Sword Art Online Alicization Turning em Português – Underworld – Capítulo 6 – Parte 2.2

Arco: Alicization – Turning

Parte 2

Sword Art Online alicization - Eugeo - Vol.11 - Turning

Ao terminar nossa conversa, o Integrity Knight mais uma vez fez questão de demonstrar frieza, com aquele sorriso afiado, enquanto agitava lentamente o seu chicote prateado.

“E então? Terminaram sua pequena conversa, prisioneiros? Que tal agora me darem um pouco de entretenimento?”

“…Um Integrity Knight deveria agir assim, tão informalmente?”

“Naturalmente, todo aquele que se opõe a Igreja Axiom não merece a menor consideração ou respeito, devendo ser julgado severamente… esse é o desejo de sua Santidade, o Alto Ministro. Porém, eu também sou um cavaleiro e como tal, tenho um orgulho a zelar. Gosto que minhas presas ofereçam resistência, afinal, que graça teria arrastar seres tão débeis sem o mínimo de diversão? Portanto, lhes concederei um pouco de dignidade, deixando que vocês toquem, nem que seja de raspão, na minha armadura… que tal? Façam o seu melhor movimento, meus caros prisioneiros…”

“…Sendo assim, pode se preparar que além de raspar a sua brilhante armadura, também iremos arrancar metade da sua vida e acabar com esse seu sorrisinho irritante de vez.”

Falando essa bobagem para ocultar o nervosismo crescente dentro de mim, me concentrei em uma única coisa…

O nome ‘Alto Ministro’ que Eldrie tinha acabado de pronunciar estava me incomodando, mas isso teria que ficar para outra hora. Girando a corrente em minha mão direita, rapidamente apontei para o cavaleiro com a esquerda.

System Call!!! Generate thermal element!!!

Imaginando um grande rubi incandescente enquanto gritava o comando, flamejantes pontos de luzes surgiram na ponta de meu polegar, indicador e dedo médio.

Esse era um elemento térmico, que servia como fonte das artes ofensivas do tipo fogo. Estava a ponto de continuar com os comandos, mas Eldrie calmamente alçou sua mão esquerda, em um movimento muito parecido com o meu…

System Call!! Generate cryogenic element!!

Um total de cinco elementos criogênicos azulados foram criados para fazer frente à minha ofensiva. Mesmo perdendo na soma de elementos, ignorei e continuei a recitar.

Form element, arrow shape!!

Três flechas de fogo se formaram em minha mão enquanto as apontava para o alvo. Foquei que elas tivessem o máximo de velocidade e penetração mágica possível.

Conjurei a última linha de comando o mais rápido que minha dicção me permitia para negar a chance do inimigo em se proteger ou evadir.

Fly straight! Discharge!!

Criando um redemoinho de chamas, as três flechas apontadas para Eldrie partiram.

Nesse mundo onde as batalhas de espadas ditavam as regras, a razão da existência das artes sagradas ofensivas era para combater as forças militares da terra da escuridão, do Dark Territory, pelo menos foi o que tinha dito o professor da academia.

Provavelmente ele enfartaria (isso existe em Underworld?), se visse a magia que ele ensinou sendo usada contra um Integrity Knight. Mais uma vez suprimi esses pensamentos e foquei nas flechas.

No meio do caminho da minha magia, Eldrie tinha terminado de conjurar sua arte oposta de uma só vez.

Form element, Bird shape. Counter thermal object, discharge!

Os cinco pontos azuis se transformaram em pequenos pássaros, uma forma bem inteligente se você quer perseguir algo, e descarregou-os.

Em termos de velocidade os meus projéteis eram superiores, mas os pássaros de gelo ganhavam em número.

Mesmo com dois deles errando o alvo, os outros três conseguiram interceptar minhas flechas, dispersando-as cada uma com explosões de cristais de gelo e chamas.

A garrafa de vinho no banco foi completamente destruída com os impactos, jogando estilhaços de vidro por todos os lados, com alguns vindo em minha direção.

Aproveitando o clarão, me aproximei de Eldrie com um salto.

Dei um passo, dois… mais outro e ele estaria no alcance da minha corrente.

A mão direita do cavaleiro se moveu de repente e o chicote prateado em forma de serpente surgiu do solo. A vantagem de alcance não importaria muito a essa distância.

Me esforcei ao máximo para prever a trajetória dele enquanto tentava me virar pela direita, dobrando o corpo para esquivar e tentar dar o terceiro passo… mas…

“!?”

Engoli em seco enquanto tentava raciocinar se tinha mesmo visto aquilo.

Por acaso o chicote de Eldrie realmente se dividiu em dois, com um desses lados transformado em uma serpente de verdade e essa coisa agora estava…me caçando!?

Não fui capaz de fazer frente a um ataque desses, mesmo tendo visto ele se aproximando.

Aquilo me acertou direto no peito. Me jogando como um boneco para cima até me estatelar no chão.

O golpe foi forte o suficiente para me arrancar um grito involuntário de dor, junto com todo o ar de meus pulmões.

“GUUH…!”

Pensei que estivesse preparado, mas levar um golpe desse chicote de metal com os incontáveis espinhos em sua extensão foi extremo demais. Meus olhos perderam as órbitas por alguns instantes, enlouquecidos com a dor lancinante queimando meu peito.

Tentei recobrar os sentidos apertando os dentes o máximo que pude e olhando para o local da ferida.

O lugar onde estava o tecido negro do meu uniforme, agora tinha um enorme rasgo, onde era possível ver a minha pele exposta com alguns cortes em linhas paralelas dos quais fluíam abundantes linhas de sangue.

Eldrie me observava alegremente, ali miseravelmente caído sobre o piso gelado.

“Hahaha, um pequeno truque desses não tem efeito algum sobre o Frost Scale Whip. E aviso, no estado de total controle, seu alcance pode chegar aos cinquenta metros e se dividir em até sete pontas. Você só teria alguma chance caso tivesse lançado uns oito projetos contra mim.”

Minha paciência já tinha se esgotado MESMO!

Desde que caí nesse mundo, já tinha enfrentado por tempo demais esses modos calmos e cínicos das pessoas falarem. E agora para ajudar, estava saboreando essa ‘agradável’ dor, só comparável àquela que senti no ombro na caverna do norte há dois anos.

Sempre soube que tinha pouca resistência a dor. Estava ciente que essa era a minha maior fraqueza, e que esperava dar um jeito na academia, mas mesmo lá não consegui uma forma de me acostumar, já que tinha a regra de deter qualquer contato antes de um golpe efetivo.

Gostaria de expandir os meus limites de tolerância a dor, mas agora não tinha mais tempo.

Se continuar fracassando dessa forma, a tentativa de parar esse maldito chicote será inútil e só vou estar desperdiçando a minha vida e a de meu companheiro.

“Era isso? Será que eu os superestimei? … Que infelicidade… Enfim, terei então que lhe dar o golpe de misericórdia e acabar com isso de uma vez. Serei rápido, prometo!”

Dizendo isso, Eldrie fez o chicote estalar no chão e deu um passo à frente.

Nesse instante, Eugeo tinha se aproximado sem ser notado e saltou das sombras da fonte com uma expressão de fúria.

“Uryaaaaaa!”

Avançou gritando e girando a corrente com todas as suas forças em direção ao cavaleiro.

Não era um golpe ruim, considerando que era a sua primeira vez usando esse tipo de arma e que era um ataque surpresa, mas ainda assim, não era o suficiente para ultrapassar a defesa de Eldrie que moveu rapidamente sua mão direta dividindo o chicote prateado novamente em dois em pleno ar, repelindo a corrente ao mesmo tempo que acertava Eugeo.

Como eu, ele foi acertado bem no peito e sem conseguir gritar de dor, afundou dentro da fonte.

A intensa dor que me assolava não mostrava sinais de diminuir, mas não podia desperdiçar a oportunidade criada pelo ataque Eugeo arriscando a sua vida.

No instante em que senti que a atenção de Eldrie estava voltada para o ataque de meu amigo, levantei a parte superior de meu corpo e soltei o objeto que havia segurado em minha mão direita até agora em direção ao rosto do cavaleiro.

Diferentemente de Aincrad e Alfheim, a maioria dos objetos nesse mundo não desapareciam imediatamente após quebrarem. Eles começavam uma nova vida como pedaços, fragmentos ou até cadáveres.

A parte quebrada tinha uma vida própria, ou em outras palavras, durabilidade, reduzia-se a uma velocidade muito maior do que antes e que depois desaparecia quando seu marcador chegasse a zero. Mas ainda assim, havia um retardo de vários minutos antes de sua total aniquilação.

Mesmo se fosse algo insignificante como… um pedaço de vidro quebrado.

O fragmento do cristal que antes era uma linda e refinada garrafa de vinho atravessou a escuridão e alcançou o olho esquerdo de Eldrie.

Infelizmente esse cristal não iria mais refletir tão lindamente a luz das estrelas, já que o embebi com o sangue da ferida em meu peito antes de lançá-lo.

Provavelmente não levou nem um milésimo de segundo para que o fragmento impactasse em sua visão, porém, o cavaleiro moveu a cabeça para direita com sua monstruosa velocidade de reação, conseguindo evadir quase que completamente o corte, fazendo o pequeno caco mal tocar sua retina.

“Uoh!!”

Antes que Eldrie se voltasse totalmente para mim, usei todas as forças para sair dali.

E fazendo um movimento circular, finalmente tinha entrado no raio de alcance da corrente. Com ela sobre meu ombro esquerdo, conseguiria um pouco de inércia para tentar um bom golpe.

Eldrie, ao mesmo tempo se recuperava do susto inicial, já regressava o chicote que tinha acertado Eugeo até sua mão direita e traçava rota para me interceptar.

Se fosse tentar acertá-lo concentrando toda minha força na corrente, provavelmente só atingiria uma parte do chicote dele, que certamente se dividiria novamente e eu seria mais uma vez levado ao chão.

Porém, dessa vez resolvi mudar minha estratégia e focar meu olhar onde estava a segunda ponta do chicote de Eldrie, no fundo da fonte onde Eugeo caiu.

Perder seu oponente de vista durante um combate era um grave erro, ensinado em qualquer tipo de estilo com espada. Podia se dizer que, de certa forma, era quase como um tabu.

Era uma obrigação de um espadachim estar sempre atento. E certamente, um Integrity Knight não seria diferente.

“Nuh!!”

Eldrie soltou um pequeno grunhido enquanto desviava o olhar de mim, mesmo sendo por um quase imperceptível instante.

Ele estava pensando que Eugeo, que tinha acabado de ser golpeado e caído na fonte, estava levantando em um contra-ataque.

Porém, obviamente, isso era um blefe, uma cortina de fumaça que utilizei quando desviei intencionalmente o olhar para dentro da água. Não importa o quão resistente era Eugeo, ele não iria se levantar tão facilmente depois de levar um golpe de uma arma sagrada.

O chicote desviou um pouco sua trajetória no ar em resposta a desconcentração momentânea de Eldrie. Passou vários milímetros de minha corrente sem colidir.

Essa também foi uma das razões pela qual escolhi atacar com a corrente de uma posição tão difícil de movê-la para cima, era com intenção de reduzir a possibilidade de colisão com o chicote e percorrê-lo paralelamente sua trajetória enquanto me inclinava para a esquerda.

Método que criei depois de ter por várias vezes a minha espada ser completamente enrolada no chicote da senhorita Liena.

Porém, isso só iria funcionar uma única vez, ou seja, era minha oportunidade final.

“Zeiaaaaahhh!!”

Usei a força do meu corpo inteiro para girar e atacar com a corrente com a máxima concentração da minha mente.

Meu objetivo era só um no corpo do cavaleiro: sua cabeça desprotegida, a única parte livre daquela sólida armadura prateada.

Não sabia se era porque estava bebendo vinho ou porque nos subestimava por sermos apenas estudantes, mas não se sentiu na obrigação de colocar seu capacete para essa luta.

Se a pesada e sólida corrente pudesse acertar um único golpe direto em sua desprotegida cabeça, certamente perderia a consciência, mesmo que fosse um Integrity Knight.

Mas outra vez, Eldrie demonstrou habilidades que excediam as minhas expectativas e isso já estava ficando chato.

Levantando sua mão esquerda como um relâmpago, recebeu a extremidade da corrente, mas não com as costas de sua mão coberta de uma proteção dura e sim com a parte interna, a que tinha uma confortável cobertura de couro macio.

Se usasse a parte das costas da sua mão, a corrente poderia quicar no local onde sua ponta tocasse e o acertaria em algum local de sua cabeça, mesmo que perdesse um pouco do poder de impacto, o dano ainda seria alto.

Portanto, a decisão de Eldrie foi a mais correta, mas o poder ofensivo de uma corrente de classe trinta e oito não era algo que um simples pedaço de couro macio pudesse absorver sem nenhum efeito colateral e ISSO eu tinha previsto.

“Kuh…!!”

O cavaleiro reprimiu um gemido no momento em que entrou em contato com a corrente.

Meus ouvidos puderam perceber o som claro de vários ossos de sua mão esquerda sendo triturados de uma só vez.

Não seria capaz de usar sua mão esquerda por um tempo e tampouco lançar a arma sagrada Frost Scale Whip ou qualquer outra coisa tão facilmente com ela.

Infelizmente, ele ainda tinha a direita, a mesma que estava buscando seu chicote no chão.

“Ah! Mas não vai, não!”

Tinha que ser rápido, então, saltei até ele para tentar uma luta mais corpo-a-corpo. Fui treinado pelo Estilo Serlut em artes marciais, de maneira que mesmo técnicas com intuito de bloquear e impossibilitar ataque, seriam perfeitas contra alguém com uma armadura pesada.

Gritando isso, agarrei seu braço esquerdo machucado e o torci, intervindo no seu movimento e…

“O quê!?”

Mesmo ele sendo o Integrity Knight mais novo, suas habilidades eram realmente muito altas e novamente me pegou de surpresa.

A mesma mão que deveria estar fora de combate agarrou fortemente a corrente e a puxou implacavelmente. Os elos dessa estavam presos em um anel de metal em minha mão direita, acabaram se contorcendo e tiraram meu equilíbrio, me fazendo girar para outra direção.

Desesperadamente tratei de recuperar o balanceamento do corpo, enquanto Eldrie soltava um urro.

“Uaaarhhh!”

Estava prestes ser arremessado.

Se deixasse a situação como estava, sairia novamente do raio de acerto da corrente e ficaria à mercê do chicote e certamente, ele não me deixaria chegar perto uma vez mais.

Instintivamente, larguei o braço machucado e agarrei o chicote na mão direita de Eldrie.

O Frost Scale Whip possuía incontáveis espinhos, porém, não havia nenhum perto de sua empunhadura. Enrolei essa parte em meu braço para dificultar seu movimento.

E a situação era essa:

Eldrie não largava tanto o chicote em sua mão direita e nem a corrente em sua esquerda e nós não nos distanciávamos.

E obviamente, se ele soltasse a corrente, isso me daria a oportunidade de atacar como quisesse. Provavelmente por se dar conta disso, que continuava a agarrando ferrenhamente mesmo com a mão esquerda fraturada.

Eldrie e eu estávamos em um impasse a meia distância de um metro, entre uma corrente e um chicote.

Devia ser muito doloroso segurá-la com a mão esquerda, mas esse cavaleiro não demonstrava nenhuma expressão que indicasse isso, inclusive, continuava falando com a mesma calma de quando começamos nossa luta.

“…Parece que tenho que me retratar sobre o que disse antes. Não acreditei que pudesse me infligir… essa quantidade de dano.”

“…Bem…, muito obrigado, mas eu avisei.”

Queria jogar mais algumas coisas na cara dele, mas não gostaria de comparar nossa feridas. Pois se comparar a fratura de Eldrie com a ferida em meu peito, quem tinha tido a maior redução de vida, tinha sido eu e ainda estava em pleno sangramento.

Se ele se desse conta disso, poderia continuar com essa estratégia de impasse até esperar que minha forças se esvanecessem.

…Não, talvez ele tenha se dado conta. O cavaleiro moveu sua boca mais uma vez com um leve sorriso.

Felizmente, o tema era algo bem inusitado.

“Sabe, fiquei curioso. Senti um leve dejavu quando vi essa sua técnica… esse estilo de combate.”

“Entendo… talvez porque não é algo muito incomum mesmo. Não terá combatido alguma vez com algum espadachim que tenha usado o Estilo Serlut como eu?”

“Hum, isso é inconcebível, prisioneiro. Como mencionei, fui invocado a esse mundo humano como um Integrity Knight há somente um mês.”

“Invocação, isso soa como…”

Justo quando a conversa estava prestes a ficar interessante, notei um som.  Para ser preciso, foi a mudança de ritmo de um som que estive escutando até agora.

Uma estátua de pedra de Terraria, o deus da terra, que estava no meio da fonte atrás de Eldrie. A pequena corrente líquida que fluía desde a copa, sustentada pela estátua, estava fazendo um som agradável enquanto caía no tanque abaixo, mas isso soava agora como um murmúrio.

Isso era… um sinal.  Um sinal de meu companheiro para mim.

Eldrie se daria conta em instantes. Tinha que fazer minha melhor atuação e rápido, mesmo que acabasse com a conversa. Então comecei…

“ …Como se alguém lhe chamasse até esse mundo humano.”

Espere ele falar e…

Sabia o que tinha que fazer. Não podia soltar o Frost Scale Whip enrolado em meu braço esquerdo. Só havia uma opção, agarrar a corrente em minha mão direita e…

“Bem…”

Puxar com toda a minha força!

Em resposta ao meu movimento repentino, Eldrie puxou a corrente também.

CLING!

Logo após a forte tensão, a corrente se partiu em dois. Os elos se romperam exatamente na altura onde tinham sido danificados no primeiro golpe que Eldrie havia desferido, quando resolveu lutar com o chicote.

“O qu…?”

Foi a vez do cavaleiro ser pego de surpresa enquanto perdia o equilíbrio.

E para meu alento, o som que tinha ouvido era realmente da água batendo nas costas de meu amigo Eugeo que vinha surgindo por trás do fluxo da fonte. Tinha finalmente se recuperado do golpe e estava esperando pacientemente a oportunidade de atacar.

E o momento havia chegado.

“Ryaaaaa!”

Eugeo atacou com o seu pedaço de corrente diretamente na cabeça de Eldrie.

Porém, instantes antes disso acontecer, em meio ao som de pingos de água, uma frase saiu dos lábios do cavaleiro…

Realease recollection!

Para falar a verdade, não consegui entender tudo o que aconteceu de imediato. Pois o que ocorreu foi algo altamente improvável e impossível considerando o curto comando, um fenômeno que excedia em muito os limites das artes sagradas.

O chicote do cavaleiro que eu estava segurando com todas as forças em meu braço esquerdo, e que acreditava estar impossibilitado de usar, se iluminou amplamente. Toda sua estrutura começou a tremer e se retorcer como se estivesse… viva. Cada solavanco dado com um vigor impressionante.

O Frost Scale Whip havia se tornado uma brilhante serpente.

A criatura com uma mobilidade incrível se esticou e passou por cima de minha cabeça e de Eldrie se jogando contra a corrente em pleno movimento de Eugeo.

Chamar essa coisa de serpente não era nenhuma metáfora, pois consegui ver claramente olhos vermelhos como rubis e uma grande bocarra com a mandíbula aberta onde deveria ser a ponta do chicote.

Mordendo o final da corrente, a serpente usou sua enorme força para girar e jogar Eugeo e eu no chão, metros longe de seu mestre.

Caindo de costas na pedra, Eugeo soltou um pequeno gemido. E mesmo o dano em seu peito sendo provavelmente mais sério do que o meu, não desistiu de tentar levantar. Sua determinação era admirável.

Sword Art Oline - Alicization - Turning Volume 11 - Eugeo

Porém, a afiada ponta de uma espada encostou em seus cabelos loiros antes que ele pudesse se erguer do chão.

Uma vez que havia se recuperado de seu espanto inicial, Eldrie trocou o chicote de mão e imediatamente desembainhou a espada e a levou até Eugeo. A arma era mais estreita, mas tinha um brilho radiante e muito afiado. Mesmo que fosse muito doloroso sustentar ela com sua mão destruída, o cavaleiro só franzia sua testa um pouco.

A serpente prateada, que protegeu seu mestre por conta própria, sem nenhuma outra opção ou comando, voltou a se transformar em um chicote enrolado em meu braço.

Aparentemente, o milagroso comando de liberação, tinha curta duração.

E novamente, estávamos em um impasse…

Eldrie parou minha mão esquerda com o chicote. Enquanto me restava somente metade de minha corrente que já era uma metade.

E mantinha Eugeo sob a mira de sua espada.

A vantagem momentânea era de Eldrie por ter conseguido desembainhar sua espada, mas sabia que ele não poderia dar um golpe muito eficaz com aquela mão.

Um breve período de silêncio se seguiu, com somente o som da água e do vento percorrendo aquele pequeno jardim.

“…Alice mais uma vez estava correta quando solicitou essa vigilância. Esse ataques imprevisíveis… superaram as minhas expectativas. Jamais pensei que teria que recorrer ao meu movimento secreto, Release Recollection.”

“Recollection…?”

Depois de repetir isso, me dei conta finalmente qual era o significado dessas palavras.

Release queria dizer liberar e recollection estava ligado diretamente às recordações, ou seja, esse simples comando era uma cerimônia para desbloquear as recordações de uma arma…

As lembranças de uma arma”, senti que já tinha escutado algo parecido recentemente. Quando comecei a puxar pela memória para descobrir de onde, Eugeo disse algo inesperado com o rosto cheio de admiração.

“Você também está de parabéns… justamente o que eu esperava, Integrity Knight.”

“Ei! Ei! Creio que esse não seja o melhor momento para ficar falando esse tipo de coisa… E além do mais, ‘justamente o que eu esperava’? Bateu a cabeça muito forte é? Do que você está falando?”

Por alguns instantes, quase tinha entrado no ‘modo discussão’ de sempre, esquecendo nossa situação. Mas é que na verdade fiquei confuso. Eugeo falava como se já tivesse conhecido esse cavaleiro antes.

“Desde o começo da nossa luta eu achava que já tinha ouvido esse nome em algum lugar. E poucos minutos atrás, acabei lembrando. Veja Kirito, essa pessoa é o representante número um dos espadachins do Império de Norlangarth do Norte, Eldrie Woolsburg!”

“O quê…!?”

Olhei para o rosto do Integrity Knight mais uma vez em minha frente.

O representante número um do Império do Norte.

Então, em outras palavras, ele era o campeão do Torneio dos Espadachins do Império que tinha ocorrido no terceiro mês desse ano. O mesmo que havia derrotado a senhorita Sortiliena e Uolo Levanteinn.

O mais apto e forte guerreiro que tinha ganhado o Torneio da Unidade dos Quatro Impérios, demonstrando uma força avassaladora com sua espada, sendo honrado como o homem mais poderoso do Mundo Humano nesse ano e que fora convidado para entrar na Catedral Central…

Pensando agora, nem sabia qual era o nome desse herói. Em Underworld não existia rádio, televisão e muito menos internet, sendo que a única coisa que poderia ser considerada como um meio de comunicação era o primitivo anúncio de periódico semanal fixado no mural da cidade. Tudo era tão demorado e defasado que tinha até desistido de lê-lo depois de um tempo, mas parece que Eugeo continuou fazendo sua leitura direitinho…

“Boa Eugeo!”

Então, se o que Eugeo dizia estava correto, que o Integrity Knight diante de meus olhos, Eldrie Synthesis Thirty-one, era o grande campeão do Torneio da Unidade, Eldrie Woolsburg, porque as histórias não se encaixam?

Ele mesmo tinha dito momentos atrás. Que havia sido ‘invocado’ para esse mundo humano como um Integrity Knight há somente um mês. As histórias teriam batido se ele tivesse falado que se tornou um cavaleiro, mas a palavra que usou tinha um sentido completamente diferente… quase como se…

“… O que foi que disse!?”

Fui tirado de meus pensamentos com essa pergunta enquanto encarava novamente o rosto do cavaleiro.

A pele de Eldrie estava muito mais pálida do que antes, com seu olhos púrpuras totalmente sem brilho e completamente arregalados, como se tivéssemos lhe dado algum tipo de golpe… psicológico sem que soubéssemos que havíamos feito isso.

Seus lábios pareciam ter perdido também a circulação, pois se apresentavam em tons roxos enquanto dizia com a voz falha.

“Sou… o espadachim representante…, do Império do Norte? … Eldrie Woolsburg…?”

Eugeo ficou espantado ao ver essa reação, mas imediatamente respondeu:

“S-Sim, exatamente isso. Estou certo de que era isso que estava escrito no periódico fixado no mural do mês passado. Um homem alto, de cabelos púrpuras tinha ganhado a competição com um só golpe. Um espadachim extremamente forte com um estilo elegante…”

“Não… Eu sou… Eu sou…, o Integrity Knight Eldrie Synthesis Thirty-one! Eu… desconheço qualquer coisa sobre esse nome… Woolsburg…!!”

“M-Mas…”

Esquecendo que estávamos em meio a uma batalha, comecei a intervir.

“Pense bem, não acha estranho não ter lembranças anteriores? Ou acha que sempre foi um Integrity Knight desde o nascimento? Não era esse o seu nome antes de ser tornar um Integrity Knight?”

“Não… Não sei! Eu… não sei…!”

Sacudindo a cabeça, fazendo seus cabelos voarem para os lados, Eldrie gritava enquanto se tornava mais e mais pálido e… um estranho brilho foi surgindo em seus olhos.

“Eu… Eu… aceitei a invocação do Alto Ministro, o Administrador. Fui invocado para essa terra desde o Mundo Celestial como um Integrity Knight e…”

Então, seu discurso parou…

Um fenômeno completamente inesperado por nós começou a ocorrer.

Um raio de luz roxa começou a brotar na testa de Eldrie.

“Gu… uh…!”

A força da mão direita de Eldrie começou a diminuir conforme ia gemendo. Olhei para ele sem ação, esquecendo até de retirar o chicote de suas mãos. O brilhante objeto era na verdade uma pequena marca invertida de um triângulo.

Não, não era um simples símbolo… Estava gradualmente crescendo. Era parecido com um cristal transparente e triangular que pulsava com a luz púrpura e conforme fazia isso, ia saindo centímetro a centímetro de sua testa.

Finíssimas linhas luminosas corriam livres dentro desse que agora identificava com um prisma triangular. Quando tinha saído aproximadamente uns cinco centímetros para fora, tanto o chicote quanto a espada finalmente caíram das mãos de Eldrie no pavimento de pedra.

O cavaleiro retrocedeu alguns passos com seus olhos sem pupilas, apenas órbitas em branco que não focavam em nada. Após fazer isso, caiu sobre seus joelhos e depois desabou totalmente ficando em posição fetal, como uma marionete que tivesse sido largada por seu controlador.

O resplendor do prisma em sua testa crescia em luminosidade e em tamanho, era possível até ouvir alguns sons, como sinos ou algo mais… tecnológico…

É hora de agir!

Foi o que pensei, mas não consegui decidir o quê.

Seria fácil atacá-lo agora. Se pegasse sua espada, poderia cortar sua cabeça sem nenhum esforço.

Também poderíamos virar as costas fugir sem problemas. No pior dos casos, sua consciência voltaria e nos atacaria novamente. E dessa vez, provavelmente ele não cairia em armadilhas tão facilmente como agora a pouco e seríamos nós os únicos a perder a vida.

Por último, também poderíamos ficar aqui e ver o que iria acontecer, mesmo que essa fosse a pior e mais arriscada opção.

Esse fenômeno, que estava acontecendo em nossa frente, estava sem dúvida alguma relacionado com o segredo dos Integrity Knight… e em consequência, com a própria Igreja Axiom.

Porque Alice tinha perdido suas memórias e mudado sua personalidade? Qual era o significado por trás da palavra ‘invocado’ que Eldrie usou?

Se continuássemos ali, era provável que encontraríamos pelo menos uma resposta para essas perguntas.

De todos os modos, Eugeo nunca iria concordar em atacar o cavaleiro mesmo. Então, acho que essa é a melhor opção…

É… escapar desse labirinto cheio de rosas está ficando cada vez mais complicado…

Só o que podíamos fazer era ficar em total alerta.

Decidindo isso, me aproximei do cavaleiro caído.

E na hora em que achei que a luz do prisma triangular, que já estava quase caindo de sua testa, iria desaparecer quando começou a piscar, o objeto se endireitou e começou a se fundir novamente no corpo de Eldrie.

“Droga!”

Mordi meus lábios instintivamente. Estava esperando o que iria acontecer quando aquele prisma saísse de seu corpo, mas parece que não será algo assim tão fácil.

“Eldrie! Eldrie Woolsburg!!”

Na hora em que comecei a gritar, o cristal deteve um pouco seu avanço, mas depois continuou a se mover para dentro da testa do cavaleiro. Seu nome anterior parecia não ter mais força para que o prisma saísse por completo. Ele necessitava de uma lembrança mais forte.

Olhei para meu amigo e gritei:

“Eugeo! Sabe algo mais sobre Eldrie? Qualquer coisa é válida. Temos que fazê-lo lembrar o mais rápido possível!”

“Bem…eh…”

Ele franziu a testa e disse:

“Eldrie! É o filho de um General Cavaleiro da Ordem Imperial, Eschdol Woolsburg! E o nome de sua mãe era… vejamos…. Almera! Isso! O nome de sua mãe era Almera!!”

“…”

Os lábios sem coloração do Integrity Knight tremeram…

“Al… me… ra…!”

Sua voz não tinha força alguma enquanto o prisma em sua testa novamente começava a sair. Porém, o que mais me chamou a atenção foram as lágrimas que brotaram de seus olhos enquanto dizia novamente com aquela frágil voz:

“Ma-Mãe…”

“Isso!… Continue assim!”

Tentei chegar mais perto dele, porém…

DON!!!

Fui atingido por uma dor aguda que me fez inclinar imediatamente para frente.

Após percorrer todo meu corpo ao ponto de quase me cegar, me dei conta de onde aquela sensação terrível estava vindo…

Percebi uma enorme flecha profundamente cravada em meu pé direito.

“GUAH!!”

Incapaz de conter, deixei escapar um curto e agoniante grito.

Mas estávamos sob ataque, não podia me deixar sentir dor, de modo que busquei força na fúria e expandi minha consciência…

Agarrando com todas as minhas energias a flecha de cor bronze com ambas as mãos, a puxei para fora.

Quase perco a consciência quando a seta rasgou minha carne para sair. A dor tinha sido muitas vezes pior do que quando entrou ali, porém, me controlei mordendo os dentes.

“Kirito!!! E-Está…”

Não conseguia escutar muito bem as palavras de Eugeo, apenas me foquei em agarrar a ponta da sua corrente e a puxei com todas as forças.

WHOOOSH!

DON!! DON!!

Identifiquei os sons de duas flechas cravando no lugar onde Eugeo estava parado momentos antes.

Olhei para o céu enquanto saltava de um lugar para o outro ainda segurando a corrente.

Vi apenas um dragão voando lentamente sobre nós. Tinha amanhecido sem nos darmos conta. Devido a isso, pude ver uma figura humana sentada em cima da cela do enorme animal alado.

Certamente era um Integrity Knight, pois seus disparos eram terrivelmente precisos, ainda mais considerando que essa pessoa que nos mirava estava a uma distância absurdamente longe de nós.

Sem sequer me dar tempo para pensar em algo mais, o cavaleiro mirou novamente o gigantesco arco.

Rapidamente saltei para o lado tentando ignorar meu pé direito ferido. E outra vez, mais duas flechas caíram no piso de pedra centímetros de onde estava.

“I-Isso é muito ruim.”

Balbuciei essas palavras enquanto puxava a corrente de Eugeo novamente.

Era a primeira vez que me atacavam com um arco e flecha nesse mundo. Mesmo que a senhorita Liena tivesse atirado projéteis em mim anteriormente, eles não passavam de algumas adagas ou facas, nada comparado a isso. Aparentemente esse tipo de luta não era muito comum para os espadachins de Underworld, mas parece que essa regra não se aplicava aos Integrity Knight.

Não podia tirar os olhos do dragão voador, assim tratei de usar um mapa mental do local onde estávamos para ver se tinha algum lugar seguro para nos refugiarmos. Mesmo se nos jogássemos em meio ao muro de rosas, não seria um esconderijo muito eficaz. E além disso só nos resta…

“Correr! Corra em ziguezague para esquivar dessas flechas!”

Sussurrei para Eugeo enquanto tensionava todo o corpo aguardando a próxima flecha.

Porém, o recém-chegado Integrity Knight parou de disparar por um momento e começou a voar em círculos com seu dragão enquanto iniciava uma leve descida.

Alguns segundos depois, uma voz trovejantes foi ouvida:

“Afastem-se do Integrity Knight Thirty-one, criminosos!!!”

Ao olhar instintivamente para Eldrie, o prisma triangular estava novamente retornando para sua testa.

“Por tentar corromper um venerável Integrity Knight, irei lhes castigar imediatamente!! Cortarei seus membros fora e os jogarei na parte mais profunda do calabouço!”

Um fraco raio de luz iluminava o dragão. O Integrity Knight estava coberto completamente com uma armadura pesada e prateada, tal como Eldrie e levava consigo um imenso arco vermelho em sua mão esquerda.

Aquilo era certamente a sua arma sagrada, igualmente ao Frost Scale Whip.

Agora sabíamos também que aquela incrível precisão de disparo era devido a Full Control Art, ou arte de controle total, habilidade que confirmava por si só o verdadeiro poder dos cavaleiros mais fortes, ou apenas uma parcela dele…

O pesado cavaleiro não falou mais, apenas colocou quatro flechas de uma só vez em seu arco.

“Co…! Corre!!”

Era quase impossível se esquivar continuamente dos disparos a uma distância tão curta. Comecei a me mover enquanto segurava a corrente de Eugeo. Podia sentir as intensas dores no meu corpo, tanto no peito quanto no pé. Cada passo era um novo golpe recebido, mas não podia ficar parado e não poderia deixar Eugeo se esquivar sozinho. Sentia a respiração ofegante de meu amigo atrás de mim.

Pensei em retornar para o prédio da prisão subterrânea, mas mesmo que conseguíssemos escapar dos disparos até chegar lá, não iria resolver o problema.

Tínhamos que continuar esquivando desesperadamente de qualquer jeito.

Corri então até o portão sul da praça, pois, sabia que se ficássemos ali seríamos completamente atingidos, a única opção agora era o labirinto…

Antes de darmos mais passos, escutamos vários sons de flechas em nossas costas.

“Uoowaaaah!”

Não estava muito certo se meu grito era de pânico ou um grito de guerra, apenas me concentrava em correr.

Mesmo que as paredes daquele labirinto nos dessem um pouco de abrigo, ainda assim as flechas poderia nos atingir.

Irritado gritei:

“Mas quantas flechas esse maldito ainda tem!?”

Eugeo que vinha atrás respondeu:

“Já foram umas trinta mais ou menos, isso é incrível, não acha?”

“Que MMO é esse que não tem um contador decente de … Não! Nada! Ignore o que eu disse!”

Estava tão irritado que estava perdendo a noção das coisas e também o sentido de direção. Mas o mais incrível. era que podia sentir muito forte agora, puxões nas mechas da minha franja sempre que nos aproximávamos de uma encruzilhada. Entendi como um sinal e como estava sem ideias, comecei a obedecer e corri com todas as forças.

Aparentemente tínhamos conseguido uma certa distância do dragão voador, porém, se chegássemos em um beco sem saída… talvez fosse nosso último ato.

Mas com essa estranha ajuda, fomos seguindo o caminho sem maiores problemas. Porém, em um determinado momento, após uma última curva para à esquerda, parei de sentir a proteção divina misteriosa em minha cabeça e… o caminho terminou dez metros adiante.

Beco sem saída…

Chegando aqui, não tínhamos outra opção a não ser arrebentar a cerca de metal com o pedaço de corrente que ainda me restava e rezar para não ser outro local sem saída.

Apesar de estar reduzida de seu tamanho original, sua prioridade ainda se mantinha quase ao mesmo nível de antes, porém, a probabilidade de conseguir destruir tudo com um único golpe era extremamente baixa…

Mas não tínhamos tempo, nem alternativa. Tomando essa decisão, balancei a corrente com tudo o que tinha e quando estava prestes a atacar…

“Ei! Ei vocês dois! Venham aqui! Rápido!!”

Escutando essa voz que surgiu do nada, parei totalmente em choque.

Estranhamente o timbre daquela voz não era de um cavaleiro nem nada parecido, aquela voz claramente era de… uma garotinha.

Comecei a olhar em volta rapidamente, foi então que vi…

Uma porta do lado direito da cerca onde iria atacar. E nessa porta, acenando com a mão, alguém que só podia descrever como sendo uma garotinha com cerca de dez anos de idade usando um grande chapéu negro.

O pequeno óculos de lentes redondas em seu nariz brilhou e a menina desapareceu no interior completamente escuro daquela porta.

A princípio achei que era algum tipo de armadilha, mas várias de minhas mechas de cabelos foram puxadas para frente como se estivessem dizendo: ‘Está esperando o quê? Vá de uma vez!!’.

Eugeo e eu nos entreolhamos e atravessamos a porta, adentrando aquela escuridão misteriosa.

 

NOS VEMOS SEMANA QUE VEM!!!

FINALMENTE ALGUMAS EXPLICAÇÕES 😀

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization – Light novel em Português

Também estamos no Tumblr e no Pinterest

https://www.youtube.com/watch?v=QCPIjgkVUow