Sword Art Online Alicization Uniting em Português – Underworld – Capítulo 12 – Parte 1

Arco: Alicization – Uniting

Prólogo

Sword Art Online Alicization - Uniting - Volume 14Os Integrity Knight, também conhecidos como os guerreiros sagrados, possuíam um exímio manejo de espada e estupenda capacidade com as artes sagradas, podendo utilizar o Full Control Art como e quando bem desejassem.

Apesar de terem protegido a lei e a ordem no Mundo Humano sob as ordens da Igreja Axiom por longos trezentos anos, seu efetivo era assombrosamente pequeno.

Como foi notado através da nomeação do mais recente de seus cavaleiros, Eldrie Synthesis Thirty-One, que tinha se juntado as fileiras dos mantenedores da lei há somente um mês. E assim como seu nome sugere, ele era o trigésimo primeiro.

Porém, esse fato também servia para demonstrar o quão terrível era a força dos Integrity Knight e o tamanho do medo que incutiam em seus inimigos. Em comparação com as Full Raid Group montadas em SAO e ALO, sua formação parece pífia em número, mas mesmo com um grupo tão reduzido, eles valiam por centenas de soldados daquelas outras realidades, sendo capazes de repelir todo o tipo de ataque vindo dos seres do Dark Territory, que rodeava o Mundo Humano.

Eu, Kirito, uma vez chamado de nomes como beater ou espadachim negro, agora não passava de um estudante, um espadachim em treinamento em uma academia em Centoria do Norte que havia se voltando contra os tido como os mais fortes guerreiros desse mundo, os Integrity Knight, com somente uma espada de madeira na cintura e um fiel amigo, meu melhor amigo, como companheiro.

A batalha final havia se desenvolvido de uma forma inesperada, começando conosco sendo presos e encarcerados, só conseguindo a liberdade na base da força bruta e abrindo caminho com nossas espadas na escalada do lugar mais sagrado da Igreja Axiom, a organização mundial de Underworld. Tudo isso para depor a governante implacável do Mundo Humano.

Não foi a melhor de minhas ideias e nem a de execução mais excelente, mas nesse momento, era a única coisa que tínhamos.

O Frost Scale de Eldrie Synthesis Thirty-One.

O Conflagrant Flame Bow de Deusobert Synthesis Seven.

A Heaven Piercing Sword de Fanatio Synthesis Two e seus subordinados, os Four Oscilation Blades.

A Frangrant Olive Sword de Alice Synthesis Thirty.

Passando por todos esses poderosos guerreiros, com seus instrumentos igualmente divinos, contando com nada mais e nada menos com a pura e simples sorte, fomos prosseguindo com a interminável subida pela torre branca da Catedral Central.

Sou realista em dizer que somente pela força de minha espada talhada de uma das ramas da árvore demoníaca, o Giga Cedro, que ficou durante um ano sendo criada pelo artesão Sadore, provavelmente não conseguiria chegar aonde cheguei.

Devo agradecer à Cardinal, a pequena sábia que me deu a oportunidade de um pequeno descanso, me proporcionando um alimento revigorante e informações vitais sobre esse mundo e um modo de utilizar o Armament Full Control Art, uma técnica que poderia rivalizar com os Integrity Knight.

E é claro, agradecer também ao meu amigo Eugeo, que sempre permaneceu ao meu lado nesses longos dois anos aos quais dispensamos para iniciar nossa aventura desde a remota vila de Rulid.

Eu havia ensinado para ele várias técnicas de espada de empunhadura simples, que ficou conhecida meio sem querer como Estilo Aincrad. Algo de pouco valor se comparado ao que ele me proporcionou como pagamento… sua entrega total aos preceitos da espada e me dando a oportunidade de melhorar como pessoa.

Depois de cair nesse mundo, Underworld, sem sequer uma lembrança de como vim parar aqui, só consegui sobreviver e evoluir graças a sua ajuda, alento e orientação.

Nesse tempo todo, o único momento em que nos separamos foi quando fui jogado para fora dessa torre através de um enorme buraco na parede, na altura do octogésimo andar, juntamente com sua outrora amiga de infância e atual guerreira sagrada, a Integrity Knight Alice Synthesis Thirty a qual estávamos lutando ferozmente.

Conseguindo de alguma forma convencê-la a embainhar temporariamente sua espada, garantindo uma trégua, nos unimos para a terrível subida pela parte exterior da catedral com a finalidade de chegar até o nonagésimo quinto andar, local aberto e pelo qual poderíamos retornar ao interior do lugar.

Nesse meio tempo, Eugeo prosseguiu com nossa missão, reiniciando a subida.

Após termos retornado para dentro da Catedral Central, nos vimos às voltas com o peculiar homem chamado Chefe Elder Chudelkin, no nonagésimo nono andar, um piso antes de chegar aos aposentos da toda poderosa Alto Ministro, a Administrator.

Exatamente o lugar após a misteriosa câmara dos anciões, com um disco de elevação direcionado ao último andar da torre, que reencontrei meu estimado amigo.

Infelizmente, ele já não era mais o mesmo jovem sem malícia e de nascimento humilde que conhecia.

Ele era o mais novo Integrity Knight, protegido com uma armadura completa de cor prata azulada. Eugeo Synthesis Thirty-Two.

Esse era o novo nome do meu melhor amigo.

Capítulo 12 – A Alto Ministro, a Administrator (5º mês do calendário do Mundo Humano do ano 380)

Parte 1

A Blue Rose Sword que Eugeo segurava e a espada negra em minha mão brilhava com uma matiz verde pálida naquele espaço pouco iluminado.

As duas trajetórias foram absolutamente simétricas. Os primeiro passos e movimentação foram idênticos. Embora fosse um golpe da mesma classe de habilidade, o Sonic Leap, nossa sincronização foi impecável em todos os aspectos.

O momento em que a ponta de nossas espadas chegaram ao ápice de sua movimentação, o tempo pareceu se distorcer, fazendo o brilho das duas lâminas aumentarem exponencialmente, indicando que suas forças estavam no seu máximo.

E quando ambas se chocaram…

Não tinha usado essa habilidade sem pensar. Pois a metodologia no salto inicial desse golpe, a orientação de meu corpo e o movimento de aceleração de meu braço, consistia em uma arte tripla.

Mesmo com essa complexidade, o Sonic Leap de Eugeo não se atrasou um décimo de segundo sequer. Em outras palavras, ele também conseguia atingir a máxima aceleração daquele golpe e eu nem havia ensinado isso a ele ainda.

Eugeo deve ter brandido sua espada de maneira constante e obstinada sem que eu me desse conta. Quantas centenas de vezes, dia após dia, ele ficou ouvindo a ‘voz’ de sua amada espada…?

“Como…!?”

Perguntei no momento em que as espadas se chocavam violentamente.

“Como você pode perder para o Synthesis Ritual? Com todo esse potencial que veio depositando em sua espada… Por acaso não saiu de Rulid com intuito de vir para Centoria Central resgatar sua preciosa amiga, Alice? Como caiu nessa…!?”

“…”

Recebendo a força do golpe sem recuar nenhum centímetro, Eugeo manteve suas palavras anteriores,‘- Não tenho nada mais para falar com você…’ e permaneceu com os lábios selados.

Achei ter visto uma luz tênue, uma centelha brilhando no fundo de seus olhos verdes quando escutou o nome de Alice, mas logo uma grande escuridão a consumiu. Ou foi isso ou talvez tenha sido apenas o reflexo causado pelas nossas habilidades explodindo perto de nossos rostos.

Se essa luta balanceada continuasse, logo se tornaria um combate corpo-a-corpo em alta velocidade instantes depois de finalizar o Sonic Leap.

Não podia me perder em pensamentos, tinha que bolar algo com o ínfimo tempo que restava.

Os Integrity Knight são criados através do Synthesis Ritual, com a manipulação direta de seu Fluctlight, sua alma. Sendo mais específico, o fragmento de recordação mais importante para a pessoa é extraído e um dispositivo, o Piety Module é inserido em seu lugar, implantando uma falsa lealdade.

O estado mental do Integrity Knight Eldrie foi influenciado imediatamente quando escutou o nome de sua mãe, fazendo o Piety Module quase saltar de sua testa. Significando que era exatamente as memórias que a Administrator havia roubado, tudo relativo a sua mãe fora retirado para que ele se tornasse um guerreiro sagrado.

Essa é a chave para o ritual, despojar os Integrity Knight de suas recordações mais importantes, impondo instruções pré-programadas em seu lugar, onde o cérebro entendia que ficavam as mais valiosas lembranças. No caso do guerreiro Deusobert, era sobre sua esposa.

Já na ocasião com a subcomandante Fanatio e com o Knight Commander Bercouli, não tive chances de saber quais tinham sido as lembranças retiradas, mas posso supor que fossem algum familiar ou ser amado.

E nesse caso, quem estava nas recordações roubadas de Alice…?… Me perguntava isso enquanto com o canto do olho via a Integrity Knight dourada observando nossa batalha.

O disco de elevação, usado por Chudelkin para escapar e que chamamos de volta, permanecia imóvel no chão perto de nós enquanto cruzávamos espadas. Isso deixava um buraco no teto logo acima de nós. Sabia que o quarto da Administrator deveria estar logo ali, mas não tinha como chegar até ele ainda.

Devido à escuridão, também não era possível ver o que tinha além desse buraco e muito menos podia pressentir a presença da administradora desse mundo nos olhando.

Mas antes de pensar em subir, tinha que resolver a situação de Eugeo. Ele acabou de ser ‘sintetizado’ há mais ou menos uma hora, consequentemente, suas lembranças da pessoa mais importante para ele, também acabaram sendo levadas.

Quem seria essa pessoa? Bom, só tinha uma resposta para essa pergunta.

Não poderia ser outra além da garota que fora capturada por Deusobert diante de seus olhos, cujo rastro ele vem perseguindo por oito anos, Alice Schuberg, agora conhecida como Alice Synthesis Thirty.

Mas se for esse o caso, então porque ele está tão empenhado e focado em batalhar comigo? Porque não demonstra nenhuma reação depois de ficar a menos de dez metros dela?

Eldrie quase teve o Piety Module expulso de seu corpo apenas por escutar o nome de sua mãe. Se a instabilidade estava nesse nível, estava crente que era devido ao seu curto tempo como Integrity Knight. Achei estranho esse ‘sintoma’ não ocorrer com Eugeo.

Esperava no mínimo Eugeo apresentar uma reação bem maior do que a de Eldrie ao ver Alice pessoalmente.

Ainda assim, o coração dele continuava fechado. Então, se não eram as lembranças de Alice que lhes foram arrancadas, quem ou o que foi tirado dele durante o-…?

O resplendor das duas habilidades ativadas chegou ao seu momento final enquanto estava no meio de meus pensamentos.

Perdendo a inércia da assistência do sistema, as lâminas branca e negra recebiam o efeito colateral dos golpes dados.

Tanto Eugeo, com sua expressão congelada, quanto eu, mordendo os dentes, levantamos nossas espadas no ar enquanto faíscas alaranjadas saíam do choque entre elas.

“Oooohhh!!”

“…!”

No lugar de dois gritos de batalhas, apenas a minha voz se propagou na grande sala. Eugeo permanecia com seu silêncio.

Novamente começamos a trocar golpes idênticos. Nossas espadas faziam os mesmos movimentos em uma sincronia incrível. Brandíamos as lâminas em cortes horizontais vindo da direita e da esquerda, recebíamos a mesma carga de impacto e nos recuperávamos ao mesmo tempo para iniciar nova investida.

Quando empurramos uma lâmina sobre a outra, em um impasse mortal, fiz uma força diagonal para forçá-lo a recuar, mas que foi imediatamente rechaçada com uma determinação implacável.

Novamente fui surpreendido quando fomos para a próxima parte do enfrentamento.

As espadas tinham a mesma qualidade, porém, os guerreiros não estavam nas mesmas condições. Em contraste com minha vestimenta focada na agilidade, Eugeo usava uma pesada armadura que o cobria dos pés à cabeça. E apesar de estar usando algo assim, seus ataques não diminuíam de velocidade nem um décimo de segundo.

Por acaso ao se tonar um Integrity Knight, a pessoa tem uma acréscimo de todos seus atributos? Ou isso era obra da técnica Incarnation, aquilo que Alice havia falado instantes antes da batalha?

Estou consciente de que há um sistema atuando aqui, seguindo o mesmo padrão lógico dos numerosos mundos de VRMMO aos quais já estive.

O poder da Incarnation, ou seja, da encarnação, era de fato o poder da imaginação…

Essa força invisível que podia criar fenômenos muito além das capacidades padrões de sistema, as chamadas artes sagradas.

Mesmo que Eugeo tenha tido suas lembranças e emoções completamente selados quando se tornou um guerreiro a serviço da Igreja Axiom, sua garra nas lutas tinha extrapolado todos seus limites, chegando a um estado quase autômato, uma máquina gélida.

Isso se fez muito claro ao ver como ele movia a Blue Rose Sword desde o início da batalha e também como ele havia chamado sua espada para si, parecendo até telecinese, o que Alice chamou de braço da encarnação, ou o que fiquei sabendo tempos depois, incarnation arm.

O que havia restado na mente de Eugeo agora? Será que a determinação em recuperar a Alice era na verdade uma cortina para esconder sua vontade de se tornar um Integrity Knight? O que estava no grande vazio de onde suas memórias foram arrancadas?

Não podia acreditar que a lealdade forçada implantada em sua alma tinha sobrescrito sua real natureza e sua força. A Blue Rose, que recebia os golpes de minha espada negra sem o mínimo tremor não podia ser movimentada por uma lealdade falsa, havia poder, muito poder em seus golpes.

Em oposição ao seu olhar frio como gelo, havia algo ardendo ferozmente, mas que estava contido, pelo menos é isso que quero acreditar. E para despertar esse outro Eugeo, só podia fazer uma coisa…

“…Eugeo.”

Empurrando a espada com todas minhas forças, sussurrei.

“Você não se recorda agora, mas… até então, nunca tivemos uma luta séria, não é?”

“…”

No fundo de seus olhos verdes, um tênue brilho azulado surgiu. Procurando focar nesse brilho, continuei.

“Pensei isso muitas vezes desde quando começamos nossa viagem de Rulid até Centoria, inclusive depois que entramos juntos na academia, que se lutássemos de verdade, quem de nós sairia vencedor?… Falando honestamente, sempre acreditei que com o tempo, você me superaria.”

Eugeo nem piscou, apenas manteve sua posição, segurando firmemente a espada, me bloqueando. Em sua atual perspectiva, eu era apenas um intruso ao qual ele deveria destruir.

Atacaria-me ao ver a menor abertura. Porém, usando toda a experiência com o método de encarnação, acreditei que minhas palavras pudessem chegar até seu coração, mesmo que apenas alguns fragmentos. Crendo nisso, subi o tom de minha voz, colocando toda a energia possível.

“Porém, ainda é muito cedo. Não poderá me vencer em seu estado, justamente por ter nos esquecido e nos abandonado.

Esqueceu-se de mim, Alice, Tieze, Ronye e também de Cardinal. E por causa disso, irei lhe derrotar e provar que sua resolução está errada.”

Contive minha respiração e ao terminar de falar, movi toda a força que acumulei para a lâmina da espada.

Várias rugas surgiram no rosto de Eugeo ao tentar repelir minha investida.

E então imediatamente retirei a espada para o lado em um só movimento fluído.

As lâminas deslizaram uma sobre a outra, lançando novamente faíscas no ar. Deslizei para o lado enquanto Eugeo se balançava para frente, de maneira que fiquei em suas costas.

Se continuasse ali, provavelmente Eugeo me atacaria em um contragolpe no momento em que recuperasse seu equilíbrio.

Aproveitei então o embalo que havia acumulado e deixei-me ir ao chão propositalmente.

Nesse momento vi com o canto do olho, Alice lançar sua mão como um raio até a cintura pegando a Fragrant Olive Sword, provavelmente pensando que eu tinha perdido e com a intenção de interromper o duelo.

Felizmente, sua suposição estava equivocada três segundos antes. O resultado dessa estratégia seria decidido justamente por algo que Eugeo não tinha domínio total, a familiaridade com o Estilo Aincrad.

Levantei meu pé direito com toda velocidade e força que tinha no corpo, pouco antes de cair de costas no chão. Um fulgor brilhante saiu da ponta de minha bota, explodindo no rosto de Eugeo em um flash.

“Ooooooh!!”

Rugi enquanto girava meu corpo. Tinha acabado de ativar uma das muitas técnicas de artes marciais do Estilo Aincrad, o chute invertido que gostava de chamar de Gengetsu, ou como estava no menu em SAO, Crescent Moon.

Essa versátil habilidade que podia ser ativada inclusive no meio de uma queda, havia me salvado inúmeras vezes naquele mortal jogo.

Ainda que não a tenha usado até agora em Underworld, nem nas batalhas reais e nem nos treinamentos, o movimento estava gravado tanto em meu corpo quanto em minha mente. E o mais importante de tudo, Eugeo jamais o havia visto.

Por outro lado, havia ensinado-o a usar golpes de artes marciais que utilizavam os punhos e ombros. Outra assombrosa demonstração de sua aptidão para o combate, pois foi capaz de conectar golpes assim com uma habilidade avançada de espada como a Metor Break, sem mencionar na técnica de corte rápida Flash Hit.

Acredito que ele poderia facilmente ter esquivado de meu Gengetsu se soubesse de sua existência. E nesse caso, estaria perdido, pois ficaria completamente vulnerável caso errasse o chute.

“Já começou a lição, Eugeo!”

Gritei novamente enquanto apoiava meu pé direito no pescoço de meu companheiro.

Os olhos de Eugeo permaneceram cheios de um frio absurdo mesmo diante da situação desfavorável. Girou mecanicamente seu corpo com uma dura expressão, tratou de retirar meu pé de cima, porém, ainda seguia cambaleante pela força do golpe acertado em cheio no rosto.

O protetor da mandíbula de sua armadura caiu no chão, se desfazendo em partículas de luz.

“Gh…!”

Um gemido de dor veio da boca de Eugeo. A Blue Rose vacilou e se moveu para o lado direito em um corte torpe. Porém, nenhum golpe nesse estado poderia rivalizar com meu chute em altíssima velocidade.

Entretanto, tinha que ser cuidadoso a cada chute dado… Pois Eugeo provavelmente não iria contra-atacar assim. Ele provavelmente estava visando interceptar meu pé somente e não meu corpo, igualmente como se fosse uma espada.

O golpe com a empunhadura da espada. Uma técnica bem útil e que certamente não existia em Underworld, onde todos se focavam apenas na beleza dos ataques.

Ainda no antigo SAO, somente aqueles que estavam acostumados a lutar contra outros humanos usavam ela.

A trajetória do Gengetsu me proporcionaria o ângulo ideal para adaptar o golpe caso eu chutasse pelo lado. Será que deveria tentar?

“…!”

Apertando os dentes, lancei o pé para chutar mais uma vez. Tinha que retirá-lo o mais rápido possível para me colocar na posição exata sem dar chance dele arrancá-lo, mas não podia deixar-me ir tão para o lado ou a técnica seria cancelada. Só o que tinha que fazer era aguentar alguns instantes e…

Esperar até que a mão direita de Eugeo começasse a iniciativa do contra golpe para interceptação.

“…Agora!

Um impacto explosivo, que ao invés de mirar novamente na garganta de Eugeo, foi diretamente na lateral de sua mão direita, a mesma que segurava a espada. Não esperava causar muitos danos por causa da proteção extrema das armaduras dos Integrity Knight, porém, somente essa pancada já serviria aos meus propósitos.

A mão de Eugeo se ergueu, jogando a Blue Rose imediatamente para cima, indo cravar-se no teto de mármore branco. Observando isso com o canto do olho, apertei a empunhadura de minha espada me preparando para executar o ataque seguinte no momento em que recuperasse o equilíbrio após o giro no chão.

A sola de minha bota, ainda com vestígios de luz do golpe anterior, enfim tocou a pedra.

Dobrando meus joelhos, absorvi o impacto e me balancei com todas as forças, sem me preocupar com a elegância da postura.

Pressionei o pé contra o chão, colocando toda força nele e parti para cima de Eugeo, ativando a técnica de um golpe, Slant, que corta da esquerda para a direita.

“…!?”

O que vi ao tentar estabilizar uma postura para atacar enquanto ativava minha habilidade, foi a mão esquerda de Eugeo agitando-se em minha direção, formando pontos verdes de luz em seus dedos.

Aconteceu instantes antes de minha espada tocar o peitoral de sua brilhante armadura.

Burst Element!

Tão logo a invocação abandonou os lábios de Eugeo, os 5 pontos de luz, de elementos aéreos detonaram em uníssono. Liberando um impacto explosivo que me engoliu por completo.

A pressão de vento em si não me causou dano, porém, perdi totalmente o balanceamento ao ser lançado para longe como um pedaço de pano.

“Guohh…!!”

Gritei enquanto agitava os braços para recuperar o equilíbrio. Bater com a cabeça contra a uma superfície dura nessa velocidade reduziria um décimo de minha vida com toda a certeza. Então, de alguma maneira consegui girar meu corpo no ar, colocar os pés para trás e apoiá-los na parede, para absorver o impacto.

Mesmo fazendo isso, ainda sofri um choque brutal quando tentei frear minha aterrissagem vertical. Minha cabeça se forçou contra o peito enquanto as pernas ficavam dormentes pouco antes de cair no chão.

Quando levantei, vi que Eugeo também tinha sido jogado para o lado oposto pela violência da explosão dos elementos aéreos, entretanto, como era de se esperar, o peso e a resistência de sua incrível armadura fez com que permanecesse no chão, apenas sendo arrastado alguns metros.

Meu amigo transformado levantou-se calmamente com toda ‘eloquência’ de uma pedra estampada no rosto.

Essa falta de expressão estava realmente me deixando nervoso.

Nisso, uma voz chegou aos ouvidos vindo da minha direita.

“…Esse é realmente o seu amigo Eugeo? O seu estimado companheiro?”

A pergunta partiu de Alice, que estava como única expectadora dessa batalha. Virei em sua direção por um momento e sussurrei em resposta.

“O que você quer dizer? Não foi você mesma que disse que ele foi sintetizado?”

“Sim, isso é verdade mas… não sei como dizer isso…, é que…”

As palavras seguintes da garota me pegou totalmente de surpresa.

“É que ele está inacreditavelmente acostumado com as batalhas. Em um nível totalmente incompatível para alguém que foi recentemente convertido em um Integrity Knight. Mesmo ignorando toda sua desenvoltura com a espada e a velocidade de resposta absurda, só com o fato dele usar o incarnation arm no início do duelo e ativar todos aqueles elementos em um espaço de tempo quase nulo, dificilmente diria de que se trata de apenas um novato. Tem algo errado…”

“…Mas será que ele não obteve todos esses poderes justamente por se transformar em um Integrity Knight?”

Só queria confirmar algo com essa pergunta, porém, Alice negou veementemente. O que me causou mais calafrios ainda.

“As habilidades de um Integrity Knight não são adquiridas assim tão facilmente. Só conseguimos dominar grandes movimentos secretos e artes sagradas complexas depois de um grande período de treinamento duro e em se tratando de técnicas como a incarnation ou full control art então, nem se fala.”

“E-Entendi…, mas então… o que foi isso tudo…? Até onde eu saiba, Eugeo nunca conseguiria gerar todos aqueles elementos com apenas uma mão…”

“Foi por isso que lhe perguntei se ele era realmente o seu amigo Eugeo!”

“…”

Mordi meus lábios enquanto observava o cavaleiros azul prateado que agora iniciava lentamente uma caminhada em minha direção.

Em se tratando da pessoa mais importante da Catedral Central, a Alto Ministro, Administrator, não poderia descartar nenhum tipo de possibilidade, por mais absurda que parecesse…

Ela era a usuária mais poderosa das artes sagradas desse mundo, que rivalizava e até superava Cardinal, a pequena sábia que vivia na Grande Sala da Biblioteca, em muitos aspectos. Alguém que podia manipular as recordações humanas como bem entendesse.

Com um histórico desses, talvez pudesse realmente ter criado um impostor idêntico ao meu amigo… porém…

“Eu-… Eugeo…!”

Sussurrei.

A luz naqueles grandes olhos verdes, as feições… mesmo que congeladas, o formato do rosto e a maneira polida de se portar, não podia ser outra pessoa. Esse Integrity Knight era definitivamente meu companheiro, meu melhor amigo e irmão de alma, ele era Eugeo, o gentil morador de Rulid.

Cometi muitos erros desde que cheguei a esse mundo, mas com certeza podia dizer isso com segurança.

Não entendia como ele conseguia usar técnicas que superavam as de Alice, quem em tese, deveria ser a mais habilidosa entre os guerreiros sagrados, ainda mais depois de se converter tão recentemente à ordem. E além disso, sequer sabia como ele foi tão rapidamente sintetizado sem levar no mínimo o mesmo tempo que Alice, já que provavelmente deve ter lutado contra fazer parte de um ritual forçado.

Entretanto, mesmo com essa situação peculiar, só tenho uma meta. Colocar toda a força em minha espada e ataca-lo. Isso era tudo.

Enchendo os pulmões de ar, ergui minha espada com força.

Talvez pressentindo meu espírito de luta, Eugeo se deteve em meio sua caminhada enquanto levantava silenciosamente sua mão direita.

Como ocorreu antes, a ‘mão invisível’ da incarnation arm retirou sua incrível amiga azulada, a Blue Rose Sword, cravada no teto e a devolveu para seu punho.

Assim como seu dono, aquela espada tinha muito orgulho e perseverança e jamais se sujeitaria a um impostor.

Eugeo girou a pesadíssima espada sem esforço algum e adotou uma postura média de ataque. Ao ver essa posição, sem nenhuma abertura, Alice sussurrou:

“Você quer mesmo continuar a lutar com ele? Será que consegue?”

“Eh! Fique só observando!”

Depois dessa pequena cutucada, me coloquei também em posição.

Mesmo que ambos estivessem sem as recordações um do outro, Eugeo e Alice ainda seguiam sendo amigos de infância criados em Rulid. Não poderia deixá-los de maneira alguma lutarem entre si e além do mais… despertar Eugeo de seu transe, era o meu trabalho.

Mesmo que o seu normal fosse se ofender diante minha resposta, depois que escalamos a parede da catedral, Alice abrandou seu temperamento. Em face disso, ela apenas deu um passo para trás e cruzou os braços.

Em consideração ao seu ato, não fiz mais qualquer crítica, apenas me concentrei na luta e agradeci.

“…Obrigado.”

Agora não tinha mais nada para pensar, era hora de agir.

Caso não me doasse totalmente nessa batalha, jamais conseguiria derrotar o Integrity Knight Eugeo e muito menos alcançar o coração selado de meu melhor amigo embaixo dessa espessa armadura.

A ponta de minha espada negra vibrou alto. Era como se todos os sentimentos durante os longos treinos que fizemos juntos viessem à tona e explodissem bem na nossa frente.

Era chegado o momento da verdade.

“Conto contigo minha amiga negra. Certamente lhe darei um nome apropriado quando todas essas batalhas terminarem, portanto… só lhe peço que empreste-me um pouco mais de sua grande força, está bem?”

Rezando baixinho para minha espada na mão direita, respirei fundo e me preparei.

Tudo parou.

Os ruídos do ambiente, inclusive o calor e o frio, tudo desapareceu. Nada mais havia nesse mundo além de minha espada, eu, a Blue Rose e Eugeo.

Já temi muito por esse momento durante dois anos… mas isso termina agora.

“Vamos, Eugeo!!!”

Pisei violentamente no chão ao saltar, com grito preso na garganta. Eugeo manteve sua pose à meia altura, aguardando meu assalto.

Truques baratos não funcionariam com este Eugeo de agora, que era capaz de executar com perfeição e até extrapolar o Estilo Aincrad e usar uma gama incrível de artes sagradas de alta qualidade.

Percorrendo quinze metros em um piscar de olhos, liberei um ataque de cima para baixo vindo da direita, usando toda a inércia acumulada. Por sua vez, Eugeo efetuou um corte para cima saindo também de sua direita, usando as duas mãos após dar um vigoroso passo para frente que fez o solo sob seus pés rachar.

As duas lâminas se chocaram emitindo um clarão instantâneo em uma mescla de luz negra e prateada.

Percebendo que nossa batalha não seria de ataques de longa distância, coloquei minha mão esquerda sobre o pomo da espada negra também. Aproveitando o movimento, fiz o caminho mais curto para levar a espada até o alto, passando sobre minha cabeça.

“Oooooh!!!!”

Brandi-a para baixo, expulsando tudo que restava de minha vontade na forma de um grito.

Se as especificações das espadas e as capacidades dos espadachins estivessem em um mesmo nível, um corte vertical em seu máximo poder não podia ser desviado completamente com um corte horizontal ou diagonal. Ele somente poderia escolher duas opções:

Golpear de volta com a mesma técnica e escapar do alcance da minha lâmina, mas nesse caso, a espada de Eugeo já havia se movido da direita, logo, não poderia mudar sua trajetória para adquirir a posição necessária para fazer o mesmo golpe que eu. Sem contar que o peso de seu corpo e centro de equilíbrio já havia se deslocado para a direita, portanto, não poderia saltar para trás imediatamente.

Era a chance perfeita para-…

Cancelei meus pensamentos e baixei minha espada.

A ponta da minha amiga negra chegou ao ombro de Eugeo, protegido pela armadura azul prateada quase que instantaneamente.

Não importa quão alta fosse a prioridade que possuíssem, as armaduras dos Integrity Knight não eram suficientemente resistentes para repelir um golpe direto de um instrumento divino sem sofrer nenhum dano.

A espada entrou na armadura com um ruído agudo metálico e seguiu seu curso deixando para trás somente um momento de resistência. Um risco de luz passou através de Eugeo, de seu ombro esquerdo até o meio do peito.

O som como de vidro estilhaçando ecoou logo após a grossa armadura se romper.

Pequenas peças de metal se espalharam no ar acompanhadas de um borrifo de líquido vermelho. Não deve ter sido muito profundo devido a espessura e resistência apresentada da proteção da armadura, mas definitivamente minha espada tinha cortado o corpo de Eugeo.

Senti como se tivesse atingido a mim mesmo. Uma enorme sensação queimada pulsante em meu corpo explodiu no momento em que me dei conta de ter machucado meu amigo.

Com o rosto contorcido de uma dor psicológica sem limites, mas com a certeza de que não devia parar, girei o pulso no momento em que o corte chegava próximo ao solo e usei a energia e elasticidade de todo meu corpo para seguir com o próximo ataque para cima.

Nesse momento, a espada negra foi repelida para o lado com um golpe.

Eugeo havia chutado ela com a proteção da canela de sua armadura, sem sequer demonstrar sentir dor da recente ferida sofrida em seu ombro esquerdo e peito.

Sabendo que esse movimento levaria a conexão de outro golpe como contra-ataque, desesperadamente me inclinei para o lado, enquanto a Blue Rose passava raspando pelo meu lado esquerdo.

Empreguei tudo que tinha no corpo para evitar um golpe direto em meu pescoço, mas ainda assim atingiu meu ombro esquerdo.

Sentindo um frio absurdo no lugar da dor, meu pé direito ajudou a impulsionar o resto do corpo e com todas minhas forças, dando possibilidade de dar um encontrão em Eugeo que estava com sua espada ainda cravada no meu ombro.

A dor se apresentou instantaneamente, causando-me náuseas uma vez que o sangue fresco jorrou do lugar da ferida, se espalhando no ar quando a espada de Eugeo perdeu o contato com meu corpo.

Eugeo conseguiu se manter firme ao se equilibrar sobre seu pé esquerdo atrás da cortina de sangue erguida se negando a cair.

Levantei minha espada até a direita com uma mão novamente. Um brilho azul a envolveu imediatamente.

Corte diagonal Slant.

Se conseguisse usar a inércia para conectar esse golpe e atingir o ombro direito de Eugeo, ele não poderia mais manejar sua espada como veio fazendo até agora.

“Ra… aaahh!!!”

Aconteceu quando gritei e ativei o ataque.

Uma centelha vermelha brilhou, parecendo vir por trás de Eugeo.

Era a luz de uma habilidade com espada, mas não havia nenhuma no Estilo Aincrad que pudesse me atacar naquela posição, com o ombro direito e parte de suas costas expostas, viradas para mim.

Mas mesmo com meus olhos vendo o que estava acontecendo, o golpe Slant já havia se ativado, não conseguia mais parar minha espada.

O corpo de Eugeo girou violentamente no sentido anti-horário instantes depois. Um corte horizontal surgiu pela direita, deixando uma luz vermelha como rastro.

Essa habilidade… é uma técnica de um só golpe para espadas de duas mãos, Back Rush.

Uma técnica de contra-ataque giratória para quando o inimigo está em suas costas.

Era incrível, porém… nunca ensinei isso para Eugeo.

O pesado impacto desfez meus pensamentos. O Black Rush de Eugeo e meu Slant se chocaram, fazendo nossas espadas ricochetearem, nos obrigando a retornar para trás.

O sangue fresco de nossos ombros esquerdos escorriam pelos cortes em linhas intermitentes enquanto Eugeo e eu balançávamos nossas espadas em uma sincronia mortal.

Uma luz azul escura escapou das duas espadas.

O corte para baixo por cima da cabeça, técnica de um só golpe, Vertical.

Mesmo com esse nome, a habilidade não necessariamente poderia ser na vertical, pois você poderia se inclinar mais ou menos dez graus dependendo da orientação da mão do espadachim e por definição, sua trajetória podia modificar-se ligeiramente.

Ver dois golpes tão inesperados se chocarem em plena ativação era realmente algo surreal. Porém, isso continuou acontecendo outra e outra vez, sempre simultaneamente, como em um espelho.

Em um dado momento, isso voltou a ocorrer, entretanto, não se atingiram no final de suas trajetórias, o choque ocorreu na metade de seus caminhos.

A espada negra e a Blue Rose se encontraram cerca de um terço das pontas de suas lâminas, jogando faíscas nos olhos dos dois guerreiros, os cegando temporariamente.

Diferentemente do que acontecia em SAO, nas ocasiões onde as espadas se chocavam dessa forma, havia um momento em que era necessário um tempo para carregar o próximo golpe ou repeti-lo. Mas aqui, isso não ocorria provavelmente devido à vontade dos dois espadachins de lutar. Podendo-se dizer que eles estavam utilizando a habilidade de recriar imagens, a habilidade gerada por suas próprias forças, o poder da Incarnation.

A duas espada cruzadas, como se uma quisesse devorar a outra, continuavam soltando faíscas laranjas e azuis a cada empurrão ou encontrão.

Eugeo e eu começamos nossa terceira parte dessa luta, com as espadas e braços direitos sendo forçados ao limite, tentando terminar os respectivos golpes ativados antes que eles fossem cancelados.

Ficamos nesse impasse, há poucos centímetros do rosto do outro.

Observando os olhos de Eugeo além da cortina de faíscas, perguntei entredentes.

“Essa habilidade tem um nome?”

Eugeo sussurrou com aquela expressão gelada irritantemente calma.

“Estilo Baltoh, Head Sea.”

Naquela situação, não consegui lembrar exatamente de onde havia escutado o nome daquele estilo. Franzi o rosto e só então dei-me conta…

O Estilo Baltoh. Esse era o estilo pertencente ao espadachim em treinamento Gorgolosso Baltoh, a quem Eugeo havia servido como valete até o terceiro mês desse ano na academia de Centoria do Norte.

Os estudantes de nascimento nobre de alta classe geralmente já ingressavam nas instituições de esgrima com certa capacidade para a espada, com instruções básicas de seus estilos que eram legados em suas famílias. Alguns não eram muito bem vistos, como no caso do Estilo Serlut da senhorita Sortiliena a qual servi, principalmente se comparado aos pomposos Estilos Norkia e Norlangarth.

Mas deixando isso de lado por um momento, significava que vários desses estilos de família, poderiam muito bem servir em combates reais. Eugeo deve ter aprendido essas habilidades básicas de seu veterano, o senhor Gorgolosso.

Se isso era verdade, mostrava também outro mistério.

“Eugeo… você… você se recorda quem foi que lhe ensinou essa técnica?”

Como ele continuava quieto, repeti a pergunta mais alto e com mais veemência, empurrando mais minha espada contra ele.

A esperada resposta veio logo após.

“Não sei e não me importo.”

Apesar de como ele também estava empregando todas suas forças contra mim, sua voz saiu gélida mas com um quê de solidão.

“Não necessito conhecer nada de ninguém. Só preciso brandir minha espada por aquela pessoa e nada mais. Vivo apenas para eliminar os inimigos dela…”

“…”

Como imaginava, parecia que além de Alice e de mim, Eugeo também esquecera de seu mentor. Por outro lado, lembra-se do nome e de como usar a habilidade.

Fazia certo sentido até. Se aqueles a quem a Administrator convertesse em Integrity Knight perdesse todas as memórias, inclusive as relacionadas com suas habilidades e domínio das artes sagradas, ela realmente estaria com problemas. Em vista disso, a Alto Ministro acabou criando esse complicado método chamado de Synthesis Ritual

Consistia em bloquear o fluxo de memórias, sem apagá-los totalmente. Não estou muito certo da lógica específica empregada por trás disso, mas podia dizer que se assemelhava com uma amnésia controlada, a chamada perda de memória do mundo real, onde o indivíduo perde certas recordações de si mesmo e de outras pessoas, porém, mantém outras aptidões, como idioma ou determinadas habilidades latentes.

O que servia de obstáculo, o bloqueador dessas memórias, era o tal Piety Module. O mesmo que provavelmente está inserido na alma de Eugeo, ou seja, em seu Fluctlight.

Restando ainda a pergunta… quem ocupava esse espaço vazio antes do módulo ser instalado? Se soubesse apenas isso, realmente teria uma oportunidade para abrir os olhos de Eugeo…

Não.

Somente palavras definitivamente não bastariam para romper o feitiço da Administrator.

Havia conversado com muitas pessoas através da espada desde que fiquei preso naquele castelo flutuante em Aincrad. Todas me ajudaram a aprender, Asuna, Suguha, Sinon, Absolute Sword.

Inclusive depois que vim para esse mundo, com a senhorita Sortiliena, o espadachim de elite em treinamento, Uolo e todos os Integrity Knight, Eldrie, Deusobert, Fanatio e Alice, que estava agora cuidando de minha retaguarda, observando a batalha.

As espadas nos mundos virtuais possuíam mais significado do que simples objetos poligonais. Como a vida que estava depositada na espada, o que residia dentro da lâmina era tudo que eu necessitava para alcançar o espirito do oponente.

Uma espada livre de ódio podia transmitir sentimentos, excedendo o que as palavras podiam expressar com milhares de vezes mais força.

Pelo menos é nisso que creio.

A luz azul virtual cobrindo as duas espada transversalmente apoiadas, começou a desvanecer pouco a pouco, indicando que suas ativações estavam acabando.

Tinha que reunir até a última gota de força e usar tudo de uma vez e tinha que ser agora.

Me concentrando para projetar tudo que estava em meu coração para alcançar o coração de meu amigo…

“Eu… geo!!”

Balancei minha espada com um grito no instante em que a habilidade se desfez.

Um golpe com todo meu poder.

Repelido.

O corte de Eugeo.

Rechaçado juntamente com o meu.

Nossos pés permaneceram parados enquanto continuávamos movendo nossas espadas em golpes a curtas distâncias em velocidade acelerada.

A batalha novamente produziu centenas de faíscas coloridas.

“O…..oooooooh!”

Urrei.

“Se….aaaaaaah!”

Sword Art Online Alicization - Kirito vs Eugeo - Uniting - Vol. 14Eugeo também gritou pela primeira.

Mais rápido! Tenho que ser mais rápido!

Eugeo acompanhava a incessante troca de golpes instintivos, carecendo de todo estilo, toda habilidade, toda tática, sem jamais perder o ritmo.

Podia sentir uma máscara invisível se desfazendo em pedaços cada vez que nossas espadas se cruzavam.

Meu lábios começaram a formar um sorriso insano.

Sim, Eugeo e eu já lutamos, não sob o julgo de espadas mortais e de maneira imprudente como esta, foi em um tempo muito mais distante.

Tampouco foi na arena de treinamento da academia, nem durante a longa viagem até a capital…

Foi lá, nos campos e florestas perto de Rulid… com espadas caseiras, feitas de madeira tosca, com vincos e farpas que usávamos como brinquedos… foi lá que que decididamente nos atacamos, chamando aquilo de prática de duelo de espadas… foi lá que lutamos… como meninos…

Eugeo e eu havíamos feito algo assim no nosso primeiro encontro há dois anos atrás?

O que é isso que sinto se desfazer em pedaços? … Por acaso são… as minhas memórias…?

Um intenso ruído metálico soou, me tirando momentaneamente de meu transe.

Encontrando-se em um milagroso ângulo, a espada negra e a Blue Rose reprimindo-se uma a outra, conseguiram apaziguar-se temporariamente em uma trégua forçada, enquanto novamente mantinham-se cruzadas.

“Eugeo…?”

E em resposta ao suspiro que escapulira de minha boca…

Os lábios de Eugeo responderam em um movimento sem muita força.

Não pude ouvir sua voz, porém, entendi. O Integrity Knight com os olhos verdes havia sussurrado… meu nome.

Rugas surgiram em seu rosto liso e pálido. Seus dentes estavam se forçando uns contra os outros com seus lábios tensionados parcialmente abertos. Fragmentos luminosos piscando dentro de suas íris perdidas em escuridão.

Esses olhos observavam a guerreira Alice, parada próxima à parede atrás de mim por cima de meu ombro.

Seus lábios estremeceram mais uma vez. Agora, pronunciando o nome de Alice sem emitir som algum.

“Eugeo…! Você se lembra de mim agora, Eugeo?”

Gritei em desespero. Minha espada resvalou devido à minha iniciativa e acabei sendo empurrado para trás, incapaz de resistir à pressão da Blue Rose.

Eu devia de estar cheio de aberturas enquanto tentava restaurar meu ponto de equilíbrio mais uma vez, porém, Eugeo não se moveu. Ele ficou apenas parado com sua espada levantada sem fazer menção de investir em um ataque.

Finalmente me recuperando depois de me aproximar de Alice, respirei fundo e falei o nome de meu amigo o mais alto que pude.

“EUGEO!!”

O cavaleiro estremeceu e lentamente levantou o rosto que havia baixado momentos antes.

Estava totalmente pálido, porém, certamente possuía agora algo que poderia ser classificado como emoção.

Confusão, inquietude, remorso, culpa, ansiosidade e… um sorriso doloroso.

Como se todas as emoções que estavam congeladas estivessem sido ativadas de uma só vez, a máscara de gelo se quebrou totalmente.

“Kirito!”

A logo após uma pausa.

“Alice…!”

Meus ouvidos não estavam mentindo, aquela era a voz de Eugeo pronunciando nossos nomes.

Alcançou! Minha espada alcançou seu coração.

“Eugeo…”

O chamei mais uma vez enquanto o sorriso em seus lábios se intensificava.

Ele girou a Blue Rose Sword que estava em sua mão direita para um agarre invertido, baixando seu braço e cravando sua ponta no chão de mármore. A lâmina branca azulada rodeada de uma névoa esbranquiçada afundou cerca de dois centímetros no solo com um som contundente.

Tomando isso como uma proclamação de término da batalha, baixei também minha espada negra. Deixando sair um suspiro em minha garganta, dei um passo adiante.

Porém…

Uma série de incidentes inesperados aconteceram no instante seguinte.

“Kiritoooo!!”

Foi Alice que gritou.

Sua voz veio logo atrás de mim, não percebi quando ela tinha se aproximado, mas rapidamente ela envolveu seu braço esquerdo ao redor de mim e levantou meu corpo muito alto.

Mais palavras fluíram pelo ar, mas dessa vez da boca de Eugeo que gritava nesse mesmo instante.

Release Recollection!

Esse comando.

A verdadeira essência da poderosa técnica de combate de Underworld, o Armament Full Control Art que podia liberar as memórias de uma arma e revelar um poder absurdo, liberando suas memórias, ou em outras palavras, release recollection.

A Blue Rose Sword emitiu luzes piscantes brancas.

Não podia me esquivar e nem me defender. O frio absoluto se espalhou instantaneamente para todos os lados, tendo a espada como epicentro, transformando tudo em gelo.

A entrada das escadas, o disco de elevação e até onde a vista alcançava, tudo coberto com uma tremendamente grossa camada de gelo.

Por sua vez, tanto Alice como eu estávamos completamente presos até praticamente o peito, nos deixando completamente imóveis. Se não fosse pela ação rápida de Alice, me levantando, poderia estar com a cabeça há vários centímetros coberto de gelo.

Havíamos encontrado o comandante Bercouli Synthesis One congelado até o peito no nonagésimo andar da catedral, provavelmente vítima desse ataque.

Não pude ver o Release Recollection Art de Eugeo no momento em que ele havia congelado todo aquele salão de banho, prendendo inclusive o Integrity Knight mais veteranos e poderoso até o pescoço fazendo-o incapaz de escapar do ataque.

Na ocasião ele estava em uma espécie de piscina, então até entendi o volume de gelo, mas… ainda estava surpreso por não conseguir responder de onde ele tinha conseguido gerar tanto gelo aqui…? E nem ao menos tinha uma quantidade absurda de elementos criogênicos de prontidão.

Não, na verdade isso não era o mais surpreendente.

Porque Eugeo fez isso? Ele não tinha recuperado suas memórias? Porque tentou nos congelar?

Tentando resistir ao frio implacável que tomava conta de meu corpo, desesperadamente forcei minha voz a sair.

“Eugeo… porque…?”

Lentamente, levantando-se a aproximadamente quinze metros de distância, Eugeo sussurrou com um sorriso melancólico.

“Sinto muito Kirito… e Alice. Por favor, não venham atrás de mim…”

O jovem que era meu melhor amigo, o companheiro de Alice desde a infância retirou a Blue Rose Sword do solo e caminhou até onde estava o disco de elevação.

O dispositivo estava coberto com uma inacreditável camada de gelo, mas parece que aquilo de nada o impedia, pois no momento em que o guerreiro se colocou sobre ele, o disco começou a subir, rachando e quebrando tudo até sair de sua prisão gelada e começar a içar o garoto.

O sorriso nos lábios de Eugeo continha muitas coisas nele. O manteve até que o disco se aproximou da entrada no teto e depois desapareceu por completo.

“Eu… geoooo!!”

Meu chamado desesperado foi cortado pelo barulho surdo do disco de elevação se fundindo com o teto novamente.

Perdemos.

 

OLÁ PESSOAS!! COMEÇANDO MAIS UM VOLUME COM UM MEGA CAPÍTULO.

SEI QUE DEMOROU MAS MEU CHIBI KIRITO ESTÁ TOMANDO BOA PARTE DO MEU TEMPO, MAS NADA QUE ATRAPALHE TANTO ASSIM AS POSTAGENS, ENTÃO, NÃO SE PREOCUPEM.

O POST ESTAVA PRONTO, MAS NÃO QUERIA COLOCÁ-LO PARTIDO EM 2, COM ISSO, PEGUEI MAIS UM TEMPINHO DESSA NOITE QUE PASSAREI ACORDADO CUIDADO DO PEQUENO RAPAZ E RESOLVI POSTAR ELE COMPLETO. SEMANA QUE VEM SERÁ A PARTE 2 DO CAP. 12.

ATÉ!!!

Sword Art Online – Alicization Uniting

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization – Light novel em Português

Também estamos no Tumblr e no Pinterest

Uma velha amiga