou mais forte e nesse instante, Eugeo soube que a arte sagrada da Alto Ministro havia se completado.

A mulher sorriu.

O gigante de espadas estendeu suas quatro pernas e disparou ainda em pleno ar, se colocando entre a Administrator e o trio, aterrissando no chão com um som absurdamente alto.

Eugeo olhou em silêncio a estranhíssima criatura com aproximadamente mais de cinco metros.

Sua estrutura corporal inteira era um combinado de espadas douradas afiadíssimas que imitavam de modo medonho um esqueleto mortalmente perigoso. Um boneco gigante de muito mau gosto… se não tivessem visto sua origem, era perfeitamente aceitável crer que aquele monstro tivesse vindo do Dark Territory, uma criação digna dos mais terríveis pesadelos.

“Impossível…!”

Alice disse mais como um lamento do que como uma palavra.

“Usar o Full Control Art em múltipla escala dessa forma… em mais de trinta armas ao mesmo tempo…

Isso perverte todas as regras tidas como certa, violando os princípios fundamentais de todas as artes sagradas. Deveria ser impossível, mesmo para você, Estimada Alto Ministro…

O que de fato você fez…? ”

A voz de Alice provavelmente alcançou os ouvidos da Administrator, porém, a mulher que agora estava flutuando atrás do gigante, ignorou a pergunta totalmente, apenas limitando-se a rir.

“Fufufu… fufu, fufufu. Esse é o verdadeiro poder ao qual buscava. Poder puro capaz de lutar por toda a eternidade sem cansar. Um nome vocês perguntam?… Sim, suponho que posso chamá-lo de Sword Golem, uma identificação apropriada, não acham?”

Mesmo em língua sagrada desconhecida para ele, Eugeo podia deduzir parcialmente o significado daquele nome.

Ele sabia que sword era uma palavra reservada para se referir as espadas. Entretanto, golem, nunca havia aparecido nos muitos livros que leu na academia. Inclusive Alice, quem deveria ser muito mais proficiente na língua sagrada do que ele, parecia perdida também.

O curto silêncio foi interrompido por Kirito.

“Um autômato… de espadas.”

Essa tradução da língua sagrada para a língua comum pareceu agradar a Administrator que deu um amplo sorriso em resposta enquanto juntava levemente suas mãos.

Sword Art Online Alicization Underworld - Ultimate Weapon Quinella“Sabia que você acertaria o que nomeei na língua sagrad-… não, quero dizer, em inglês. Que tal você, ao invés de virar um Integrity Knight, ser meu secretário? Mas para isso, você terá que baixar essa espada e se desculpar por toda insolência cometida, jurando lealdade eterna para mim. O que acha?”

“Infelizmente, duvido muito que vá acreditar em um juramento meu. Além do mais… ainda não admiti minha derrota.”

“Não tenho nada contra esse seu espírito forte, porém, definitivamente não creio que ainda segue falando essas bobagens. Por acaso acha que consegue derrotar meu Golem…? Derrotar essa máquina feita de espadas com prioridades do nível dos instrumentos sagrados? O weaponry mais poderoso que criei usando até a última porção de meu precioso espaço de memória para completar…?”

Weaponry, já havia escutado esse termo antes.

A subcomandante Fanatio tinha dito isso quando falou que a Alto Ministro tentou criar um dispositivo para focar toda a luz de Solus em um único ponto com milhares de espelhos com a finalidade de criar um raio térmico poderoso sem o uso de artes sagradas. Nessa ocasião a Alto Ministro tinha dito que aquilo era um Waeponry experiment…

Isso significava então que os weaponry eram ferramentas que tinham poderes que superavam as artes sagradas? E esse tal Golem diante de seus olhos era a forma absoluta desse experimento…?

Ao ver as expressões do trio, a Administrator sorriu de maneira fria mais uma vez e sacudiu lentamente sua mão direita.

“Certo. Hora de lutar, Golem. Acabe com meus inimigos!”

E como se tivesse esperando ansioso por essa ordem…

O coração do gigante feito de espadas brilhou intensamente com a luz violeta.

O monstro de quatro patas imediatamente desembestou a correr para frente em franca investida para o trio, com um ensurdecedor ruído metálico.

O tamanho dessa criatura não chegava a ser tão grande quanto o palhaço de chamas de Chudelkin, porém, era assustador a velocidade com que ele se movia e se aproximava com aquelas junções e articulações rangendo e tilintando, enchendo o coração de Eugeo de pavor.

A primeira a reagir fazendo frente ao Golem , que tinha os braços feitos com três enormes espadas girando no ar, fora Alice, quem estava observando tudo em silêncio até agora. E nesse curtíssimo tempo, ela já tinha formado uma base e partido para o ataque frontal.

“Yaaaaaaaaaaaaaahhhh!!”

Com um grito tão poderoso que engoliu os ruídos do golem, Alice sacou a Fragrant Olive Sword e se inclinou para frente, baixando muito seu centro de gravidade antes de girar em seu eixo.

Kirito, frações de segundos depois, também tinha começado a se mover. Saltando para longe, para sua esquerda, flanqueando a lateral do monstro.

Apesar de estar paralisado de medo, Eugeo conseguiu adivinhar as intenções de Alice e Kirito. Ambos haviam julgado que as articulações entre a coluna vertebral e as patas daquele bicho, bem na parte onde seria a pélvis humana, podia ser o ponto mais vulnerável da criatura, isso se ele tivesse realmente uma fraqueza. Entretanto, seria muito arriscado atacar esse local em um ataque simples frontal.

Portanto, Alice seria encarregada de atrair a atenção do Golem, enquanto Kirito atacaria o ponto vital do inimigo pela lateral. Essa estratégia era basicamente a mesma que havia sido utilizada contra Chudelkin.

Eugeo só conseguia observar com assombro aqueles movimentos tão sincronizados serem realizados sem nenhuma conversação prévia.

A espada de Alice acelerou em um arco, deixando para trás um rastro de luz dourada, como se o próprio Solus tivesse passado por ali.

O braço direito do monstro também girou em um ataque estrondoso. Um enorme impacto suficientemente forte para fazer a catedral inteira tremer, explodiu em uma onda de choque ao lado de Eugeo no momento que as lâminas se encontraram.

Dois segundos haviam se passado desde o início do ataque da dupla. E então, tudo que poderia ser considerado uma batalha, terminou após esse instante…

A Fragrant Olive Sword, o melhor entre os melhores instrumentos sagrados, possuindo a propriedade da imortalidade eterna, foi facilmente repelida pelo braço direito do Golem.

Não sendo capaz de levantar a espada novamente, a mulher cavaleiro acabou sendo erguida levemente do solo pelo impacto, perdendo seu equilíbrio.

Apontada para a garota que desesperadamente tentava se recobrar do choque, o braço esquerdo do gigante projetou-se para frente com uma velocidade ainda mais rápida do que o primeiro golpe e que o seu único olho não podia acompanhar.

Um som amortecido retumbou pelo local, demasiadamente baixo em relação ao choque anterior, porém, ao mesmo tempo, o som de conclusão daquele embate.

A ponta da brutalmente gigantesca espada apareceu nas delicadas costas de Alice, jorrando sangue escarlate por todos os lados.

Seu lindo e longo cabelo dourado suavemente foi tingido e empapado de sangue fresco.

O peitoral dourado imediatamente se partiu em dois, com ambas as partes perdendo a vida e se desfazendo em poeira brilhante, um para cada lado, deixando a frente da garota desprotegida e trespassada pela lâmina.

A Fragrant Olive Sword resvalou da mão de Alice e caiu no solo.

Finalmente, a espada do Golem saiu mecanicamente do corpo da guerreira, deixando-a cair sobre o tapete.

“Uu… aaaaaaah!!!”

Um gemido que saiu como um grito agonizante.

Oriundo de Kirito. O espadachim que cabelos negros que estava girando na direita do gigante de maneira selvagem, carregando consigo uma estranha luz nos olhos.

A espada negra desprendeu um brilho azul vivo. Era o movimento secreto, Vertical.

O Golem provavelmente seria parado caso o Piety Module fosse destruído, porém, as grossas espadas que protegia o cristal como uma estrutura em forma de costela, impediam que qualquer movimento o alcançasse.

Portanto, a intenção de Kirito era realmente a articulação entre a coluna e as pernas do autômato. Definitivamente o gigante ficaria imóvel se essas partes fossem quebradas.

O Golem estava retornando seus braços à posição de guarda após seu feroz ataque. E no exato momento em que a espada de Kirito começou a se mover, a metade superior do gigante rotacionou violentamente a coluna. O braço esquerdo girou horizontalmente em um movimento impossível para qualquer ser humano e atacou Kirito em sua lateral.

O barulho do choque explodiu mais uma vez no salão. O garoto desviou a trajetória de seu movimento secreto com um reflexo sobre-humano e foi de encontro ao ataque do colosso de espadas.

Entretanto, a cena que Eugeo acabara de ver se repetiu diante de seus olhos.

Incapaz de resistir ao impacto inicial, Kirito foi lançado para o ar, onde, sem nenhum atraso, a pata traseira esquerda do Golem foi diretamente para o seu peito.

O ruído amortecido foi outra vez ouvido. E, voando de onde estava, o garoto de cabelos negros se chocou contra o vidro da janela ao leste de onde estavam. Uma terrível quantidade de sangue pintou o vitral de vermelho vivo antes de Kirito desabar no chão.

Incapaz de produzir um som sequer, Eugeo olhou fixamente a enorme poça de sangue que crescia absurdamente rápido embaixo de seu companheiro que tinha caído de bruços.

Não conseguia sentir suas pernas e nem seus braços. Sentia como se todo seu corpo não mais lhe pertencesse, não podia conter os tremores. Tudo que podia fazer era virar o rosto e olhar novamente para o Golem vindo em sua direção há cinco ou seis mels.

O monstro também parecia encarar Eugeo. As empunhaduras das espadas sobre sua coluna formavam uma espécie de rosto medonho. As joias colocadas em suas guardas estavam alinhadas como olhos perversos.

Incapaz de qualquer outra ação física, Eugeo simplesmente repetiu em sua mente uma só frase…

Só pode ser mentira… tem que ser… mentira…!

Alice e Kirito deveriam ser os espadachins mais fortes do Mundo Humano no momento. Mesmo contra um monstro estranho como esse tal weaponry, essa dupla não deveria perder dessa maneira. Eles tinham posto um plano silencioso em prática, tinham a iniciativa… suas espadas estavam prontas e…

“He he. He he he…”

Estranhas risadas se mesclavam com os intensos ruídos metálicos, impossível saber se vinha do monstro ou de sua mestra que flutuava logo atrás, que permanecia olhando aquela chacina com uma expressão alegre no rosto. Seus olhos espelhados agora refletiam o vermelho intenso do sangue derramado de Kirito e Alice. Neles, não havia um pingo de compaixão.

O autômato seguiu sua marcha incessante para cumprir a ordem de sua criadora.

Levantando o pé dianteiro direito, deu um grande passo e se moveu pela sala com aquele barulho horrível da juntas de metal rangendo, seguido de sua perna dianteira esquerda.

Gotas vermelhas escorriam de seu braço esquerdo, o mesmo membro que Eugeo achava que estaria em pouco tempo tirando-lhe a vida. Entretanto, mesmo com esse pensamento, não havia mais medo, não havia mais receio, nem mesmo havia o som da aproximação do gigante… o mundo estava em… silêncio… um pesado e avassalador silêncio.

Enquanto esperava encontrar o nada, sem nenhum aviso prévio, uma voz surgiu em sua mente como uma borbulha solitária em um lago, a qual demorou certo tempo para se dar conta tratar-se de algo real.

Use a adaga, Eugeo!

Era uma voz feminina com uma encantadora reverberação. Totalmente desconhecida e concreta demais para uma simples alucinação de quem estava a beira da morte.

Então, olhando para sua direita, ele viu…

No ombro direito do caído Kirito, do tamanho de grão de feijão, uma aranha negra.

Falar era impossível para um inseto tão pequeno, mas ainda assim, a voz que Eugeo ouviu era incrível. Todas as dúvidas sobre o dono daquelas palavras tão melodiosas dissiparam a paralisia a qual ele se encontrava. Aquela diminuta criatura o tirou de seu transe mortal e sem demora, agitou sua patinha direita como se estivesse o repreendendo.

“Isso… não vai funcionar…”

Respondeu em voz baixa.

“Essa adaga jamais vai alcançar a Administrator.”

A aranha agitou violentamente várias patinhas no ar.

“Não! É para criar uma passagem! Crave-a no disco de elevação ali no solo!”

“Hein…!?”

Eugeo arregalou os olhos, atônito. A aranha negra focou seu olhos brilhantes em si e continuou:

“Lhe conseguirei algum tempo, vá! Apresse-se!”

A aranha, enquanto dizia essas palavras, deu uma olhada carinhosa para a bochecha pálida de Kirito desacordado e suavemente a tocou com sua patinha direita, antes de saltar para o chão.

E no momento em que aterrissou silenciosamente sobre o tapete, a minúscula aranha…

Virou-se para o Golem feito de espadas e começou a aumentar dezenas de milhares de vezes o seu tamanho atual enquanto corria furiosamente em direção ao gigante metálico.

 

 

 

KIRIDÃO ESTRIPADO – CHECKED [X]

LOIROSA RETALHADA – CHECKED [X]

EUGEOZIM ABOBADO – CHECKED [DEFAULT]

FIM DE SAO – … NOOOOOOOOO

AINDA TEM MUITA SANGUE PARA ROLAR NESSE MAR VERMELHO.

BOM PESSOAS, O CAPÍTULO FOI DEVERAS ATRASADO POR PURA FORÇA MAIOR, ESTOU COM UM CASO DE DOENÇA NA FAMÍLIA, AÍ JÁ VIU NÉ? NADA GRAVE, MAS COMEU TODO MEU TEMPO.

TENTAREI NÃO ATRASAR, MAS QUANDO FOR ALHEIO A MINHA VONTADE, AVISAREI LÁ NA PÁGINA DO FACEBOOK. ONDE? NO LINK AQUI EMBAIXO 🙂

ENTÃO, ATÉ QUINTA SE TUDO CORRER BEM.

Sword Art Online Alicization Underworld Uniting

 

ATENÇÃO:

O filme de Sword Art Online Ordinal Scale já foi todo legendado para PT-BR (dei uma ajudinha na legenda 😉 )galera, dia 17/06 estará sendo divulgado lá na página do grupo de SAO

Aqui ó: Grupo Oficial Sword Art Online

 

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization Underworld – Light novel em Português

Também estamos no Tumblr e no Pinterest

E tome musiquinha de Ordinal Scale aeeeeee!

  • Pedro

    Vlw André! Andei não comentando muito mas ainda estou aqui hehehe. Melhoras com a sua familia

  • NinguemSama

    melhoras cara

  • Bruno Villalobos

    Melhoras! Curioso q estou tão ansioso por cada capítulo traduzindo quanto estou pela tradução em inglês do volume 18

  • Isaias

    Haaaaaa. Os caras do Face nao liberaram o filme para todo mundo pq a arrecadação foi baixa. Teria como vc passar o link para o download por aqui?

    • Hahahahaha relaxa que isso é zoeira deles. Em breve vai estar no ar

      • Isaias

        KKK.
        Verdade.
        A qualidade que está lá essas coisas né…
        Achei legal a iniciativa deles mas vou esperar ate o final do ano que já deve ter ao menos em 720p.
        No aguardo do próximo capítulo. Continue o bom trabalho.