Sword Art Online Alicization Beginning em Português – Prólogo II – Parte 3

Arco: Alicization Underworld – Beginning

Prólogo II – Parte 3

Nerve Gear , AmuSpher, STL
Qual será a próxima geração do Nerve Gear?

Um mundo virtual, que é indistinguível do real.

Havia muita ficção sobre esse tipo tema no século passado. Shino pode citar pelo menos uns cinco títulos de novelas ou filmes com esse assunto.

Em uma era onde a implementação da tecnologia de imersão total foi usada em dispositivos para o público geral consumir, como o Nerve Gear e o AmuSphere, finalmente chegamos ao ponto de duvidar: ‘Esta realidade é realmente a realidade?’ mas mesmo com a facilidade de poder ler tudo sobre isso em artigos e blogs por todos lados, Shino ainda se sentiu ansiosa antes de sua primeira imersão total.

Porém, quando seus olhos abriram, não soube definir se o que sentia era alívio ou decepção em perceber que tanta preocupação tinha sido desnecessária. Aquele mundo que foi gerado pelo AmuSphere era, sem dúvida, um milagre criado por uma tecnologia de ponta. O mundo que era captado pelos cinco sentidos era inacreditavelmente lindo, mas era por isso que ele era notavelmente diferente do mundo real. As cenas que ela viu, os sons que ouviu, as coisas que tocou, tudo era tão puro, ou em outras palavras, era tão simples. O ar não era poluído, as roupas não tinham dobras ou rugas e as mesas não poderiam ser quebradas.

Os objetos 3D que foram criados com códigos digitais eram restritos à mão de obra necessária para projetá-los e aos computadores para apresentá-los. É claro que ela não imaginava como isso poderia mudar no futuro, mas pelo menos com a tecnologia de 2026, criar um mundo virtual que fosse indistinguível do mundo real era praticamente impossível…

Era isso que Shino pensava… até agora, antes de ouvir a história de Kirigaya Kazuto.

“… Então Kirito, isso significa que mesmo agora…, talvez você possa ainda estar dentro do STL… dessa incrível máquina? Que tudo que se passou até o momento possa ter sido inserido direto no seu cérebro? Que Asuna e eu sejamos apenas recordações implantadas externamente…”

Como que para evitar o repentino calafrio, antes que Kazuto pudesse responder, Shino deu um pequeno sorriso enquanto falava.

Naturalmente, “Mas isso soa ridículo, de qualquer maneira”, ela riu enquanto pensava essas palavras, mas seu amigo franziu o rosto e a encarava diretamente.

“E-Ei! Esper….P-Pare com isso! Eu sou a verdadeira.”

Enquanto ela agitava suas mãos apressadamente, Kazuto continuava mostrando uma expressão de dúvida.

“Se você é a verdadeira Shinon… então será capaz de lembrar da promessa que me fez ontem.”

“P-Promessa?”

“Para me compensar por me chamar aqui hoje, você vai me pagar com um monte de sobremesas caras daqui. E na verdade, estou afim do Dicey Cheesecake.”

“E…..Ehh!? Eu nunca prometi isso! Ah, m-mas eu não sou uma impostora, não é verdade, Asuna?”

Olhando para o seu lado, Asuna, segurou as suas mãos e sussurrou.

“Sinon… você realmente se esqueceu? Você prometeu que me pagaria uma super Torta de Cereja e Mirtilo…”

“O quêêê!?”

“Será que eu estou mesmo em um mundo virtual operando essa memória de lá, ou daqui. Já não sei mais…”? “Enquanto ela pensa nisso, tanto Asuna quanto Kazuto começaram a tremer e logo eles deixaram escapar várias risadas. Nesse momento, finalmente percebeu que seu plano de provocar Kazuto acabou virando contra ela.

“V-Você, Asuna! Embarcou nessa também? Na próxima vez que estivermos em ALO, se prepare para receber centenas de flechas!”

“Hahaha, desculpe, desculpe, me perdoe Sinon!”

Asuna ria enquanto abraçava fortemente Shino. Que acabou não conseguindo ficar brava diante da ação inocente e aconchegante de amizade. Então virou seu rosto para amiga simulando um beicinho. Mas que logo se desfez em um sorriso junto com os outros dois. Aproveitando o clima leve, Kazuto disse em um tom tranquilo.

“Seja Fluctligh ou Mnemotecnia Visual, só de ouvir esses termos já me faz pensar que essa tecnologia é bastante questionável…. Mas, o mundo virtual criado pelo STL é de fato, muito melhor que o criado pelo AmuSphere que nós estamos familiarizados. Ultimamente, é o que se pode chamar de ‘Sonho Real’ …”

“S-Sonho…?”

Shino piscou ao ouvir essas palavras surpreendentes, o espadachim Spriggan, que tinha uma aura que fazia as pessoas ao seu redor ficarem sonolentas em ALO, assentiu com uma cara séria.

“Sim. Criar um mundo juntando os objetos guardados nas memórias, esse tipo de coisa… não é quase como os sonhos funcionam? Na verdade, as ondas cerebrais de um ser humano no STL são bastante parecidas com o padrão das que ocorrem durante o sonho.”

“Então, quer dizer que você está trabalhando meio período dentro de um sonho? Ganha dinheiro apenas parar dormir durante três dias?”

“I-Isso foi exatamente o que eu te disse antes, não foi? Dormir durante todo o tempo, sem comer nem beber. Mas é claro que, eu recebo nutrição e água de maneira intravenosa.”

Agora que falou, ele realmente havia dito isso logo após entrar na cafeteria. Mas eu não esperava que realmente estivesse trabalhando durante um sonho enquanto ficava deitado em uma cama de gel.

Enquanto Shino perdia seu olhar, murmurou com um suspiro.

“Três dias em um sonho contínuo, hein? … Se eu pudesse sonhar durante todo esse tempo, existiriam muitas coisas que eu gostaria fazer. Como não acordar justo antes de comer algo gostoso.”

“Mas isso seria ruim, já que você não vai conseguir se lembrar do que comeu no sonho. Bom, e falando em comer…”

Depois de começar a falar em tom de piada, Kazuto interrompeu a frase na metade. E Shino e Asuna perceberam a mudança na expressão de Kazuto.

“…Qual o problema, Kirito?”

Ele não respondeu imediatamente a pergunta de Asuna, mas fez um movimento com sua mão como se estivesse colocando algo em sua boca.

“…Bolo…não, não é isso… é mais duro… salgado… porém, delicioso, o que será…?”

“Você se lembrou? É algo que comeu no mundo virtual?”

“…Não sei, não consigo me lembrar. Mas eu tenho um palpite de que não existe nada no mundo real que tenha um gosto parecido…”

Kazuto continuou franzindo o rosto por alguns instantes, antes de finalmente desistir e soltar um suspiro. Shino, que estava em silêncio até agora, fez uma pergunta que não conseguia mais conter.

“Ei Kirito! Como isso é possível? Comer algo no STL que não existe na realidade? Como o mundo criado pelo STL é uma coleção de partes baseada nas memórias de uma pessoa em imersão, então não seria natural se essa pessoa não pudesse ver o que ela nunca viu e não pudesse comer o que ele nunca comeu?”

“Ah… isso é verdade. É como Shino disse… Nesse caso, o mundo virtual do STL deveria ter um grau de liberdade muito restrito, não acha? Não pode criar um mundo que seja completamente diferente da realidade, como Aincrad ou Alfheim.”

Kazuto concordou lentamente com o que Asuna havia acabado de dizer, antes de sorrir.

“Vocês duas são bem meticulosas, e isso é ótimo. Quando eu ouvi sobre a Mnemotecnia Visual, a princípio eu não percebi essa limitação. Tentarei me lembrar de perguntar isso ao funcionário da RATH antes de começar o próximo experimento de imersão, mas já que isso envolve o centro da tecnologia do STL, creio que eles não irão me responder… Mas, tem uma coisa… na explicação sobre o mundo virtual criado à partir das memórias, o funcionário nunca disse que essas memórias eram da pessoa que está em imersão.”

“Hein!?… Então como eles…?”

Enquanto Shino não conseguia entender o significado imediato dessas palavras, Asuna, que estava próxima a ela, falou depois de inspirar fundo.

“Poderiam ser… as memórias de outra pessoa? Ou talvez… as memórias não pertençam a ninguém específico. Que tenham sido criadas do zero…?”

Ao ouvir a frase em forma de sussurro, Shino finalmente compreendeu. “E se a informação da Mnemotecnia Visual do ser humano tiver uma estrutura simples? E a análise dessa estrutura já estiver completa…? Seria possível, na teoria, criar um ‘sonho’ cheio de coisas nunca antes vistas, comidas, provadas, cenas nunca imaginadas”.

Então, essas palavras que estavam correndo pelos seus pensamentos coincidentemente saíram da boca de Kazuto.

“…Fazem dois meses que venho fazendo esse trabalho de meio período com a RATH… Durante o primeiro teste de imersão, não havia nenhuma restrição de memória, então ainda me lembro bem daquele mundo virtual. Um deles eram somente uma sala ampla com centenas de gatos.”

“…centenas…”

A boca de Shino se mexia um pouco enquanto imaginava o paraíso felino, antes de rapidamente afastar esse pensamento e focar seu olhar em Kazuto que estava com expressão de quem está procurando algo em suas memórias e seguiu dizendo…

“…O que eu posso recordar daquela sala, foi que estava cheia de gatos de raças das quais nunca vi. E não apenas isso… alguns deles possuíam asas e estavam voando, se enrolando e saltando em todas as direções. Algo assim certamente não poderia vir das minhas memórias.”

“…E ao mesmo tempo, é provável que não venha da memória de nenhuma outra pessoa, não é? Já que gato voadores não existem no mundo real.”

Foi o que Asuna disse, antes de continuar.

“Esses gatos voadores que o funcionário fez o Kirito ver… deve ser algo que o sistema do STL criou do zero, correto?”

“Essa última parte é um belo palpite. Se isso for verdade, então não somente seria possível criar um objeto individual, como seria possível criar um mundo inteiro com suas próprias características únicas.”

As palavras de Kazuto fizeram com que os três ficassem em silêncio por um breve momento.

“Gerar um mundo virtual sem o envolvimento humano…”

Essa ideia fez o peito de Shino estremecer. Enquanto recordava que ultimamente está cada vez menos confortável com os mundos virtuais ‘egocentricamente projetados’ como GGO e ALO.

Esses tipos de mundos virtuais foram completamente gerados pelos produtores das companhias que desenvolvem os jogos. Onde todos os objetos ali colocados, são baseados e controlados pela preferência de alguém.

Quanto mais jogava, mais pensava nisso. Algo sempre crescente dentro do peito de Shino. De que era meramente uma existência correndo na palma da mão do desenvolvedor, o tão chamado Deus. E esse pensamento continuava em sua mente gostando ela ou não.

Shino não começou a jogar Gun Gale Online originalmente por diversão. E agora que havia superado a maldição do passado, começou a pensar sobre o significado de sua experiência do mundo virtual na realidade.

Não simpatizava com pessoas do seu esquadrão que portavam modelos de armas da vida real enquanto vestiam-se com roupas decoradas com uma insígnias de jogos. Acreditava que a força e auto controle adquiridos pela personagem Shinon iria lentamente fortalecer Asada Shino no mundo real, mas ao mesmo tempo, ela se perguntava se realmente valia a pena continuar gastando tanto tempo e dinheiro para estar no mundo virtual. E se pegou pensando que deve haver uma razão para que seu eu tímido tivesse conhecido e ficado tão amiga de Asuna.

Essa garota, que sempre lhe mostrava um sorriso gentil, certamente deve ter tido os mesmos valores que Shino. Jogando jogos VRMMO não como forma de fuga, mas para obter a experiência e os laços do mundo virtual e assim alimentar o seu eu real, Asuna certamente era esse tipo de pessoa. É claro, isso também se aplicava ao Kazuto.

Por esta razão, Shino não queria pensar que o mundo de realidade virtual era apenas um mundo falso e que tudo dentro dele era somente imaginário. Ela não conseguia pensar sobre o fato de que um mundo virtual pudesse existir sem o desenvolvedor.

No mês passado, na noite em que ela ficou na casa de Asuna, depois de as luzes serem desligadas no quarto, ela tinha revelado tudo da sua fraqueza que estava escondida. Então Asuna, que estava na cama ao lado, falou depois de pensar por alguns momentos.

“Sinon, se pensar bem, não é a mesma coisa que o mundo real? Mesmo agora, os locais que nos foi concedido, sejam casas, cidades ou o status de estudante na sociedade. Tudo foi desenhado por alguém, não é …? Talvez, a resposta de ser forte, seja passar por tudo isso e viver intensamente cada segundo, você não acha?”

Depois de uma breve pausa, Asuna continuou com uma voz risonha.

“Bom, então somente uma vez, eu queria ver um mundo virtual que não fosse construído por ninguém. Talvez se isso virar realidade, poderá ser chamado, em todo seu significado, um ‘Mundo Real’ ainda mais real que este mundo real….”

“Mundo… real…”

Shino inconscientemente murmurou essas palavras e, Asuna, que aparentemente estava pensando a mesma coisa, concordou com a cabeça do outro lado da mesa.

“Kirito… então, isso significa… que usando o STL, a realidade que é subjetivamente mais real do que o nosso mundo real pode ser criada? Um mundo diferente sem a participação de um designer?”

“Hmmm…”

Kazuto pensou um pouco, e balançou sua cabeça lentamente.

“Não…, não na situação atual, isso ainda é difícil. As florestas e a grama, por exemplo, poderiam ser deixados a cargo do sistema gerar, mas eu acho que construir uma cidade em larga-escala, mantendo sua integridade sem um designer ainda é impossível.

Mas sobre a outra possibilidade…, bem…, se preparar algumas centenas de jogadores de teste e deixá-los construir uma cidade do zero em um local apropriado, ou em outras palavras, a construção de uma civilização, creio que poderia ser possível existir algo assim em um mundo sem um criador do tipo Deus… ”

“Nossa! Mas isso seria uma estratégia que consumiria um tempo absurdamente longo!”

“Realmente, a conclusão do mapa levaria vários meses…”

As duas garotas riram da piada de Kazuto ao mesmo tempo.

No entanto Kazuto continuou pensando por um breve momento e começou a falar.

“Então seria como uma simulação de construção de civilização, hein? Não… melhor dizendo, tem que ser exatamente isso. Se a função FLA do STL for usada, pode permitir desenvolver com certeza… Será que há restrição sobre tempo de armazenamento de memórias …?”

FLA, ST…, mas que diabos é isso?”

Shino franziu a testa diante do excesso de abreviações, enquanto Kazuto levantou a cabeça e piscou.

“Ah sim… é a segunda magia do Soul Translator. Eu lhes disse sobre o mundo virtual de sonhos criado por STL certo?”

“Sim”

“Alguma vez já teve um sonho incrivelmente longo e se sentiu muito cansado quando acordou? Ou um pesadelo em particular…”

“Ah…, sim eu tive”

Shino respondeu de maneira séria.

“Escapando de algo e no caminho eu pensa ‘-Isso deve ser um sonho’ e mesmo assim não consegue acordar. E quando finalmente acorda depois de ser perseguido por tanto tempo percebe que ainda está sonhando.

Quanto tempo você acha que passa nesse tipo de sonho?”

“Ãh? Duas… ou talvez três horas.”

“Bem, quando monitoramos as ondas cerebrais durante um sonho, que a pessoa pensa que foi muito longo, o tempo real entre viver o sonho e abrir os olhos é de somente alguns minutos.”

Kazuto parou de falar naquele momento e de repente estendeu as mãos e cobriu os dois terminais móveis sobre a mesa. Então lançou um olhar travesso para Shino.

“Nós começamos a falar sobre o STL por volta de 03:30, certo? Sinon, que horas você acha que são agora?”

“Hmm……”

Shino hesitou em responder devido a ser pega de surpresa pela pergunta.

O sol de verão ainda deveria estar brilhante no céu, mas ela não pode dizer a hora pela luz vinda pela janela, pois estavam em um dia chuvoso. Então foi forçada a adivinhar a resposta.

“…04:50 mais ou menos…?”

Então Kazuto mostrou os terminais para Shino. Quando ela olhou para a tela, várias figuras digitais revelaram que já passavam das 05:00 horas.

“Minha nossa! Não percebi que passamos todo esse tempo conversando.”

“A passagem de tempo é algo subjetivo. Não é somente durante um sonho mas também no mundo real. Quando em caso de alguma emergência, a adrenalina nos faz ter a sensação de que o tempo passa mais lentamente, por outro lado, o tempo passa mais rápido quando somos absorvidos em uma conversa a qual damos muita atenção, como foi o caso aqui. A RATH vem pesquisando sobre como isso é captado na consciência do ser humano…, ou seja, na Fluctlight. Ao que parece, conseguiram resultados bem sólidos para suas teorias.

Aparentemente, fluindo no centro da consciência se encontra o pulso que funciona o que eles chamam de ‘Thought clock control signal’ ou ‘Sinal de Controle do Relógio do Pensamento’. Mas parece que eles ainda são incapazes de entender de onde vem esse comando que dispara o sinal.”

“Clock…? Mas o que relógio tem…?”

“Você não escuta muitas vezes quando se fala sobre computador, de algo chamado Gigahertz?”

“É o número de cálculos que podem ser feitos em 1 segundo, certo?”

Asuna respondeu concordando com a cabeça, e em seguida, Kazuto bateu na mesa com sua mão direita fazendo um barulho ‘toc toc’.

“Esse é o número máximo que eles colocam nos catálogos. E isso não é constante. Normalmente funciona lentamente, para não gerar muito calor. Porém, quando uma carga pesada de trabalho é ativada…”

‘Toc toc toc!’ Aumentou o ritmo das batidas.

“Assim que o funcionamento do relógio aumenta, o mesmo acontece com a velocidade de cálculo das operações. É o mesmo que o computador quântico na forma de Fluctlight. Colocado em um estado total de alerta, nos casos de emergência, e tendo que lidar com grandes quantidades de informações, nosso relógio mental também é acelerado para lidar com tudo a sua volta. Sinon você certamente passa por isso também, quando se concentra durante uma batalha intensa, sente como se pudesse ver as balas, certo?”

“Ah…, bem… sim, quando eu estou em boas condições, mas nunca conseguiria fazer a ‘Predição da trajetória das balas e desvia-las’ como você faz.”

Ao falar isso, Shino fez uma pequena careta e Kazuto deu um sorriso amarelo.

“Nesse momento também é impossível para mim. Por isso preciso treinar antes do próximo BoB…. De qualquer maneira, esse relógio mental afeta a nossa percepção de tempo. E quando o relógio acelera, a sensação é que o fluxo do tempo está mais lento.

Os momentos em que sonhamos exemplifica bem isso. Para lidar com a grande quantidade de informações geradas, o Fluctlight acelera, e como resultado nós vivenciamos um sonho que nos dá a impressão de terem passadas várias horas, mas que na verdade seriam apenas minutos.”

“Hmmm…”

Shino cruzou os braços enquanto pensava.

Seu cérebro, melhor dizendo, sua mente, era um computador baseado em luz, algo que por si só já fugia do senso comum. Onde um ato de apenas ‘pensar’ poderia aumentar ou diminuir sua velocidade. Mesmo dizendo isso em voz alta, ela não podia ver como isso poderia realmente ser feito. Ainda assim Kazuto sorriu e continuou.

“Se esse fosse caso, se pudéssemos trabalhar ou fazer o dever de casa em nossos sonhos, você não acha que seria incrível? Passariam apenas alguns minutos no mundo real, mas seriam várias horas no mundo dos sonhos. ”

“A-Algo como isso seria um absurdo…”

“Sim, eu também acho. Não consigo me imaginar em um sonho tão conveniente.”

Mesmo sabendo que Shino e Asuna se opuseram ao mesmo tempo, o sorriso permaneceu no rosto de Kazuto que seguiu com a explicação.

“O sonho real é inconsistente, pois é o subproduto da operação de processamento de memória. Porém o sonho que é criado pelo STL é muito mais definido e claro. Quero dizer que o mundo dessa realidade virtual se assemelha muito com essa lógica que acabei de falar. Nesse mundo, o relógio mental em nossa consciência é manipulado e acelerado. Ao mesmo tempo, o tempo padrão dentro do mundo virtual também acelera em sincronia. Como resultado, o tempo de imersão que um usuário experimenta no mundo virtual é várias vezes maior do que o tempo no mundo real. Esta é a maior característica do STL, o Acceleration Fluctlight, abreviado como FLA.”

“Isso é realmente…”

“Creio que nós já não estamos mais falando da realidade.”

Shino deixou escapar um pequeno suspiro. Esse negócio já estava muito longe de ser apenas uma versão ‘ligeiramente diferente’ do AmuSphere.

A vida social tinha sido alterada completamente apenas com a implementação da tecnologia FullDive. Shino ouviu dizer que uma versão de baixo custo era utilizada em pequenas empresas que viam o mundo virtual com um ambiente prático e barato para realizarem conferências ou apresentações. Houve também a propagação de novelas e filmes em real 3D, onde o público podia entrar em cena a partir de qualquer ângulo que eles quisessem. Sem falar em um software muito popular entre os idosos, que simulava paisagens maravilhosas. Foi como disse Kazuto anteriormente, uma era que possibilita mesmo um treinamento militar diretamente no mundo virtual.

Com o crescente número de pessoas que não querem deixar suas casas, foi lançado um programa de passeios em grupo, que era nada mais do que excursões pelas cidades no mundo virtual, o lançamento do ‘Software de passeio Virtual’, havia ganhado uma grande popularidade, mas foi um fenômeno que logo caiu em segundo plano, pois cada vez mais eram criados ambientes com propostas das mais variadas. Como recentemente uma grande cadeia de lojas de hambúrguer que começou a abrir suas filiais virtuais.

Onde é que essa grande maré de mundos virtuais irá parar? Haverá muito mais ambientes virtuais do que reais? Mesmo que essa seja a tendência social atual, o que poderia acontecer se fosse possível acelerar a consciência com o Soul Translator, que tipo de coisas seriam criadas?”

Ao pensar sobre isso Shino sentiu calafrios. Asuna, que havia pensado algo semelhante, franziu a testa e murmurou suspirando:

“Um longo sonho… hmm…”

Ela então olhou para Kazuto outro lado da mesa e sorriu levemente.

“Teria sido ótimo se o Soul Translator fosse comercializado antes do incidente em SAO. Me pergunto se deveria pensar assim…. Se tivéssemos usado o STL ao invés do Nerve Gear, então Aincrad teria talvez uns mil andares, e limpá-lo levaria cerca de vinte anos.”

“N-Nem me diga…”

Vendo Kazuto tremer um pouco ao balançar a cabeça fez Asuna sorrir novamente, então ela continuou falando:

“Então, neste fim de semana Kirito estará vivendo um longo sonho continuo, certo?”

“Exatamente. Será um experimento de funcionamento contínuo. Estarei imerso por três dias seguidos sem comer nem beber. Acho que irei emagrecer um pouco mais…”

“Mas isso já não é um pouco… sei lá, … demais?”

Asuna fez uma linda cara irritada enquanto cruzava seus braços.

“Amanhã eu vou até Kawagoe cozinhar! Preciso pedir para a Suguha comprar bastante vegetais também…”

“I-isso seria ótimo.”

De repente Shino, que sorria assistindo os dois, pensou em algo e começou a falar.

“Ei! … isso significa que você ficará esses três dias imerso sob função de aceleração não é? Quanto tempo irá se passar lá dentro?”

“Hmm, como eu expliquei antes, a memória lá dentro é restringida… Mas, ouvi que a aceleração atual máxima da FLA é três vezes da real….”

“Isso dá… nove dias?”

“Ou talvez dez.”

“Hmmm… Fiquei curiosa sobre o que você faz em um mundo como esse. As memórias não podem ser extraídas de lá eu sei, mas… e a forma de pegar as memórias do mundo real? Há algum outro tester por acaso?”

“Não que eu saiba, mas provavelmente não tenha. Saber muito a fundo também afetaria os resultados do teste. Além disso, se eles podem bloquear as memórias durante a imersão então restringir as memórias existentes não deve ser difícil…

De qualquer forma, o edifício onde trabalho fica em Roppongi e tem apenas uma máquina experimental STL, por isso a única pessoa em imersão por lá sou eu. E não sei quase nada sobre o ‘interior’ da empresa. Portanto, não é o suficiente para se tornar um Beater e manipular os resultados do teste. Mas a única coisa que eu poderia dizer é o nome código do mundo virtual utilizado no experimento.”

“Hã? …E qual é?”

Underworld

Under… significa o submundo? Mundo subterrâneo? Porque será que deram um nome desses?”

“O seu design é desconhecido, portanto não dá para saber o gênero, se é baseado na realidade, fantasia ou ficção científica. Mas com base no nome tenho a sensação que ele seria um mundo bem sombrio…”

“Hmmm, então não podemos localizá-lo. ”

Shino e Kazuto balançaram suas cabeças ao mesmo tempo. Asuna tocou seu delicado queixo com o dedo enquanto murmurava.

“Talvez… isso venha da história da Alice também.”

“Alice…?”

“Faz sentido já que o nome RATH também foi tirado de ‘Alice no País das Maravilhas’.” A primeira edição desse livro se chamava ‘Aventuras de Alice no Subterrâneo’.”

“Hein!?… Essa é a primeira vez que ouço isso. Se é verdade, então de algum modo… é como uma companhia de contos de fadas.”

Shino deu um pequeno sorriso e continuou.

“Falando nisso, sobre os livros de Alice, há dois livros com histórias sobre os longos sonhos… Talvez durante a imersão de Kirito, ele tenha tido uma festa de chá com o coelho ou jogou xadrez com a rainha.”

Asuna acabou rindo muito com o comentário. Mas a pessoa em questão, Kazuto, olhou para um único ponto na mesa enquanto fazia uma cara estranha.

“… O que houve?”

“… Não, nada…”

A voz de Shino o trouxe de volta dos seus pensamentos e o fez levantar o olhar franzindo a testa e piscar algumas vezes.

“É que agora, quando ouvi o nome Alice… Senti como eu pudesse ter lembrado de algo… Como, em determinados momentos, quando você sente algo estranho ou perturbador, como agora, mas não importa o quanto tente pensar sobre isso, você não consegue lembrar o que era, é esse tipo de sensação que estou tendo.”

“Ah, claro. É como acordar de um pesadelo, porém não se lembrar do que se tratava.”

“Algo… Acabo de sentir que esqueci de algo muito ruim…”

Asuna perguntou em tom preocupado olhando diretamente para Kazuto, que estava remexendo seus cabelos.

“Isto… talvez, sejam as memórias bloqueadas do experimento…?”

“Mas… você não disse que todas as memórias desse mundo foram apagadas?”

Shino fez a pergunta logo após Asuna. Kazuto permaneceu um breve momento com os olhos ainda fechados, antes de baixar os ombros.

“…Bem, são 10 dias de valiosas memórias de qualquer forma. É possível que possam haver peças que tenham escapado do filtro do bloqueio…”

“Sim, e caso olharmos por esse ângulo, se as memórias realmente se mantivessem, isso significaria que você está ficando mais velho do que nós, mentalmente falando. Isso é de alguma forma… muito louco e assustador.”

“Para mim, eu ficaria um pouco… feliz, seria como se a distância entre nós diminuísse um pouco.”

Asuna disse isso, pois ela era um ano mais velha, Kazuto respondeu com um sorriso.

“Agora que tocamos nesse assunto, entre a imersão de ontem e a aula de hoje, senti um estranho desconforto. Era como se eu estivesse passado um longo tempo fora da cidade. Como seu eu não a visse à muitos anos, o mesmo aconteceu com os programas de TV. Os colegas também…

Sabe, foi algo como ‘- Quem é aquele cara?’ Algo assim…”

“Não exagere, foram somente dez dias.”

“Concordo, Creio que não seja algo que você deva se preocupar.”

Shino e Asuna ficaram sérias diante das palavras de Kazuto.

“Kirito, você deveria parar com essa experiência sem sentido. Ela realmente coloca uma carga muito grande e desnecessária sobre o seu corpo.”

“Ah, se esse experimento teste de longa duração for bem sucedido, significa que a maior parte do problema estará resolvido. E a próxima etapa seria preparar a máquina de implementação para se tornar viável. Mas me pergunto quantos anos irá levar para colocar esse enorme equipamento em um tamanho que seja comercial… E sobre o seu conselho, também não posso fazer este trabalho de meio período por muito mais tempo, pois as provas finais começam a partir do próximo mês.”

“Uu…”

Shino fez uma cara triste ao ouvir as palavras de Kazuto.

“Ei, nem me lembre disso. Vocês têm essa facilidade, não tem quase nenhum teste em papel mais na escola de vocês. A minha ainda está usando o sistema de grade de respostas, me dê um tempo, não quero ouvir sobre isso agora…”

“Huhu, então que tal fazer um grupo de estudo juntos?”

Quando ela disse isso, Asuna instintivamente olhou para a parede atrás de Shino antes de dizer ‘- Minha nossa!‘ em voz baixa.

“São quase seis horas já, o tempo definitivamente voa quando estamos conversando.”

“Então vamos acabar com isto. Embora ache que falar sobre o tema principal levaria mais de cinco minutos.”

Como Kazuto deu um sorriso, Shino acabou sorrindo também ao responder.

“Bem, ainda temos um pouco de tempo antes do quinto BoB, vamos decidir sobre a construção de personagem e táticas de batalha detalhados outra hora então.”

“Sim, não vejo problemas. Mas já aviso que não usarei nada além de um sabre de luz.”

“Eu já te disse que é uma espada de fótons.”

“É mesmo?”

Kazuto riu enquanto pegava conta de cima da mesa e se encaminhava em direção ao balcão para pagar com o salário que recebeu após o trabalho de meio período de setenta e duas horas.

Shino e Asuna disseram juntas antes de se dirigir para a saída:

“Muito obrigada pelo convite!”

“Senhor Agil, até a próxima.”

“Obrigado por tudo, os feijões estavam realmente deliciosos.”

Após a resposta do dono da cafeteria, que estava ocupado com os preparativos noturnos, Shino tirou seu guarda-chuva do barril de whisky e abriu porta.

Com essa ação, os sons do da cidade e da chuva encheram seus ouvidos novamente. Mesmo que ainda fosse o final da tarde, devido às nuvens espessas, era como se a noite já estivesse chegado. Shino abriu o guarda-chuva e começou a descer os pequenos degraus quando parou abruptamente. Automaticamente seus pés giraram e se moveram para o canto da parede enquanto observava tudo aos arredores.

“Sinonon, qual é o problema …?”

A voz de Asuna veio de trás dela. Shino então saiu do modo de vigília e rapidamente virou-se para a rua.

“N-Não, não é nada.”

Ela deu uma risadinha curta para esconder seu constrangimento.

Não pode ser, eu senti a presença de um sniper mirando na minha nuca, mas isso não é possível. Talvez o hábito de sempre procurar onde é melhor posição de tiro e se certificar que tem um atirador nele, no momento em que entrei um espaço aberto tenha ativado, mesmo estando no mundo real?”

Shino ficou surpresa com esse episódio.

Asuna ainda continuava com a cabeça levemente inclinada sem entender o ocorrido, quando a campainha da porta do estabelecimento tocou mais uma vez, seguido pelo som de passos descendo as escadas.

Kazuto saiu da cafeteria enquanto guardava sua carteira, de repente parou e deixou escapar uma única palavra…

“ALICE…”

“O que? Ainda está pensando sobre isso?”

“Não… Eu consegui lembrar o que ouvi por acaso da equipe, durante uma conversa na sexta-feira antes de fazer a imersão no STL… A, L, I… Arti… Labile… Intelligen… hmm, o que era mesmo?…”

Shino segurou seu guarda-chuva sobre Kazuto, que estava resmungando palavras que ela não conseguia entender.

Asuna com certeza tem muito com que se preocupar…

Esse foi o pensamento da garota enquanto dava um sorrisinho um pouco sem graça.

“Sério, se algo assim te preocupa tanto, porque não pergunta para eles da próxima vez que for lá?”

“Pois é…tem razão.”

Kazuto balançou a cabeça alguma vezes mais, antes de finalmente abrir seu guarda-chuva.

“Até mais Sinon, na próxima reunião falaremos sobre a conversão para o GGO.”

“Entendido. Nós podemos nos reunir no ALO próxima vez. Obrigada por virem hoje.”

“Até mais, Sinonon.”

“Até mais, Asuna.”

Kazuto e Asuna acenaram com as mãos, então Shino foi em direção à estação de metrô no sentido oposto.

Mais uma vez ela disfarçadamente olhou pelos arredores sob o guarda-chuva, mas o sentimento de perigo de antes já havia desaparecido sem deixar rastros…

CONTINUA NA PRÓXIMA SEMANA…

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization – Light novel em Português

Até!

Bônus:

https://www.youtube.com/watch?v=UYQmCbAbPV4

 

Fonte imagem: http://alecpogi.deviantart.com/