Sword Art Online Alicization Underworld em Português – Uniting Capítulo 13 – Parte 2.1

Arco: Sword Art Online Alicization Underword – Uniting

Capítulo 13

Sword Art Online Alicization - Kirito AincradParte 2

Quem som foi esse?

Os olhos de Eugeo se arregalaram com o rugido surgindo ao seu lado.

Todos os movimentos secretos produziam algum tipo de barulho e uma determinada luz, porém, o ruído de agora era diferente de qualquer outro que já vira e ouvira até hoje. Era profundo, contundente e agudo, como se a própria arma estivesse gritando de ira.

A fonte dessa comoção era justamente a espada negra na mão direita de Kirito. Sua lâmina, com o resplendor negro cristalino, estava com o fio tremeluzindo violentamente enquanto produzia aquele som ensurdecedor.

E não apena o som aumentava, como também seu brilho vermelho envolvendo toda sua extensão.

Com certeza é um movimento secreto, entretanto, é um que nunca tinha visto.”

Eugeo pensou isso enquanto se surpreendia mais com o que acontecia na sequência.

A luz da espada se espalhou também para o corpo de seu companheiro, envolvendo-o completamente e o transformando em algo… inusitadamente diferente.

Kirito estava usando camisa e calças que havia pego no depósito de armas da torre, como era sua predileção normal de cor desde que o conheço, ambas na cor preta. Porém, conforme a onda de luz se movia pelo corpo, um sobretudo de couro também negro, com gola alta e mangas longas surgiu instantaneamente, cobrindo-o totalmente até a altura de suas calças, que agora além de negras, também havia se convertido em grosso couro tão escuro como a noite.

O processo todo durou menos de um piscar de olhos, porém, o fenômeno não parou aí. Sensíveis alterações também ocorreram no próprio corpo de Kirito, mesmo que fosse em menor escala do que suas roupas.

Primeiro, seu cabelo cresceu ligeiramente, ocultando parte de seu rosto.

Depois, os olhos negros, afiados como lâminas, desprenderam uma luz que jamais vi. Algo mais intenso do que aquela vez em que lutou contra o grupo de goblins na caverna do norte, também quanto arrancou os braços de Raios Antinous ou ainda, quando cruzou espadas com Deusobert, Fanatio e todo o resto.

A primeira coisa que me veio à mente foi que Kirito parecia ter se tornado um só com sua espada, se convertendo uma enorme lâmina.

Acompanhando o ruído de sua amiga negra, gritou selvagemente.

“Uooooooooooohhh…!!!”

O estrondo metálico e a luz rubra da espada aumentaram instantaneamente de intensidade no momento em que o braço direito de Kirito disparou rapidamente como um borrão para frente e… simplesmente desapareceu.

Seu sobretudo parecia asas de um demônio.

Com toda certeza era um movimento secreto do Estilo Aincrad, sim… definitivamente.

Uma absurdamente poderosa técnica de perfuração, uma habilidade de apenas um golpe, diferente de todas que Kirito havia lhe ensinado, um pouco semelhante ao Estilo de Norlangarth, se fosse procurar algo parecido. Entretanto, estava totalmente despojado de postura e beleza de tal estilo. Aquilo era sem dúvida uma técnica assassina, uma estocada para perfurar e matar instantaneamente o inimigo.

“…!”

Segurando sua respiração, Eugeo de alguma forma, conseguiu seguir o rastro do brilho vermelho com seus olhos.

Sword Art Online Alicization - Kirito BeaterO objetivo de Kirito era, obviamente, Chudelkin, quem controlava o gigantesco palhaço pirotécnico. Porém, estava há quinze metros de distância dele. Nenhum movimento secreto que sabia podia alcançar um range daqueles, ainda mais em se tratando de uma espada.

O pequeno palhaço não estava olhando a movimentação de Kirito no momento em que ele disparava seu golpe. Seus olhos estavam apontados para o fundo da sala, para onde a flecha de gelo lançada por Eugeo havia passado instantes antes.

Havia colocado todo seu conhecimento e força de vontade nessa arte, infelizmente, não havia acarretado dano algum na Administrator, como já imaginava.

Seu tiro foi desintegrado muito antes de chegar a encostar no alvo. Porém, Chudelkin acabou virando-se instintivamente para avisar sua amada mestra com aquela voz irritantemente estridente, no lugar de ignorar ou pensar que um ataque simples como aquele, não faria mal algum à governante máxima da Igreja Axiom, tal como Eugeo previra. Seu ataque foi única e exclusivamente para esse fim, cumprir a promessa silenciosa que havia feito com Kirito de conseguir um instante de distração.

Depois de ver que a flecha foi impedida sem nenhuma dificuldade, Chudelkin girou novamente sua cara redonda para frente, ainda sustentando seu obeso e mal inflado corpo.

Seus estreitos olhos quase saltaram das pequenas órbitas, como se não acreditasse no que estava vendo. Sentimentos atrapalhados encheram sua face.

O primeiro deles foi a comoção, devido ao flash rubro e o enorme estampido que explodia da espada de Kirito e que já se aproximava incrivelmente rápido de si.

O seguinte foi alívio, por ver que era uma simples técnica de perfuração feita por uma espada, desse modo, não podendo alcançá-lo.

E o último… medo.

Pois a espada, que parecia um sabre de luz vermelho brilhante, continuava sua trajetória sem dar nenhum sinal de parar, aumentando em brilho, intensidade e diminuindo vertiginosamente a distância.

Vendo isso, esqueceu-se até de respirar, o mesmo acontecendo com Eugeo. Que viram a luz passando como um raio pela esquerda de Alice, que estava se defendendo do grande palhaço de fogo, seguida de um borrão negro, provando que a distância de quinze metros não era de fato, um empecilho para aquela técnica.

Enfim, o golpe atingiu em cheio o seu alvo. Perfurando facilmente o torso de Chudelkin como se fosse um balão semi-inflado.

A brilhante luz vermelha atravessou pelo menos por mais dois mels antes de explodir em incontáveis fagulhas, desintegrando-se no ar.

Um abundante fluxo de sangue verdadeiro veio imediatamente. A fonte era a enorme ferida no meio do peito de Chudelkin, suficientemente grande para praticamente parti-lo em dois.

“O..hoooooohhh…hh…!!”

A desafinada voz, desprovida de força, continuou durante um tempo.

O corpo que estava sobre sua cabeça, perdeu o equilíbrio e caiu sobre a piscina de sangue fresco que ele mesmo havia criado.

Enquanto mais e mais líquido vermelho saia, parecendo uma quantidade incompatível com sua constituição, Chudelkin tentava levantar seu braço direito de maneira trêmula, estendendo-o até a Administrator, que estava flutuando graciosamente no ar, em seu sofá invisível.

“….Aah… mi… mi… Emi… nên… ciaa…!!”

A expressão do homem, conforme se esforçava para que sua voz saísse, estava fora de vista de Eugeo. Então, seu braço caiu sobre o tapete com um som úmido e o Chefe Elder Chudelkin não mais se moveu.

Com isso, o incandescente palhaço que estava pisoteando o tornado dourado criado por Alice, começou a se desfazer no ar, até sobrar apenas fumaça que pareceu surgir no local de sua grande barriga em forma de um sorriso, ficando no ar por alguns instantes até também sumir sem deixar rastros.

As pequenas pétalas douradas manipuladas por Alice também diminuíram de rotação e ficaram ali flutuando como se tivessem perdido seu propósito de existência após a aniquilação do inimigo.

As orelhas de Eugeo pareciam adormecidas devido ao repentino silêncio instaurado no local enquanto virava lentamente a cabeça para a direita.

Kirito havia cessado todos seus movimentos e mantinha seu corpo em um ângulo extremamente baixo, com seu braço direito estendido ao máximo.

A luz sobre a superfície da espada sumiu rapidamente assim como o grande sobretudo, que piscou antes de também desaparecer. Eugeo manteve seus olhos atentos ao que acontecia com seu companheiro, com o contorno de seu corpo se tornando borrado, se modificando até retornar ao que era antes.

Mesmo após se transformar em sua habitual aparência, com as rasgadas e gastas camisa e calças pretas, Kirito ainda se manteve na mesma posição.

Após mais alguns instantes, eventualmente seu braço baixou até a ponta de sua espada tocar gentilmente o tapete.

Eugeo ficou receoso de chamar seu amigo, que ainda mantinha sua cabeça baixa.

Kirito, que havia ajudado a segunda em comando, Fanatio, provavelmente não estava feliz em privar o Chefe Elder Chudelkin de sua Vida, mesmo que ele fosse um inimigo.

Seu semblante, agora novamente exposto, sem os cabelos compridos para cobrir, não mostrava absolutamente nenhum traço daquele frio autocontrole que mostrou durante o ataque… sim, ele estava sofrendo.

Quem quebrou o silêncio foi Alice, quando chamou seu enxame dourado para retornar a sua forma original de lâmina, fazendo um grande som metálico.

Sentindo a tensão no ar vindo da mulher cavaleiro ao seu lado, Eugeo olhou mais adiante, para o fundo da sala mais uma vez.

Flutuando, a Administrator apontou seu fino braço esquerdo até o corpo prostrado no chão de Chudelkin.

O pequeno palhaço estava obviamente em seus instantes finais, mas será que ela estaria tentando aplicar alguma arte curativa? Será que a Alto Ministro traria seu subordinado de volta à vida?

Aconteceu enquanto Eugeo suspirava.

Sem mostrar qualquer sinal de emoção, a voz da Administrator fluiu lentamente.

“Podia pelo menos não sangrar tanto no meu tapete. É tão nojento.”

Com um simples movimento de sua mão esquerda, fez voar o corpo de Chudelkin como se ele fosse um boneco de pano e o jogou na outra extremidade da sala, em direção a última janela, fazendo um grande barulho quando o corpo se chocou contra o inquebrável vitral e depois desabou no chão, mergulhando em total escuridão.

“…Mas o que…!?”

Alice murmurou ao ver a ação da Alto Ministro.

A personalidade da garota podia ter sido modificada ao se transformar em uma implacável Integrity Knight, mas ainda restava o seu lado que não se continha ao ver uma cena como essa.

Embora não tivesse nenhum apreço por Chudelkin, ele havia perdido uma batalha justa enquanto lutava com todas as suas forças em prol de sua mestra, merecia no mínimo um enterro decente.

Porém, a Administrator nem sequer lhe dedicou outra olhada no corpo abandonado do seu súdito, possivelmente, mais fiel, muito pelo contrário, parecia que havia desprezado completamente toda a existência de Chudelkin, retirado completamente de sua memória enquanto mostrava um sorriso misterioso pouco antes de dizer:

“Bem, posso considerar que esse foi um show bem chato, mas pelo menos consegui recolher várias informations úteis.”

A Alto Ministro começou seu monólogo estranho mais uma vez, misturando a língua normal com a língua sagrada que soava de forma sedutora com sua maravilhosa voz. Ainda sentada no ar, deslizou cinco mels até chegar no meio da sala redonda.

Acariciando uma mecha de seu cabelo prateado, apertou suavemente seus olhos, os quais começaram a refletir uma luz vacilante. Depois olhou para Eugeo e de maneira quase sádica, perfurou sua olhada até Kirito, no outro lado, que ainda mantinha sua cabeça abaixada.

“Garoto irregular. Não posso access your properties em todos os detalhes, mas sempre achei que era por você ser uma unit não registrada, nascida de um casamento irregular através de algum bug, porém… isso mostrou-se ser incorreto. Você é ‘daquele lugar’, não é? Um humano do ‘outro lado’… correto?”

Eugeo que apenas podia compreender alguma daquelas palavras, sussurrou:

“…’Daquele lugar’?…’Outro lado’?…!”

Kirito, seu amigo de cabelos negros, que havia aparecido na floresta perto de Rulid dois anos e meio atrás, sem suas memórias como um ‘garoto perdido de Vector’…

Os anciões da vila haviam dito para Eugeo que esse fenômeno, de humanos aparecendo de vez em quando nessas situações, eram atos cometidos por Vector, o deus da escuridão, que com seu braço longo, pregava peças além da cadeia de montanhas. Fazendo com que as pessoas perdessem suas memórias por pura diversão.

Pelo menos era isso que Eugeo acreditava ser a pura verdade…

Haviam ocasiões, quando as pessoas enfrentavam situações muito dolorosas e tristes, que por pura força de vontade, acabavam selando suas memórias por elas mesmo. E também, muitas vezes, por não aguentarem determinada carga de sofrimento, não só retiravam suas memórias, como também a própria vida.

Quem havia lhe contado isso tinha sido o velho Garitta, o lenhador da geração anterior. Que tempos atrás perdera sua esposa em um acidente que o deixou tão desesperado, afogado em lamentações, que acabou esquecendo de boa parte de sua memória em relação a ela. Sempre que falava isso, ele ria, dizendo que o que fez tinha sido tanto um ato de bondade como um castigo, talvez perpetrado pela própria deusa da vida, Stacia, como forma de punição por acessar o terreno dos deuses sem permissão.

Devido a isso, Eugeo supôs que Kirito estava em uma situação similar. Na verdade, ele ainda acha que esse seja o caso. Talvez ele tenha passado ou visto algo extremamente angustiante e doloroso em sua terra natal, que ele imaginava ficar na região sul a julgar por seus cabelos e olhos negros e de alguma forma chegou até a floresta de Rulid depois de vagar sem rumo e sem memórias.

Essa era uma das razões pela qual nunca tinha perguntado nada sobre o passado de seu amigo, nem mesmo na longa viagem que fizeram até a capital ou o tempo que passaram na academia. É claro, não podia negar que tinha medo que voltasse para sua terra natal depois de lembrar-se quem era e dessa forma o deixasse sozinho.

Entretanto, a Alto Ministro, quem possuía a capacidade de observar todo o Mundo Humano, havia se referido como o lugar de nascimento de Kirito usando palavras muito estranhas.

Talvez ela se referisse como o outro lado sendo… além das montanhas? O Dark Territory e todos os seres da escuridão que lá vivem? Mas será que a única prova que ela tinha do nascimento de Kirito estava baseada no Estilo Aincrad? Será que essas técnicas nasceram lá?

Não, não creio ser isso.

A Administrator com toda a certeza devia possuir muitas informações acerca do Dark Territory. Ela não usaria essas palavras enigmáticas se fosse algo assim.

Os Integrity Knight sob seu comando atravessavam as montanhas livremente e estavam em constante embate contra os Dark Knight. Ela sabe exatamente tudo que ocorre por lá, seus governantes, a vastidão do território e como estavam divididos, cidades e todas as criaturas que lá vivem.

Com certeza não precisaria se expressar de maneira tão vaga se soubesse que Kirito tinha realmente vindo do Dark Territory. Tem que ser outra coisa.

Pensando assim…

Ela se referia a algo que existe fora daqui, fora do Mundo Humano, um lugar onde mesmo seus olhos não podiam chegar…

Existe algo assim…? Um lugar além até de que a terra da escuridão… um outro mundo exterior?

Esse tipo de conjecturas estavam muito abstratas para Eugeo e ele não podia sequer encontrar palavras corretas para expressar seus próprios pensamentos. Entretanto, sua intuição lhe dizia que estava a ponto de descobrir algo tremendamente importante, algo que poderia considerar como sendo o segredo por trás de tudo desse mundo.

Atormentado por esse desejo de saber mais e mais, Eugeo olhou para o céu noturno que se estendia para além das janelas gigantescas. O mar de estrelas se derramava por entre as nuvens negras.

Além desse céu… Kirito nasceu lá? Que tipo de lugar deve ser? Será que Kirito recuperou suas memórias de sua terra natal?

Quem rompeu o silêncio dessa vez foi seu próprio amigo de cabelos negros, que ao se levantar lentamente, falou:

Isso mesmo.

Kirito respondeu afirmativamente a pergunta da Alto Ministro em uma curta e contundente frase.

Praticamente afogado em suas emoções, Eugeo olhou para o rosto de seu companheiro. Kirito enfim tinha recuperado suas memórias.

Não… possivelmente ele já tinha recordado antes…

Será…!?

Os olhos de Kirito deram uma rápida encarada em Eugeo. A mais forte entre as variadas emoções visíveis naqueles profundos olhos escuros, pareceu para Eugeo a súplica por confiança.

Após esse curto olhar, ele se voltou novamente para a Administrator que estava parada de pé diante dele. Com sua expressão carregada, Kirito deu de ombros com um sorriso um tanto amargo e continuou enquanto cravava sua espada no chão.

“Dito isso, o nível de autoridade concedido para mim equivale aos das pessoas normais desse mundo, muito difícil de rivalizar com o seu status atual, Administrator… ou melhor dizendo, Quinella.”

No momento em que falou esse nome, o lindo sorriso que estava mostrando desde o início, simplesmente sumiu do rosto da Alto Ministro.

Entretanto, isso durou apenas uma fração de segundos, pois logo sorriu mais amplamente do que antes. Fazendo seus brilhantes lábios se sobressaírem lindamente.

“Mas não é que essa minha irmã, aquela ratinha de biblioteca, tem dito coisas bem interessantes ao meu respeito…? Fico intrigada por saber que tipo de histórias ela contou…

Mas acima de tudo, gostaria de saber por que veio cair em meu mundo, garoto? Ainda mais sem nenhuma autoridade de supervisor.”

“Não seria inteligente menosprezar a minha falta de autoridade. Tenho conhecimentos bem interessantes, mesmo não sem perfil de supervisor.”

“Oh! É mesmo? O que por exemplo? Por favor, não me venha com esses insignificantes relatos do passado.”

“Então, o que diria se eu falar de relatos… sobre o futuro?”

Kirito encarou a Alto Ministro com suas duas mãos postas sobre a empunhadura de sua espada cravada no chão. A expressão dura, tensionando suas sobrancelhas, enquanto a luz noturna filtrada pelas janelas refletiam-se em seus olhos negros.

“Quinella, você destruirá seu próprio mundo em um futuro não muito distante.”

O sorriso nos lábios da Administrator se intensificou ainda mais ao ouvir aquelas palavras.

“Eu destruirei? Por acaso não é você que vem trazendo dor e sofrimento aos meus adoráveis bonecos, garotinho? Até onde sei, você é a causa de qualquer coisa ruim.”

“De fato. Entretanto, o erro já estava estabelecido quando você formou a ordem dos Integrity Knight e os colocou a cargo de toda intrusão das criaturas do Dark Territory

Visto que somente duas pessoas lhe deixaram em péssima situação. Isso por si só já é a causa de todo o mal.”

“Fufu…. Ufufufu!”

Provavelmente tendo seus erros jogados em sua cara pela primeira vez desde que se tornou a governante, a Administrator tocou os lábios com seu dedo indicador enquanto seus ombros sacudiam acompanhando sua gargalhada.

“Fufufu.

Isso certamente soa como algo que minha irmãzinha diria. Parece que essa menina andou aprendendo uns truques novos, conseguindo inclusive levar para seu lado um rapaz tão singular como você.

Porém, devo dizer que vocês dois são patéticos… fizeram tanto esforço e seu companheiro ali se deixou ser capturado tão facilmente.”

A gargalhada da Administrator continuou por mais um tempo.

A boca de Kirito se abriu para seguir falando, porém, foi interrompido por uma austera voz aguda.

“Se eu puder intervir, Estimada Alto Ministro.”

Quem deu um passo à frente, fazendo ruído com sua pesada armadura, foi a Integrity Knight Alice, quem havia permanecido em silêncio até agora. Seu longo cabelo dourado refletia lindamente a luz da lua, como se estivesse se opondo ao brilho prateado dos cabelos da Administrator.

“No tocante sobre a total incapacidade atual da Ordem dos Integrity Knight para repelir completamente a invasão combinada das forças da escuridão, é algo já esperado e alertado pelo Knight Commander Bercouli e a Deputy Commander Fanatio e creio ser de seu conhecimento, sua Excelência… e eu… também estou de acordo com essa previsão.

Naturalmente, assim como nós, os outros cavaleiros da ordem também estão preparados para lutar até as últimas forças, entretanto, Estimada Alto Ministro, gostaria de saber se você tem os meios para proteger todas as pessoas inocentes depois de nossa derrota? Pois não acredito que você mesma possa ser capaz de exterminar os exaustivos e sucessivos ataques vindo daquela terra sozinha!”

A convincente e maravilhosa voz da Integrity Knight Alice reverberou por todo o salão como uma refrescante brisa, movimentando levemente os cabelos da Administrator.

Com seu sorriso desvanecendo, a Alto Ministro olhou fixamente para a mulher cavaleiro com uma expressão levemente surpresa.

Nesse meio tempo, as palavras de Alice chocaram Eugeo de uma maneira diferente.

Integrity Knight Alice Synthesis Thirty. Uma personalidade provisória residindo no corpo de sua preciosa amiga de infância, Alice Schuberg.

A garota implacável que seguia cega e friamente as leis, como no instante em que a viu na academia, quando acertou um doloroso golpe no seu rosto dias atrás. A pessoa que não demonstrava nenhuma emoção que um dia teve: gentileza, inocência e além de tudo, afeto.

Entretanto, as palavras agora ditas por ela, pareciam exatamente as que sua personalidade original diria se tivesse permanecido intacta sem lavagem cerebral e se convertesse em um Integrity Knight da maneira correta.

Não mostrando nenhum sinal de notar o olhar de Eugeo, a Integrity Knight cravou a Fragrant Olive Sword violentamente no solo, causando um grande e estridente som metálico, e seguiu falando.

“Estimada Alto Ministro, soube que sua obsessão pelo poder é a causa da criação da Ordem dos Integrity Knight e que exatamente isso, será a causadora da ruína de nosso mundo. Em sua grande obsessão, roubou todas as armas e poderes que inicialmente deveriam ser de todos os habitantes do Mundo Humano, os enfraquecendo e tornando-os incapazes de se defenderem.

Visando somente seu lado, roubou e enganou a todos. E quando digo enganou, me refiro ao terrível método usado para nos criar, os Integrity Knight, nos separando de nossos pais… esposas e maridos, irmãos, selando e implantando recordações e nos fazendo crer que éramos criaturas de um mundo imaginário chamado de Mundo Celestial…!”

Alice pareceu por alguns instantes ter deixado sua cabeça cair em desalento, porém, na verdade foi ao contrário, pois instantes depois de dizer isso, levantou o rosto de falou com a voz ainda mais resoluta.

“Não a culparia de forma alguma se essa fosse a única forma de proteção desse mundo e seus habitantes. Entretanto, porque nos usou dessa forma? Porque duvidou de nossa lealdade e respeito pela entidade da Igreja Axiom e para com você, Estimada Alto Ministro? Porque nos obrigou a passar por essa corrupta e maléfica cerimônia, danificando nossas almas para nos forçar a nos entregarmos de corpo e alma para você se quando na verdade, faríamos isso sem qualquer método nocivo? Deveríamos ser a unidade de proteção do mundo e faríamos isso de todo o coração.”

Eugeo olhava pequenas gotas que rolavam fluídas pelo rosto de Alice, como se vertessem de seu próprio coração.

Lágrimas.

A Integrity Knight que havia praticamente perdido todas as emoções, estava chorando.

Eugeo suspirou fundo pela incrível cena em sua frente, a mulher cavaleiro valentemente olhando a governante diretamente nos olhos de peito e coração aberto.

Recebendo essas palavras mais afiadas do que o fio de uma espada, a Administrator mostrou um leve sorriso frio como se não tivesse sentido nada, os olhando de cima como se fossem mais desprezíveis do que lixo.

“Certo, certo, Alice. Parece que tem acolhido umas ideias bem diferentes em sua mente. São quantos?… Cinco?… Seis anos? Acho que foi isso que se passou… desde que você foi criada.”

A voz carecia de solenidade, como uma máquina, sem nenhuma emoção. Entretanto, soava polida, como prata pura. Nem o menor calor era sentido em suas palavras.

“Você disse que não tenho confiança em vocês, integrator units? Isso é um pouco desconcertante. Eu coloquei sim muita confiança em todos… meus adoráveis soldadinhos de brinquedo. Regulando para funcionarem perfeitamente como relógios.

Vejamos se você entende dessa forma…

Você costuma polir sua amada espada todos os dias, correto? O faz meticulosamente para que ela sempre funcione como você espera que funcione, não é mesmo? Devota tempo e dedicação.

Entendeu? É a mesma coisa, cuido de todos vocês. O ‘presente’ que lhes dou é justamente esse Piety Module, ele serve como a prova incondicional de meu amor. Por causa dele, vocês, meu bonequinhos, permanecem lindos e maravilhosos por toda a eternidade.

Eu os livro de todas essas preocupações mundanas, triviais e dos sofrimentos aos quais as massas são propensas.”

A Administrator levantou sua mão esquerda e fez girar o prisma triangular com a ponta de seus dedos. Era o Piety Module melhorado extraído da testa de Eugeo.

Baixando o olhar para Alice, a vendo através do prisma, gentilmente sussurrou:

“Você é patética, Alice! Seu lindo rosto está horrível. Está se sentindo triste? Irritada?… Se tivesse permanecido como meu obediente brinquedinho, não teria que passar por tudo isso.”

As lágrimas rolando pelo suave rosto de Alice, caiam e escorriam pela a armadura dourada, fazendo um pequeno som agudo, quase um tilintar.

A Fragrant Olive Sword cravada no chão, aos pés de Alice, que tinha atravessado o tapete, agora também trespassava o piso de mármore.

Enquanto colocava força na empunhadura, danificando o incrivelmente resistente material com que fora construído a catedral, Alice falou em um tom poderoso.

“…Sua excelência, o Knight Commander Bercouli, nunca se preocupou ou reclamou por ter passado incontáveis dias nesses últimos trezentos anos em que viveu como um Integrity Knight, sabia disso, Estimada Alto Ministro? Ele provavelmente sabia de tudo e mesmo assim permaneceu leal.

Está afirmando que não é consciente da dor dele? Duvida de sua lealdade incondicional?”

O som da espada cravando-se mais profundamente no chão foi ouvido novamente.

“Sua excelência, Bercouli, sempre colocou sua missão, sua lealdade sobre tudo, protegendo as pessoas desse mundo e honrando a Igreja Axiom! Deve saber também que ele fora incontáveis vezes até as câmara dos anciões pedindo que as forças imperiais fossem reforçada nos quatro impérios, para que houvesse melhor preparo para o povo! Sua Excelência… esse homem era consciente do selo gravado em nossos olhos direitos. Ele sempre soube de tudo e permaneceu leal, em outras palavras, ele foi o que mais sofreu e você sabe disso! E mesmo assim insiste em dizer essas coisas?”

As perguntas regadas com lágrimas eram feitas com muita dor…

Entretanto, a Administrator respondeu novamente com um sorriso frio.

“Que infortúnio. Pensar que meu amor pode ser confundido com algo tão superficial. Sim, eu sabia de tudo isso aí que me falou, naturalmente.”

Um quê de crueldade se somou ao seu adorável sorriso.

“Escute bem o que direi, minha pobre Alice. Não é a primeira vez de o número um… Bercouli, vem se importando com coisas inúteis como essa. Na verdade, esse garotinho disse essas mesmas coisas uns cem anos atrás. Para resolver, eu o consertei.”

Uma risadinha saiu daqueles perigosos lábios.

“Já olhei as recordações de Bercouli e apaguei tooooooodas as preocupações que o estavam incomodando tanto. E não somente ele… fiz o mesmo com todos esses cavaleiros que já passaram dos cem anos. Permiti que eles esquecessem dessas dolorosas lembranças.

Não se preocupe, Alice. Não me irritarei dessa insignificante travessura sua. Me assegurarei de apagar tudo isso que lhe aflige e que está causando danos nesse rostinho tão adorável. Vou te deixar como nova, uma bonequinha linda que não tem a necessidade de pensar…. Venha até aqui!

Fufufu.”

A risada da Administrator ressoou por todo o salão, fria e pesada.

Aquilo não era humano.

 

 

KIRIDÃO MOSTRANDO PARA O QUE VEIO E… A DONA RAINHA DA COCADA TINHA QUE ESTRAGAR COM PAPINHO… ENFIM, NA PRÓXIMA SEMANA A PANCADARIA COMEÇA.

AVISANDO QUE O CAPÍTULO MUDOU DE DIA, AGORA SERÃO NAS QUINTAS.

Sword Art Online Alicization Underworld Uniting

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization Underworld – Light novel em Português

Também estamos no Tumblr e no Pinterest

Musiquinha do Ordinal Scale que em breve estará em PT-BR

  • Que a treta comece !!!

  • Gin Wolfstein

    Essa Administrator esta completamente pirada com esse complexo de deusa, realmente só morrendo e reencarnando pra curar…
    PS: Já vimos o que o Eugeo e a Kamidere pensaram ao ver a Resurrección do Kirito e espero que mostrem o ponto de vista da Alice também, se é que ela pode ver…
    Obrigado pelo cap

  • Isaias

    O que houve com o capituço desta semana cara? Tudo bem com vc e com o seu filho?

    • Maus aí. Estou com doença na família (no hospital)e o capítulo deve vir entre hoje ou amanhã.
      Relaxem que o projeto não acabou 😀

  • NinguemSama

    Cade tó ficando doido

    • Maus aí. Estou com doença na família (no hospital)e o capítulo deve vir entre hoje ou amanhã.
      Relaxem que o projeto não acabou 😀

      • NinguemSama

        não relaxa saúde em primeiro lugar