Sword Art Online Alicization Beginning em Português – Prólogo II – Parte 1

Arco: Alicization Underworld – Beginning

Junho de 2026

Prólogo II – Parte 1

Asada Shino bebe tranquilamente seu café -SAO Alcization
Asada Shino

A medida que tomava um gole de café com leite frio e desfrutava da suave fragrância, Asada Shino deixou escapar um longo suspiro.

Estava observando os guarda-chuvas coloridos que passavam do outro lado da antiga janela de vidro. Não gostava de chuva, mas sentada ali na mesa dessa cafeteria, praticamente escondida em uma pequena viela longe da umidade das ruas, não a deixava de forma alguma de mau humor.

A mobília do local não tinha um aspecto moderno e o clima nostálgico do lugar com a cozinha atrás do balcão a fazia sentir como se estivesse no limite entre o mundo real e o mundo virtual. Era como se a aula que assistiu a mais ou menos uma hora tivesse sido um evento em um outro mundo.

“Está chovendo muito né?”

Levou um pouco de tempo até se dar conta que a voz veio do outro lado do balcão. E é claro, não podia ser um cliente.

Dirigindo seu olhar para o homem de pele negra, dono da cafeteria, quem cuidadosamente polia um copo, Shino respondeu:

“Sim, estamos na estação das chuvas, então vai continuar assim amanhã também…”

“Estou certo que isso pode ser obra de um mago Undine”

O grandalhão com aspecto um pouco assustador disse essas palavras e logo depois deu um sorriso intimidador sem se dar conta.

“Quando fizer uma brincadeira… ela irá perder seu efeito se colocar uma expressão dessas, senhor Agil.”

“Ugh…”

A maneira com que o dono da cafeteria e bar Dicey Café, Agil, ficou tocando seu próprio rosto procurando o motivo do “expressão dessas”, parecia como um garotinho que tivesse feito uma besteira e estivesse tentando escondê-la.

Shino, que ainda o estava observando, deixou sair um pequeno sorriso. Para logo depois levar a taça de café a boca.

“Como será que Shino havia interpretado a minha expressão?” Enquanto Agil verificava aonde tinha errado na piadinha fazendo outra expressão intimidadora, a campainha da porta tocou. O novo cliente que estava entrando no recinto, deu uma parada na entrada, olhou para o balcão e sacudiu a cabeça dizendo:

“Ei Agil… se vai receber todos os seus clientes com essa cara assustadora, acho que o bar vai fechar as portas rapidinho. “

“N-Não é isso. Na verdade estava tentando fazer uma piada mas de alguma forma deu errado e…”

“Ihh! Então faça o favor para todos, evite as piadinhas.”

Enquanto ficava implicando com Agil, colocou seu guarda-chuva em um barril ao lado da porta e se virou para onde estava Shino, levantando sua mão direita.

“E aí!”

“Está atrasado.” Franziu a testa enquanto respondia.

A pessoa a quem esperava era, Kirigaya Kazuto, deu de ombros antes de começar a se desculpar.

“Sinto muito, fazia tempo que não andava de trem….”

Se sentou do lado oposto de Shino e abriu alguns botões de sua jaqueta.

“Não veio de moto hoje?”

“Não, não quero andar de moto com toda essa chuva… Agil, um café Shakerato por favor.”

Shino observou o tranquilo Kazuto pedir uma bebida desconhecida, seu pescoço era tão magro quanto o de seu avatar no mundo virtual e seu rosto apresentava um aspecto pouco saudável.

“Me diga! Não acha que está magro demais…? Você deveria se alimentar melhor!” Disse Shino com um ar de preocupação. Porém Kazuto apenas agitou sua mão em negativa.

“Eu já havia retornado com meu peso normal, mas de sexta para sábado ele baixou novamente …”

“Como assim? Está treinando sobrevivência nas montanhas por acaso?”

“Negativo. Nada mais do que dormir.”

“Hã!? Mas então, como emagreceu assim?”

“Fácil! Não comendo ou bebendo nada.”

“… Como assim? Está praticando meditação ou algo do tipo? Quer alcançar alguma iluminação!?”

Shino inclinou sua cabeça com visível dificuldade de entender o significado das palavras de seu amigo. Nesse momento, um suave click-clack pode ser ouvido no balcão. Ela viu o dono sacudindo uma coqueteleira prateada com uma elegância que não combinava com seu aspecto rústico.

Enquanto Shino estava pensativa vendo a cena, Agil gentilmente serviu o conteúdo da coqueteleira dentro de um grande copo de vidro antes de colocá-lo em uma bandeja e se dirigir até onde estavam sentados.

O copo que foi posto à frente de Kirito tinha um líquido cor de café um pouco mais claro e tinha uma espuma suave também na mesma tonalidade.

“Que tipo de café é esse que você pediu?” – Shino perguntou. Então, Kazuto empurrou o copo até ela.

“Experimente!”

Levou o copo até seus lábios. A textura da grossa e cremosa espuma, a sensação refrescante e o aroma magnífico de café, mesmo depois de engolir, permaneceu em sua boca. Estava longe de ser apenas um café gelado que podia ser comprado em qualquer máquina do colégio.

“Está… delicioso!”

Após Shino dizer isso, Agil fez um rosto de pura satisfação antes de bater em seus braços.

“Sim, graças a esses fantásticos braços de barman profissional, que ficou assim tão cremoso.”

“Não podia ficar sem se exibir não é? Faz isso desde que voltamos à realidade. Mas deixando essa parte de lado, me diga! Que aroma é esse?” – Perguntou Kazuto.

Ele deu uma limpada na garganta e respondeu:

“Feijões torrados ao estilo de Boston. E, é claro, esse braços de pedra hehehe…”

“Heh! Um sabor da cidade natal da sua esposa certo? Então, vou saboreá-lo apropriadamente.”

Agil, que foi interrompido no meio da conversa, se retirou em silêncio. Kazuto pegou seu copo da frente de Shino e logo tomou um gole. Saboreou a bebida, se endireitou na cadeira e olhou diretamente para a garota a sua frente.

“Como está o andamento das coisas até agora?”

Ela entendeu o significado da repentina pergunta de imediato. Porém, não respondeu prontamente, pegou o copo das mão de Kirito novamente e tomou um grande gole. A medida que o creme suave descia por sua garganta, a rica fragrância inundava seu paladar e olfato. Esse estímulo reconectou os pensamentos fragmentados de sua mente e os transformou em palavras.

“Sim, parece que agora está tudo bem.”

Meio ano atrás, em 2025, o acidente com o Death Gun havia ocorrido. Kyouji Shinkawa, um dos três responsáveis, que até então era o único amigo de Shino. Havia recebido um atenuante da sua sentença e foi transferido para um centro de reabilitação juvenil no mês passado.

Durante o julgamento, havia permanecido obstinadamente em silêncio, inclusive a avaliação psiquiátrica realizada por um especialista não capaz de fazê-lo abrir a boca.

Porém, um dia, cerca de seis meses depois do acidente, começou a colaborar de repente e responder as perguntas que lhe faziam. Shino podia fazer uma ideia do porquê dessa mudança repentina.

Seis meses, ou 180 dias, era o período de validade de uma conta permanecer no servidor do jogo VRMMO sem pagar. Após esse tempo, o outro eu de Kyouji Shinkawa desapareceria do servidor GGO, o qual deixava Kyouji finalmente preparado para enfrentar a realidade.

“Planejo visitá-lo assim que melhore um pouco. Creio que me deixarão vê-lo dessa vez.”

“Está certo.”

Uma vez que deu essa curta resposta a Shino, Kazuto olhou para chuva que caia. Depois de vários segundos em silêncio, Shino intencionalmente o quebrou com uma cara de insatisfação.

“Ei! Normalmente é nesse ponto que deveria ser gentil e me perguntar como estou, não é?”

“Eh! Ah! S-Sim claro. Err…, então. Como estão as coisas, Sinon? ”

Depois da rara chance de fazer Kazuto se embaraçar, Shino sorriu enquanto aproveitava a sensação.

“Já assisti toda a coleção daqueles filmes antigos de ação que você me emprestou. O que mais gostei foi provavelmente aquele em que o cara desvia de tiros de pistola enquanto procura por abrigo. Se você ao menos pensar em voltar para GGO eu vou lhe mostrar isso no nosso próximo treinamento.”

“Sério? Mas que legal… mas por favor, seja gentil…”

Diante do sorrisinho amarelo de Kazuto, Shino teve que segurar o seus riso.

O medo de armas que Shino vem sentindo por todos esses cinco anos, ainda não havia sido completamente superado. Mas mesmo assim, parecia estar curtindo os filmes de ação com armas. Porém, seu coração ainda pula quando vê inesperadamente uma imagem ou foto de arma nos pôsteres espalhados pelas cidade, ou mesmo nas janelas das lojas de brinquedo. Mas talvez seja por puro reflexo de cautela. Já que ela não pode ter certeza de que não encontrará algum criminoso armado no mundo real.

Além do mais, Shino já se dá por contente apenas pelo desaparecimento de suas intensas reações de negação ao ver imagens e fotos de armas, como por exemplo vomitar e desmaiar. Também já não se sentia alienada na escola.

Agora já era capaz de almoçar e conversar com vários amigos.

Porém, isso a colocava em algumas situações um pouco embaraçosas. Já que o tema das conversas acabava sempre sobre o garoto que ficava esperando-a em sua motocicleta no portão de saída para levá-la embora.

Enquanto Shino pensava isso, Kazuto notou sua expressão suave e acenou com a cabeça.

“Então…, tudo sobre o incidente com o Death Gun já está acabado, certo?

“Sim…, isso é verdade” – Shino assentiu ligeiramente antes de morder os lábios.

Havia algo, uma recordação no fundo de sua mente, porém quando estava prestes a conseguir lembrar e falar, o dono da cafeteria apareceu vindo da cozinha e colocou dois pratos fumegantes na mesa.

A visão de suculentos feijões cor de âmbar com bacon cortado em cubos colocados no meio do prato atiçou a fome. Shino pegou a colher como se estivesse sendo controlada por ela. Então nesse momento, ela recobrou os sentidos e parou o movimento de sua mão de disse:

“Ei! E-Eu não pedi isso.”

Então uma leve expressão travessa surgiu no rosto de Agil.

“Está tudo bem, esse é uma cortesia… da parte de Kirito.”

Kazuto ao escutar isso, tentou protestar sobre, mas o dono do bar já havia tranquilamente dado as costas e regressado ao seu lugar atrás do balcão. Shino então pegou a colher e deu um sorriso para Kirito.

“Muito obrigada, Kirito.”

“Bom…, tudo bem. Acabo de terminar meu trabalho de meio expediente então minha carteira ainda está cheia.”

“Hã!? Está trabalhando meio período é? ”

“Esse foi exatamente o motivo que mencionei antes, sobre não comer ou beber por três dias. Mas podemos falar isso depois. Vamos comer enquanto ainda está quente.”

Kazuto pegou o pequeno pote de mostarda e colocou um montão em volta do prato, antes de alcançar para Shino. Ela fez o mesmo e logo usou a colher para colocar vários feijões em sua boca.

Um nostálgico e simples gosto ocidental pôde ser sentido dos feijões cozidos, que eram macios por dentro e liberavam um sabor doce. O bacon, que não tinha gordura em excesso, quebrava-se em pedaços em sua língua.

“Isso está mesmo delicioso…”

Enquanto murmurava, ela olhava para Kazuto, que estava comendo avidamente, depois perguntou:

“Disse que é no estilo de Boston, certo? Que tipo de tempero é?”

“Hmm… eu esqueci o nome mas parece ser um xarope produzido manualmente. Como é que é mesmo, Agil?”

O atendente grandalhão, que estava novamente polindo os copos, olhou para eles e então disse:

“Isso se chama melaço.”

“Isso, é isso mesmo.”

“Humm… culinária americana, pensei que você só soubesse fazer apenas hambúrguer e frango frito.”

Kazuto deu um sorrisinho enquanto terminava a frase já em tom de sussurro.

“Isso já é preconceito. Eu tenho falado com muitos caras de lá. Ando me informando bastante.”

“Exatamente. Outro dia, passei umas três horas conversando sobre Snipers com uma garota de Seattle no servidor internacional de GGO. E só quem eu consigo entender é ele……”

“Ele?”

Kazuto, que já havia terminado mais da metade de seu prato, pronunciou essa palavra ainda de boca cheia.

“Sim! De qualquer forma, este é o tópico de hoje. Você já ficou sabendo sobre o final individual do quarto Bullet of Bullets semana passada, certo?”

Abreviado para BoB, esse é o nome do torneio de Battle Royale para decidir o mais forte em Gun Gale Online, Kazuto imediatamente fez sinal positivo com a cabeça.

“Sim, assisti à transmissão com todos. E, ah! Eu ainda não te dei os parabéns… Bem, talvez seja um resultado não esperado para você Shinon. Mas de qualquer forma, parabéns pelo segundo lugar.”

“O….Obrigada.”

Ela ficou numa cara séria para esconder o embaraço e depois continuou.

“Se você já assistiu a transmissão então será mais rápido. O vencedor foi o jogador chamado Satrizer… Ele…, bem…, já é a segunda vez em que saiu como campeão.”

Kazuto, ao ouvir aquilo, piscou algumas vezes, se perdendo em pensamentos junto com seu olhar que começou a vagar até ao teto do estabelecimento.

“Parando para pensar… no terceiro BoB, em que participei, você me contou sobre um jogador americano que com apenas uma faca e uma pistola conseguiu vencer o primeiro torneio… Mas, tenho certeza de que desde o segundo torneio, quando o servidor foi dividido em americano e japonês, não era mais possível se conectar com a América, não é? Então como?”

“Era para ser assim… na verdade, não havia nenhuma entrada americana no segundo e terceiro torneios. Mas dessa vez ele conseguiu evitar o bloqueio de alguma forma, ou havia uma conexão com a equipe de gestão… Bem, o fato é que de alguma forma ele foi aceito.

Você logo notaria a lenda que é Satrizer só de ver sua luta uma única vez.”

“Bom, ele deve ser algo mesmo, pois te deixou toda agitada. Inclusive se fosse vista por uma tela de transmissão isso seria notado.”

Kazuto sorriu ao dizer isso. Shino fez beicinho enquanto dizia.

“N-Não era apenas eu. Todos os trinta finalistas… não, já que ele não está incluído, todos os vinte e nove finalistas estavam agitados também.

E ainda haviam aqueles que perderam para ele no primeiro torneio. A América pode ser o lar do FPS, mas invadir a Battle Royale em pleno palco do GGO japonês, que é a origem do sistema The Seed… é algo que… quero dizer, se a porta de acesso agora está aberta então…”

“Será uma repetição do primeiro torneio… certo?”

Shino acenou em concordância, fazendo um pequeno bico com os lábios. A colher em sua mão direita levava o último pedaço de bacon até sua boca, saboreando o simples mas rico sabor da comida, que restabeleceu seus pensamentos e memórias da última semana.

“Mesmo que o resultado tenho sido esse, o tema tem muitas especulações sobre sua completa vitória. Porque aquele cara, no início, não possuía nenhuma arma.”

“Ãh? De mão vazias?”

“Sim, bem, ao invés de armas, ele tinha a habilidade Army Combative. Derrotou seu primeiro oponente apenas lutando, roubou sua arma para então usou no próximo alvo… e foi apenas repetindo isso.

Ele só trocou esse método de usar apenas as mãos para derrotar os outros jogadores umas duas ou três vezes. Pode-se dizer que… a batalha estava realmente em outro nível…”

Shino murmurava enquanto deixava escapar um suspiro, Kazuto cruzou seus braços enquanto balançava sua cabeça.

“Resumindo então, o estilo de Satrizer era o de combate a curta distância, certo? Se for, em tese, ele não é capaz de revidar um ataque de média ou longa distância, não é? Ao passo que, mais da metade dos jogadores de GGO utilizam essa estrutura de ataque…”

“Você… você realmente viu as gravações em que eu perco para ele, não viu?”

“Sim, assisti em ALO. Quando Satrizer estava se aproximando do seu esconderijo em uma linha reta e estava a menos de três minutos de distância, todos lá estavam tipo: “Por esse lado não―!” ou “Shinon, atrás de você―!” ”

“Exato…”

Shino suspirou levemente enquanto a terrível cena era revivida em sua mente, depois disse no tom mais calmo que pode conseguir.

“Eu ouvi das onze pessoas que foram derrotadas por ele depois do torneio, que quase todos foram derrotados usando esse mesmo método peculiar. Provavelmente não obteve nenhuma informação prévia sobre eles, mas incrivelmente era capaz de ler claramente todos seus movimentos, já que os emboscava a uma distância extremamente curta, matando-os sem dar tempo parar usarem suas armas. Não sei muito sobre a América, mas além de lutar no servidor japonês, ainda usando facas para lutar, eu nunca ouvi isso antes…”

“Bem, ouvi que depois do terceiro torneio o número de jogadores usando sabres de luz aumentou consideravelmente…”

Shino deu um sorrisinho amargo para Kazuto quando ele lhe disse isso casualmente.

“Bom… estão apenas tentando imitar sua performance espalhafatosa. É bem verdade que no começo desse ano, haviam jogadores treinando para cortar tiros com o sabres de luz, mas parece que nenhum realmente conseguiu fazer isso.

Mesmo dizendo isso como se fossem apenas outras pessoas, ela mesma tinha comprado um pequeno sabre de luz e treinou em segredos com os mobs de soldados. Como resultado de um mês de treinamento pesado, contra tiros de rifles, não conseguia se defender além de três tiros, logo, isso não poderia ser usado em um combate real.

O sonho de atingir o nível de Kazuto, que pode se defender de mais de dez tiros (quem sabe mais do que isso), continuaria um sonho, e ela eventualmente desistiu. O sabre de luz está atualmente servindo como um amuleto no inventário dela. Entretanto, se naquela hora, ela o tivesse equipado em sua cintura, se perguntara se seria capaz de ferir Satrizer.

Shino balançou sua cabeça. “Não é a hora para isso”, forçando sua mente, retornou ao tópico.

“Enfim… não houve um único jogador japonês que conseguiu apontar o rifle para ele, muito menos atirar. O que realmente era assustador em Satrizer não era sua técnica de combate a curta distância, mas sua habilidade de prever todas as situações da batalha.”

“Sim… entendo…mas, algo assim é realmente possível? Talvez seja provável contra iniciantes, mas todos que participam da batalha principal do BoB são veteranos, a chance de prever suas ações em 100% dos casos nem deveria existir…”

Diante das palavras de Kazuto que ainda expressavam muitas dúvidas, Shino deu de ombros.

“O fato é que ele derrotou mais de dez pessoas da mesma forma, então não pode ser mais considerado uma casualidade. Bem… mesmo que eles sejam veteranos, é provável que ainda existam padrões em suas ações. Para o tipo de terreno, eles deveriam tomar essa posição ou usar essa rota para seu movimento, deve haver aí um buraco na teoria dos veteranos.”

Enquanto falava, Shino se deu conta de um fato, que infelizmente só veio à mente tarde demais e deu um leve suspiro. Nesse momento, justo antes da conclusão do quarto torneio do BoB.

Shino era o último oponente de Satrizer, estava na posição de ideal de tiro com a sua amada Hecate II no último andar do edifício parcialmente destruído.

Tinha suposto que, da janela daquele andar seria capaz de confirmar a posição de Satrizer e que este teria que atravessar obrigatoriamente a estrada logo abaixo. Entretanto, o inimigo antecipou seus movimentos e se escondeu no mesmo prédio que ela. Ficou esperando se posicionar com o rifle no bipé e deitar. Só assim se aproximou por detrás, como um gato atacando sua presa.

E, para falar a verdade, Shino não queria estar no último andar e sim no andar abaixo, já que devido à altura do pé direito poderia prover um melhor ângulo de tiro. A razão pela qual acabou no andar superior foi porque esse piso era uma biblioteca. O que acabou despertando memórias do único local que ela se sentia relaxada na escola no mundo real e isso acabou atrapalhando sua concentração. Quando deu por si já estava perdida em pensamentos e acabou caminhando até o último andar, local onde o seu inimigo a estava esperando para atacar de surpresa…

Em outra palavras, Satrizer pode prever que Shino não estaria no andar a biblioteca e sim que se aprontaria no último piso. Porém, a razão por ter mudado de local não foi algo racional que um sniper faria, mas sim algo inteiramente pessoal. Ser capaz de ler as ações de Shinon a sniper era uma coisa, mas ser capaz de ler as ações de Asada Shino era algo impensável. Seria apenas uma coincidência que fez Satrizer escolher justamente o último piso como esconderijo? Ou será que vendo a biblioteca ele simplesmente achou que ela não escolheria esse lugar…?

Se fosse o segundo caso, ele não baseou sua predição em dados de experiência e sim em algo muito além das habilidades dos jogadores de VRMMO… a qual seria ler as mentes das outras pessoas…

“…inon. Ei! Shinon.”

Com os dedos da mão direita esticados no ar, Shino fez estremeceu e levantou seu rosto. E quando seus olhos encontraram os de Kazuto, disse rapidamente,

“Ah! … Me desculpe! Onde estávamos mesmo?”

“Os padrões e teoria de um jogador veterano.”

O-Oh! Sim, bem…, por essa razão… penso que se um jogador não usar esses padrões pré-estabelecidos, cujas ações não estão baseadas na teoria, deve ser capaz de confrontar e antecipar os movimento de Satrizer.

Ela disse isso meio que automaticamente, enquanto finalmente entendia a verdadeira razão pela qual havia chamado Kazuto. Bebeu um pouco de água, o que ajudou a mudar seu ânimo. Porém, mesmo que o gelo que já estivesse derretido ainda provocou um calafrio em sua espinha, mas talvez não tivesse nada a ver com a temperatura da água.

Sim, ele rastejou e capturou Shinon, surpreendendo ela por trás, derrotando-a em apenas alguns segundos enquanto a impedia de respirar perdendo praticamente todo seu HP, ele sussurrou algo em seu ouvido. Naquela hora não tinha conseguido entender o significado das quase inaudíveis palavras em inglês que agora voltavam a sua mente “Your soul will be so sweet”. Esse tipo de coisa é muito incomum em jogos online de PvP. Normalmente o que era dito ao final de uma batalha era somente algum comentário de cunho ofensivo.

Depois de se pegar repetindo essas palavras, Shino trocou rapidamente de assunto com um tom muito animado.

“…E falando de alguém que desafia toda a lógica de maneira inconsequente, descuidada, aleatória e aparentemente sem sentido, não lhe vem um nome na mente? Talvez seja um pouco cedo, mas estou pensando em reservar um lugar para essa pessoa no quinto torneio de BoB…”

Então fazendo sua mão direita parecer uma arma, apontou para Kazuto que estava sentado à sua frente.

“Esse é meu convite para você.”

“C-Como é que é? Eu?”

Enquanto sorria para seu surpreso companheiro, começou o discurso que já estava previamente preparado:

“Bom, na verdade não estou pedindo algo tão irracional com converter a sua conta do ALO para o GGO novamente, mas pense nisso com um pagamento da sua dívida comigo. Ou está se esquecendo daquela magnífica espada lendária?”

“Uhg!”

A espada dourada longa de Kirito, Excalibur, que ele conseguiu em Alfheim Online. A mesma que foi coletada por Shinon antes de se perder para sempre no abismo. Esse item tão raro e poderoso que existia somente um em todo o servidor, foi dado a ele como presente. Então com certeza não era egoísmo da parte de Shinon em fazer esse pedido. Ainda mais que era um convite tentador, enfrentar um oponente tão poderoso como parecia ser.

Como ele não queria trair as expectativas de Shino, Kazuto limpou sua garganta antes de dizer:

“Certo, também quero lutar contra esse Satrizer…. Mas, creio que a principal razão de eu, que era um principiante com as armas, conseguir uma chance no último torneio, foi apenas porque os outros jogadores não tinham experiência suficiente para enfrentar alguém com uma espada.

Entretanto, depois de ouvir sua história, posso supor que Satrizer é um expert em combate a curta distância do que um mestre das armas, certo? Me pergunto se terei alguma chance de vencê-lo….”

“Mas que espécie de comentário medroso é esse? Isso realmente não combina com você.

É verdade que ele é forte, mas ainda é um jogador de VRMMO. Ver você falando que seria um profissional versus um amador é muito…”

“É exatamente isso.”

Kazuto endireitou suas costas na cadeira de madeira antiga e colocou suas mãos atrás da cabeça.

“Satrizer é realmente um amador? … Ele é realmente apenas um jogador de VRMMO?”

“…O-O que você quer dizer? Se ele não é um jogador então o que ele poderia ser?”

“Um profissional. Cujo objetivo não é jogar, mas sim praticar combate com armas. Como um soldado… ou um membro da força especial da polícia.”

“Ãh!?… De onde você tirou essa ideia !?”

Shino deu uma risada amarga, achando que seu amigo estava apenas brincando. Porém Kazuto manteve uma expressão séria e continuou falando.

“Li sobre isso através de sites de notícias, então ainda não sei todos os detalhes… mas, parece que o exército e a polícia de vários países, assim como companhias privadas de defesa têm incorporado a tecnologia de imersão total, Full Dive, em seus treinamentos. E vem polir suas habilidades no ambiente virtual. Agora me diga! Você acha realmente que é impossível para esses profissionais testarem suas habilidades participando do BoB?”

“… Mas isso…, não pode ser.…”

Shino já estava prestes a dizer que Kazuto estava falando bobagens quando recordou da precisão da leitura quase sobrenatural de Satrizer e a suavidade de seus movimentos. O jeito com que ele lutava podia ser descrito como uma máquina de batalha, e parando para pensar, isso estava certamente muito além do nível de um jogador amador.

Entretanto, se aquele homem era um verdadeiro soldado ou policial, ele iria dizer aquelas palavras logo após neutralizar seu alvo? Sua alma é doce, e coisas assim…. Ele talvez fosse um verdadeiro profissional, mas ao invés de um soldado, ele era um assassino…

Nesse ponto, Shino deteve seus pensamentos. Todos os mundos virtuais incluindo GGO existiam para diversão. Não tinham nada a ver com o tipo de pessoa que Satrizer é no mundo real. Da próxima vez que ela o encontrar no campo de batalha, fará ele voar com sua calibre ponto cinquenta. Estando satisfeita com sua decisão, argumentou claramente.

“Não importa quem ele seja, em GGO nossas condições são as mesmas! Não irei perder para o mesmo oponente duas vezes. Vou vencê-lo na próxima vez, usando todos os métodos para alcançar isso, definitivamente!”

“…Esse ‘método’ aí, seria eu, certo?”

“Um deles, para ser exata.”

Kazuto acabou concordando mesmo fazendo uma cara a contragosto. Então Shino sorriu enquanto dava uma explicação adicional.

“Sei que será muito cansativo para você enfrentar um expert em combate corpo a corpo sozinho, então eu chamei outra pessoa aqui. Mas servirá apenas como um freio, prevenindo que você enlouqueça e faça alguma maluquice, um controlador por assim dizer.”

“C-Controlador?”

Kazuto, repetiu a palavra, pressentindo algo chegando… Enquanto corrigia sua postura na cadeira, ela rangeu.

Pegou um pequeno terminal móvel de seu bolso e correu com seus dedos pela tela. Então levantou seu rosto e disse para Shino com um sorriso sem graça.

“Entendo.”

“… O que você entende?”

Dessa vez foi Shino que inclinou a cabeça. Kazuto então colocou o terminal sobre a mesa, e deslizou até Shino.

Olhando para o monitor de quatro polegadas de alta definição, ela viu o mapa da vizinhança de Okachimachi com a cafeteria no centro. Havia um ponto de luz azul piscando no caminho da estação até o local onde estavam.

“O que é esse ponto de luz?”

“A pessoa que Shino está esperando para chegar. Está mais ou menos uns cem metros daqui.”

Foi exatamente como Kazuto havia dito, o ponto estava se movendo em direção ao bar cafeteria. Atravessando a intersecção, entrando no beco, chegando no centro do mapa, e naquele momento…, o sino da porta tocou, Shino levantou seu rosto.

A pessoa que entrou na loja dobrou o guarda-chuva, seus cabelos longos e castanhos movia-se enquanto ela se virava em direção à Shino. E então, um brilhante sorriso apareceu, como se a estação chuvosa tivesse acabado mais cedo.

“Olá, Shinonon!”

 

CONTINUA NA PRÓXIMA SEMANA…

Não deixem de curtir Fan Page Sword Art Online Alicization – Light novel em Português

Até!

Bônus: