Sword Art Online Alicization Underworld em Português – Uniting Capítulo 13 – Parte 1.1

Arco: Sword Art Online Alicization Underword – Uniting

Capítulo 13

A Batalha Decisiva (5º mês do calendário do Mundo Humanos do ano 380)

Sword Art Online Alicization - Alice - Uniting - Vol. 14

Parte 1

“Opa! Gostei dessa.”

Pensei confiante diante das palavras de Alice.

Assim como ela, eu também tinha inconscientemente dado um passo para trás ao receber a pressão daquele olhar.

Enfim, tinha chegado ao centésimo andar da Catedral Central. Uma enorme sala circular, com provavelmente uns quarenta metros de diâmetro.

Tanto espaço sendo ocupado por apenas um único móvel, uma gigantesca cama redonda situada bem no centro da habitação.

E parada em pé, flutuando sobre ela, uma mulher absurdamente linda e totalmente nua.

Sem dúvida que se tratava da governante suprema da Igreja Axiom, e, portanto, também a líder do Mundo Humano, a que possuía o título de Alto Ministro, se autoproclamando como sendo a Administrator.

Só a sua presença parada ali já era motivo para sentir uma incrível e aterradora pressão. Uma força tão brutal e concreta, que me fez ver esse mundo, Underworld, de outra perspectiva.

Tudo que estava vendo e sentindo nesse momento, me levava a ser colocado em cheque sobre todas as coisas que sabia desse lugar, sobre minhas dúvidas e certezas em relação ao mundo virtual e seus habitantes, com essa grande presença sendo a principal A.I. e todos os Fluctlights Artificiais e como essa inimaginável quantidade de informações fora criada e armazenada pelas mãos do homem.

Era impossível de acreditar e supor que o que meus olhos captavam eram criações humanas. Aqueles olhos e cabelos prateados. Só de ficar no mesmo cômodo daquela presença fazia com que minhas mãos suassem ao mesmo tempo em que um profundo medo se entranhava em minha alma. Todos esses sentimentos e pensamentos começaram no momento em que terminei a subida pelo disco de elevação.

E acima de tudo, senti novamente uma sensação conhecida, uma terrível companheira de anos… a sensação fria de morte. Porém, era mais pesada do que todas as salas e zonas de todos os boss aos quais enfrentei no castelo flutuante em Aincrad.

Meu corpo físico, Kirigaya Kazuto está nesse instante no mundo real, diferentemente desse Kirito, o espadachim de elite em treinamento, ele não morreria dentro do Soul Translate mesmo que essa minha atual vida virtual chegasse ao fim em Underworld. Entretanto, essa mulher, a Alto ministro, Administrator, possuía um poder tão grande, que certamente poderia me proporcionar uma tortura pior do que a própria morte caso assim desejasse.

É como a pequena sábia Cardinal disse, não é? A Administrator não estava presa ao Índice de Tabus, porém, ainda seguia sendo incapaz de assassinar diretamente alguém devido aos profundos ensinamentos que lhe foram passados quando ainda era uma simples existência humana.

Portanto, mesmo com essas restrições, a Alto Ministro tinha diversos outros meios de impor sofrimento piores do que a morte, como foi o caso dos anciões presos na câmara, que pareciam ser apenas robôs orgânicos conectados a tubos pela eternidade.

Dito isso…

Todo esse meu temor, mesmo tendo um conhecimento maior da situação, não chegava nem aos pés de competir com os de Alice e Eugeo.

Ao que parecia, Eugeo estava sem o Piety Module, removido pela Administrator, porém, Alice seguia com o dispositivo incrustado em seu Fluctlight. Dessa forma, não conseguia nem supor o terror que estava sendo suportar ficar cara a cara com a governante suprema.

Mas ainda assim, a guerreira dourada permanecia firme, com seu discurso alto e claro até o final.

“Nossa missão definitivamente não é proteger a Igreja Axiom! É proteger a vida pacífica e tranquila das dezenas de milhares de pessoas que não possuem poderes! Por outro lado, estimada Alto Ministro, suas obras servem apenas como um obstáculo para a verdadeira paz do Mundo Humano!!”

Tendo dado um passo à frente, seus lindos cabelos dourados entraram em meu campo visual, brilhando ao refletir a luz das janelas incidindo sobre ele, como se essa luz fosse a concretização de sua força de vontade e convicção. A voz forte e clara cortava o ar e reverberava pela imensa sala.

Porém, a governante não mostrava nenhum sinal de ser afetada pelas palavras de Alice e muito menos parecia estar chateada com aquilo, pelo contrário, seus lábios mostravam um leve sorriso enquanto ouvia pacientemente o discurso da garota, se divertindo com cada sílaba proferida.

Em contraste com a potente voz da mulher cavaleiro, a voz distorcida vinda de algum lugar machucou os ouvidos de todos no salão. Era pertencente ao Chefe Elder Chudelkin, que ainda estava escondido, provavelmente embaixo do móvel.

“Ca… Caa… Caaaaale-seeee!!!”

Se revirando do amontoado de tecido espalhado pelo chão, rodopiou até conseguir finalmente se levantar. Foi um movimento tão desajeitado que deu uma cambaleada para os lados antes de recuperar o equilíbrio e sustentar de maneira aceitável sua cabeça, tentando talvez parecer ameaçador com sua pequena estatura ao lado de sua grande mestra.

Com sua roupa espalhafatosa rasgada em diversos pontos, o gás venenoso que aos poucos ia se acumulando em seu novamente redondo corpo, acabava sempre por escapar pelos buracos feitos pelo Armament Full Control Art da Fragrant Olive Sword de Alice.

Aquela estupenda e terrível técnica que consistia em dispersar a lâmina da espada em centenas de milhares de pétalas afiadíssimas, causando a impressão de uma tempestade dourada de flores. O mesmo golpe que usou para destroçar o ‘presente congelante’ deixado por Eugeo, quando este os abandonou no andar abaixo e o que usou como boas-vindas ao Chefe Chudelkin quando veio até eles esperando humilhá-los.

Mas graças ao subterfúgio em suas roupas, acabou saindo livre desse ataque sem sofrer de fato nenhuma ferida grave. Mostrando mais uma vez o seu provável único ponto forte, a habilidade de fugir. Porém, para sua infelicidade, só havia mais um andar acima para ir.

Talvez influenciado pela Administrator em suas costas, Chudelkin levantou suas mãos e apontou seus dois dedos indicadores para Alice.

“Uma fantoche quebrada de cavaleiro como vocêêêêêê!? Falando em missões!?? Proteção!? Não me faça rir hoh, hoh, hoh, hoh, hihoh!!”

Deu algumas voltas em torno de si mesmo enquanto ria de maneira estridente, mostrando parte de suas cuecas com listras verticais das mesmas cores da roupa de palhaço. Então, colocando as mãos em torno de sua cintura, dirigiu os dedos dos pés esquerdos para Alice e continuou gritando.

“Todos esses cavaleiros não são mais do que marionetes que vivem apenas para seguir os meus comandos! Se eu os mandar lamber os meus dedos é isso que farão sem discutir, caso contrário, eu os transformo em brinquedos. Essa sim é a verdadeira missão a qual os Integrity Knight devem seguiiiiiiirrrrrrrrr! Hooooooooohohooh!!!”

Riu tanto que acabou perdendo o equilíbrio quando sua cabeça foi para trás sobre aquele corpo flácido, mal enchido de gás. Teve que usar as mãos para evitar a queda e quando o fez, prosseguiu com seu discurso.

“Em primeiro lugaaaaar! Como você pretende fazer algo com o que resta dessa ordem de cavaleiros ridííííííííííícula que restou? Pensa em contar com aqueles idiotas de má qualidade do número um e doooois? Aqueles já eram, você não tem nada a que dispor. Já eu, tenho mais de vinte peões ainda em minhas mãos! A Igreja Axiom não vai cair diante de uma pessoa tão insignificante como você, diante o choro de uma garotinha tão patética! Vamos, chore o quanto quiser, menininha dourada!”

Mesmo que fossem apenas palavras mesquinhas ou maldições veladas de um ser tão ignorante quanto aquele vestido de palhaço parado em sua frente, parece que alguma coisa que ele disse, despertou algo em Alice.

Então, recuperando sua característica calma e severidade, a mulher cavaleiro balançou negativamente a cabeça e respondeu de forma gelada.

“Você é o patético aqui! Realmente tem alguma moral para falar tais coisas aparecendo na frente das pessoas vestido como um espantalho? Por acaso tem palha em sua ridícula cabeça redonda ao invés de um cérebro?”

“O-O… quêêêêêê!!????”

O sangue subiu para cabeça de Chudelkin, mas antes que pudesse gritar algo mais, Alice continuou falando.

“Sobre esses cavaleiros que você se referiu, creio que metade deles são os que se encontram imobilizados ao serem submetidos ao tal reset que a estimada Alto Ministro estava falando a pouco… ou seja, ela os chamou até aqui para poder fazer uma nova alteração em suas memórias usando as artes sagradas, portanto, inutizados.

Enquanto a outra metade está ocupada montando seus dragões voadores patrulhando ou em meio a alguma batalha nos limites da cordilheira, de maneira que você não conseguirá chama-los em tempo até aqui.

E quando isso acontecer e eles retornarem, todas as regras impostas pela Igreja Axiom já deverão ter desaparecidos e as forças da escuridão provavelmente já estarão marchando para dentro do território humano vindas das cavernas do norte, oeste e sul da cordilheira e principalmente, do Large East Gate no leste. ”

“Guh… mghghh…!!!”

Alice continuava a falar enquanto Chudelkin já havia mudado de cor umas quantas vezes, do vermelho em seu rosto, agora estava em um tom completamente escuro conforme gemia e se contorcia de raiva.

“Não, na verdade já está acontecendo, as coisas já estão em colapso. Apenas esses dez cavaleiros remanescente em seus dragões não poderão lutar para sempre. Porém, não há ninguém nessa catedral capaz de tomar seus lugares. Ou por acaso você irá até o Dark Territory pessoalmente lutar contra os Dark Knight, famosos por sua tenacidade, Chudelkin?”

Calado, não tinha como entrar nesse assunto, de maneira que apenas observava o desenrolar desse diálogo, pouco atrás de Alice. Eugeo e eu tínhamos sido os responsáveis por enviar justamente esses cavaleiros substitutos aos quais a garota se referia, para o hospital.

Entretanto, antes que pudesse olhar qualquer coisa a mais no inimigo, a raiva de Chudelkin ultrapassou os limites.

“Mmhoooooo!! S… Su…!!… Suuuua malditaaaaaaaaaaaa!!! Não vá achando que ganhou, sua garotinha desgraçadaaaaaaaaaaa!!”

Bufando um jato de vapor pelo nariz, o palhaço se balançou para os lados enquanto batia o pé no chão.

“Esse será o seu castigo por ter cometido tal insolência!!! Vou te jogar e esquecer naquela maldita cordilheira por três anos seguidos após o reset!! Não…, melhor ainda, vou te transformar em meu brinquedo pessoal antes dissooooooooooooo!!!”

Depois de falar essas palavras, o Chefe Elder começou a gritar suas intenções do que faria com Alice com uma voz esganiçada e estridente, só silenciando quando seus olhos encontraram o olhar penetrante da Administrator em suas costas.

“Hmm…”

Ao que parece, ignorando completamente a gritaria de Chudelkin, quem tinha ficado totalmente mudo e pálido, a Alto Ministro se inclinou para frente, até a Alice e moveu seu rosto ligeiramente para o lado.

“Realmente não parece haver nenhum erro em seus circuitos lógicos… E também, o Piety Module segue ativo… Então, nesse caso, será que utilizou o Code 871 por conta própria…? E se foi isso… qual foi a emoção que usou…?”

Do que ela está falando? O que é o code, eight, seven, one…!?

Franzi o rosto incapaz de compreender o significado das palavras da Administrator.

A mulher de cabelos prateados não deixou escapar mais nenhuma informação, apenas arrumou os fios de sua cabeleira para trás dos ombros com sua mão direita enquanto ponderava.

“Certo, não vou conseguir nenhum progresso sem mais análise. Portanto, Chudelkin, vou ser muito bondosa e lhe conceder a oportunidade de se redimir de sua patética falha e fuga anterior.

Portanto, faça o seu melhor para petrificar esses três com suas artes sagradas. E sobre a taxa de Vida, bem… deixe-os em torno de vinte por cento… sim, vinte por cento será aceitável!”

Ela moveu despreocupadamente o dedo indicador de sua mão direita no momento em que terminou de falar.

Após esse movimento, a enorme cama com toda a armação, cortinas e lençóis se fundiu no solo, como se estivesse sobre uma superfície líquida.

O Chefe Elder que tinha perdido todo seu ímpeto, estava agora renovado enquanto saltava para o lado com um ‘-Hohihohi!’ nos lábios.

Tudo ocorreu em segundos, com a cama circular se fundindo ao solo, deixando para trás apenas seu padrão radial sobre o grande tapete.

Depois de uma curta parada, a Alto Ministro aterrissou no chão sem fazer nenhum som.

Um pensamento me veio.

Observei um padrão similar ao do disco de elevação que Alice eu viemos. A cama não tinha realmente afundado no chão, ela tinha sido baixada. De maneira que essa sala deveria estar preparada com mecanismos prontos para serem ativados e com isso coisas apareceriam vindas do chão, ou fariam o caminho contrário, desaparecendo.

Com isso em mente, procurei pelo chão formas circulares, porém, não achei muitos, na verdade, vi apenas um perto de uma parede um pouco mais distante de nós, mas infelizmente, não sabia o que poderia sair dele.

Sem a cama, a sala parecia substancialmente mais ampla do que antes.

A parede curva estava coberta completamente por vidro sem uma mancha sequer, com pilares adornados, aparentemente, suportando a altíssima cúpula que estava cheia de peças de arte que pareciam ser baseadas no mito da criação, com cristais incrustados sobre as imagens, brilhando como estrelas.

Era realmente surpreendente, assim como as enormes réplicas douradas de espadas em cada um dos pilares. Onde até as menores dessas armas ultrapassavam o tamanho de um metro e meio e as maiores chegando à três.

Seria impossível pegar qualquer uma delas e usá-las como armas pois suas empunhaduras eram muito pequenas em comparação às lâminas, que de fato, não me pareciam afiadas.

Em todo o caso, o centésimo andar da catedral não tinha praticamente nenhum lugar para se esconder, ou seja, um ambiente tremendamente desfavorável para lutar contra um usuário de artes sagradas.

Tendo isso em mente, julguei que o melhor seria se tocar o mais rápido possível para cima de Chudelkin antes que o mesmo tivesse tempo para entoar os comandos de seus feitiços. Me convencendo então, tratei de assumir posição avançando meu pé direito.

Porém, mesmo antes de fazer qualquer movimento realmente, vi Alice sacudir um pouco a cabeça.

“Será muito perigoso correr para cima dele sem nenhum plano. A estimada Alto Ministro com toda certeza podia nos imobilizar facilmente com um simples mover de dedos. Ela não fazendo isso deve ter algum significado, talvez queira que Chudelkin nos force a mostrar algo para ela, por isso nos fez enfrentá-lo primeiro.”

“Isso me lembra…”

Logo ao lado, Eugeo sussurrou com a voz tensa.

“É estranho, mas senti que a Alto Ministro não quis realmente me matar, mesmo tendo toda a chance do mundo.

Mas o que queria dizer é que naquela ocasião, o Chefe Elder para petrificar o senhor Bercouli… acabou tocando nele, quero dizer, ele intencionalmente o tocou para poder petrificá-lo…”

“Entendo, a regra do contato direto…, não é?”

Diante das palavras de Alice, assenti com a cabeça. Diferente das artes de longo alcance como de fogo e gelo, existem algumas que requerem tocar o objetivo diretamente com a mão, ou com o pé, para que aja o efeito. Era uma regra fundamental das artes sagradas passada para todos os novatos em treinamento na academia.

Em outras palavras, não tínhamos que nos preocupar com a terrível arte de petrificação contanto que evitássemos o contato direto com Chudelkin ou quem sabe, com a Administrator. Porém, ao mesmo tempo, isso colocava nossas espadas fora da jogada.

Infelizmente, nossa situação seguia sendo desfavorável. A habilidade das artes sagradas de Alice era incomparavelmente melhores dos que as de Eugeo e as minhas juntas, se isso virasse uma batalha de longa distância, Chudelkin poderia acabar conosco com bastante facilidade.

Eugeo continou falando baixinho enquanto eu colocava o cérebro para pensar.

“E por falar em toque… preciso avisar que todo o corpo da Alto Ministro está pr…-”

Antes que pudesse terminar sua frase, Chudelkin, que tinha acabado de se levantar em um salto após ter caído de bunda no chão, riu estridentemente.

“Hohohohhh!!!”

Ele nos mostrou amplamente, um sorriso repulsivo, cheio de confiança recém adquirida pelas palavras de sua mestra às suas costas.

“Sua Eminência, quanta magnanimidade pra esse seu leal servo. Realmente me concedeu o prazer de acabar com esses três ao invés de resolver tudo movendo apenas um de seus maravilhosos dedos. Seu humilde vassalo está as lágrimas! Siiiim, às láááágrimas!! Hgh, hghghghg…”

Não sei o que era mais apavorante, ver lágrimas viscosas que caíam daqueles olhos de meia lua ou aqueles estranhos sons que saíam de sua garganta.

Provavelmente a Administrator já estava farta de ter que lidar com ele, pois o olhou com repulsa e se afastou uns cinco metros com um comentário curto e grosso.

“Apenas vá e faça de uma vez!”

“S-Siiiim! Seu humilde servo irá lutar com todas as forças para ser merecedor de suas expectativaaaaaaaaas!!!!”

Chudelkin pressionou seus polegares em seus canais lacrimais que interrompeu imediatamente o fluxo daquele líquido asqueroso, como se tivesse apertado botões enquanto sorria horrendamente.

“Ora, ora, ora… vamos nos divertir bastante, não deixarei vocês saírem tão fácil deeesssssaaaaaaa. Vou acabar com oitenta por cento de suas Vidas, mas farei isso lentamente, os deixarei se arrastando no chão, se afogando em lágrimas e sangue, o que acham? Preparados?”

“Chega de dizer bobagens! Já falei antes mas irei repetir, vou arrancar essa sua língua fora, assim deixará de nos forçar a ouvir essas suas idiotices. Venha!!”

Disposta a não perder verbalmente, Alice respondeu enquanto apertava mais ainda a empunhadura de sua espada com a mão direita e entrava em posição de ataque, ajustando seu centro de gravidade.

Novamente, Chudelkin assumiu uma posição bizarra, cruzando os braços sobre o peito a mais ou menos cinco metros de distância.

“Nnnnn!!! Maldiiiiiitaaaaaaaaa!!! Sei que no fundo quer ser lambida por minha maravilhosa línguaaaaaa!! Se é assim, atenderei seu desejo quando estiver em minhas mãos. Te lamberei todinhaaaaaaaa!!! Aguarde só um instantinho, só preciso te petrificar!!! Hoaaaahhhh!!!”

Chudelkin deu um pulo para o alto com esse grito. Girou duas vezes no ar e aterrissou… sobre… sua cabeça, com as mãos e pernas para cima.

“…!!!”

Eugeo e eu não éramos os únicos sem fala, o mesmo acontecia com Alice.

Chefe Elder Chudelkin, o homem que não parava de nos impressionar com suas estranhezas. Não sabia dizer se de cabeça para baixo, com seu corpo bizarro sobre si, ficava melhor ou pior de aparência, mas acima de tudo… o que ele pretendia com aquilo? Era alguma forma de defesa?

Se aquilo era apenas uma brincadeira maluca ou não era impossível de dizer, porém, o rosto dele estava extremamente sério, com uma expressão totalmente diferente da que tinha demonstrado até então. Talvez fosse por estar de cabeça para baixo, com todos seus membros em evidência, mas de fato, era algo totalmente novo.

Um instante de silêncio e sua gritaria característica atingiu nossos ouvidos.

“System… caaaaaaaaalllll-!”

Em resposta, Alice brandiu sua espada com um ruído contundente. Apesar de Eugeo eu não conseguirmos dar uma resposta à altura com nossas armas, fizemos o mesmo.

Generatecryogenicelement!!!

Chudelkin entoou a arte de geração de elementos criogênicos terrivelmente rápido.

O poder e escala das artes sagradas ofensivas a distância podiam ser medidas a partir da quantidade de elementos que eram gerados inicialmente.

Desse modo, concentrei o olhar para não perder nenhum dos pontos de luz que apareciam nos dedos das mãos de Chudelkin.

Paaan!!!

Ele golpeou as mão juntas bem no centro de seu corpo e depois as abriu amplamente. Manchas azuis de luz apareceram em seus dedos de ambas com uma suave pulsação, dez delas.

“Que maldito!! O máximo então?”

Falei sem pensar, mas não era como se eu não esperasse aquilo. Pois mesmo um principiante como eu conseguia gerar cinco em uma mão caso me concentrasse bastante.

Chudelkin era o usuário de artes sagradas mais forte da Igreja Axiom depois da Administrator, era muito natural que sempre consiga gerar dez elementos de uma só vez.

Alice permanecia quieta enquanto eu dava um passo para a direita e estendia minha mão esquerda para criar elementos térmicos, o tipo oposto. Eugeo também adotou a mesma posição no outro lado.

Se cada uma fizer cinco elementos, poderíamos nos defendermos dos ataques de Chudelkin.

Porém, quando estávamos a ponto de começarmos a recitar os comandos…

Paaan!!!

O som de geração de elementos novamente foi ouvido.

E o pior, o som veio de Chudelkin que tinha acabado… de juntar seus pés.

Suas duas pernas se estenderam igual ao movimento de suas mãos e imediatamente os dez dedos também criaram elementos criogênicos.

A frase que Eugeo sussurrou com a voz rouca no meu lado expressou exatamente o que eu estava sentindo.

“Não pode ser…!!”

Enquanto mantinha um total de vinte elementos em suas mãos e pés, Chudelkin ria alucinadamente com sua boca invertida.

“OOOOOhohohoho!! Hooohohoho… Tremeram nas bases? Mijaram nas calças? Não conseguem acreditar no que estão vendo? … E olha que já fui classificado como um péssimo usuário de artes sagradas, sabiam?”

Em Underworld, o controle de artes sagradas, para dizer claramente, magia, se realiza mediante a comando de voz e imaginação do usuário. Tomando as artes curativas por exemplo, se tiver rancor em seu coração o efeito será inútil ou até mesmo acontecer de piorar o estado do seu alvo em comparação a quem tem uma crença inabalável de que a pessoa irá se recuperar, essa sim conseguirá inclusive curar e recuperar o objeto de sua magia completamente.

O mesmo se aplica às artes ofensivas que manipulam elementos.

Remodelar os elementos gerados e dispará-los, requer mais do que simples comandos de voz. Fazer a ligação entre a imaginação e consciência era absolutamente essencial.

Nesse caso, tratava-se apenas de crença. Ter a imagem do elemento conectado ao dedo constantemente enquanto entoa os comandos da arte sagrada.

Em outras palavras, não importava o nível do usuário de artes sagradas, o normal sempre era o máximo de dez elementos, cinco em cada mão. Para romper essa restrição e usar com os pés, imaginando-os como elementos de conexão, o usuário deveria estar sempre imaginando-se no ar, sem tê-los inconscientemente sendo utilizando para sustentação do corpo ou então… ficar como um pião, apoiando-se sobre a cabeça, liberando todas suas extremidades… como esse homem acaba de fazer.

“Ohh, hohohooo…!”

Continuando com seus gritos estridentes, Chudelkin falou o comando de forma absurdamente rápida, apontando os dedos de suas mãos diretamente para nós.

“Dischaaaaaaar-…geeeeeeeeeeeee!!!!”

Whooooosh!!!

Cortando através do ar, cinco projéteis vieram girando, criando um redemoinho gelado ao serem lançados com outros cinco logo atrás.

Não importava a situação em que nos encontrávamos, algo tinha que ser feito.

Duas fileiras de lanças congeladas vinham em conjunto, cobrindo todas as rotas possíveis de fuga. E já que não dava para esquivar, de alguma forma tínhamos que interceptá-las. Portanto, agarrei minha preciosa espada e me aprontei para todas as farpas que entrasse em meu raio de ação.

Olhei para cima e…

Uma faísca dourada ofuscou minha vista.

Com um corte horizontal, a Fragrant Olive de Alice se dividiu em incontáveis lâminas diminutas e partiram como um turbilhão.

Não era a primeira vez que víamos o Armamento Full Control Art dela, porém, ainda assim Eugeo e eu estávamos maravilhados com aquela beleza mortal.

Só a luz da lua brilhava através das janelas iluminando o andar mais alto da catedral. Porém, mesmo com isso, as pétalas douradas cruzando o ar iluminavam tudo, como se estivessem emitindo luz própria, elevando-se e descendo como uma chuva de estrelas cadentes ou meteoritos.

“Haaahhh!!!”

Alice brandiu a empunhadura que estava em sua mão com um grito.

A tempestade de flores em redemoinhos imprevisíveis se agitando como um ser vivo engoliu os dez projéteis, produzindo ruídos de algo sendo triturado, lançando uma poeira branca em alta velocidade para cima de Chudelkin, o convertendo… em um grande e inofensivo sorvete.

“Nhn… gngngngnngnnn…!”

Vendo sua arte sagrada disparada de maneira tão orgulhosa voltando-se para ele de forma tão impotente, Chudelkin mordeu fortemente os lábios enquanto gritava de maneira totalmente alterada.

“Não fique se achando que consegue tudo por causa desse seu… seu… ralador gigante!! Tome issooooo!! Hooooohh!!”

Moveu as pernas, baixando-as horizontalmente com os outros dez elementos em disparada.

As luzes azuis voavam alto, traçando raios gelados paralelos, fundindo-se em determinada parte do teto, produzindo um imenso bloco retangular de gelo.

O gelo continuava crescer violentamente, ganhando corpo e peso enquanto sons retumbantes eram ouvidos por todos os lados.

Do local onde os pontos de luz se fundiram, o imenso cubo cresceu para cada lado aproximadamente dois metros, para esquerda, direita, cima, baixo e em profundidade, criando em sua superfície imensos e afiadíssimos estalactites.

Se as leis da física em Underworld fossem como as do mundo real, dado a temperatura atual e o desgelo progressivo, aquela absurda massa de aproximadamente sete toneladas iria cair dentro de poucos segundos nos empalando e nos esmagando, respectivamente.

Chegando a essa conclusão rapidamente, tentar fazer algo com a espada seria inútil, então, inconscientemente dei um passo para trás.

“Hohihiii… Que tal isso? O que acha de minha maior e melhor arte sagradaaaaaaaa? É hora de dar tchau, seus malditoooooss!!!!”

Com essa frase, Chudelkin torceu a boca enquanto baixava violentamente suas pernas estendidas e o imenso bloco pontiagudo começou a cair com um rugido.Sword Art Online Alicization - Alice - Uniting - Vol. 14

 

 

E NÃO É QUE ESSE CHUDELKIN TEM UNS TRUQUES NA MANGA? … E NA BARRA DAS CALÇAS TAMBÉM?

Sword Art Online Alicization Uniting

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization Underworld – Light novel em Português

Também estamos no Tumblr e no Pinterest

Tema de batalha do joguito 🙂